Pesquisar
Close this search box.

Império logístico lapidado aos poucos

Compartilhe:​

O Amazonas também tem grandes empreendedores, tal qual como acontece em outras regiões do Brasil. Em sua trajetória, o empresário José Ferreira de Oliveira construiu em quatro décadas um dos maiores (senão o maior) império logístico da América Latina.

Pelo Porto Chibatão, de sua propriedade, estrategicamente construído na orla de Manaus, é por onde entra grande parte dos insumos que alimentam a cadeia produtiva do modelo ZFM, servindo também para exportação de produtos fabricadas nas mais de 500 empresas instaladas na capital, pela via rodofluvial, chegando aos principias centros consumidores.

O ‘Senhor Passarão’, como era conhecido por amigos, clientes e familiares, faleceu, ontem em São Paulo, onde estava internado para tratamento de saúde. Não foi divulgada a causa da morte.

Homem simples e empreendedor, com o olho sempre no futuro, José Ferreira foi lapidando aos poucos aquilo que se tornaria o maior conglomerado empresarial, cuja atuação é reconhecida nos países vizinhos, na Europa, nos Estados Unidos e na Ásia. Através de seu porto, aparelhado com uma infraestrutura logística moderna, eficiente, com inovação tecnológica que não deixa a desejar aos grandes centros de logística mundiais., é por onde trafegam as matérias-primas utilizadas pelas fábricas do Distrito para a produção de itens dos mais diversos segmentos da indústria local.

‘Passarão’ saiu de cena, fato que um dia marcará a vida de todos nós, mas deixou um legado tão gigantesco e avançado à altura de suas iniciativas de um empresário que estava à frente de seu tempo.

Por suas ações, foram erguidos guindastes que são operados por computadores. São ferramentais com tanta magnitude de inovação que afastam qualquer possibilidade de erros na logística, garantindo a segurança aos clientes.

Ao mesmo tempo, preparou a mão de obra especializada entre os seus próprios quadros de trabalhadores, com contínua orientações de expertises, para manipular ferramentas avançadas, como as existentes nos países de primeiro mundo.

Aqui, no meio da floresta, a sofisticação da logística proporcionada pelo Porto Chibatão, com toda a sua magnitude, harmoniza-se com a bela paisagem do Rio Negro, o gigante que serve de estradas naturais para o transporte de navios e embarcações de alto calado. Tudo construído, aos poucos, sob a coordenação de José Ferreira, que não gostava de ficar nos holofotes da mídia.

A seu modo, José Ferreira preferia (no anonimato) traçar as medidas que impulsionariam os seus empreendimentos. Além do Porto Chibatão, ele também incursionou por outros ramos de negócios, amealhando sucessos, reservados a um pequeno contingente de empresários que sabem, com muita habilidade e assertividade, gerar novos empregos e renda à população em uma região tão distante do resto do País.

Gerar riqueza, desenvolvimento, levando benefícios sociais aos mais diversos estratos, são grandes desafios. E, isso, o “Sr. Passarão’ o fez muito bem. Que seu legado se expanda, contribuindo ainda mais para o desenvolvimento do Amazonas, e da Amazônia como um todo.

Nota abre Perfil

Fôlego ao consumidor

A Petrobras anunciou, ontem, o fim da paridade de preços da gasolina e do diesel com o mercado internacional. Em outras palavras, isso significa que os revendedores vão comprar combustíveis com valores mais baixos. Porém, a comercialização para o consumidor final depende de cada empresa do varejo. Agora, a grande expectativa é se, realmente, o brasileiro poderá ter mais folga no orçamento destinado para despesas básicas. O governo promete acompanhar de perto o setor varejista.

Da mesma forma, o botijão de gás também reduziu os valores para revenda. Os exorbitantes mais de R$ 100 de uma unidade de 13kg serão execrados, mas há outra dúvida se a população vai pagar menos pelo produto.  O problema é que existem empresários que só visam o lucro – engordam as contas bancárias às custas do pobre trabalhador, que precisa de muta jogo de cintura para continuar sobrevivendo. Então, é esperar se a atual política do governo Lula se refletirá na prática.

Navegistic

A abertura da 1ª Edição da Feira Navegistic de Manaus convergiu para a presença de pelo menos 400 pessoas, ontem, no Centro de Convenções do Studio 5, no Japiim, zona sul da capital. Além de atores do segmento de logística intermodal, estiveram presentes a classe empresarial e política, representantes de órgãos do Estado, e ainda expertises nacionais e do exterior. Segundo os organizadores do evento, que acontece até esta quinta-feira (18), o feedback superou as expectativas. É muita inovação.

Navegistic 2

Não é para menos tanto interesse da classe empresarial no Amazonas. São pelo menos 50 estandes expondo o que existe hoje de mais moderno em logística intermodal. As estimativas de negócios são de pelo menos US$ 15 milhões (mais de R$ 70) durante os três dias de realização da Feira Navegistic na capital. Expositores nacionais e do exterior apresentam novos equipamentos que prometem mais praticidade e melhor custo-benefício, além de proporcionar oportunidades para intercâmbio comercial.

Exploração

A exploração sexual de crianças e adolescentes no Amazonas reverbera em Brasília. A Câmara dos Deputados convidará a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, e o ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, para debater sobre o problema no Estado, principalmente em São Gabriel da Cachoeira (distante 862 quilômetros de Manaus). Segundo a mídia, uma ONG que atua na região constatou o tráfico de jovens indígenas para a Turquia, onde “são doutrinados“ e explorados.

Auxílio

Mais polêmica. Relatório de auditoria da Controladoria-Geral da União aponta que nos anos de 2021 e 2022 23.824 famílias no Amazonas apresentaram fortes indícios de estar acima do limite de renda estabelecido para recebimento do Auxílio Brasil, que atualmente passou a ser chamado de Bolsa Família. Em todo o País, foram 1.174.578 beneficiários, segundo o levantamento. A análise consta de relatório tornado público pela CGU, que registrou R$ 3,89 bilhões em pagamentos indevidos nos períodos.

Acordo

Negociação fechada, ontem, com a prefeitura suspendeu a greve dos rodoviários, prevista para acontecer nesta quarta-feira (17). Na sexta-feira (12), a categoria decidiu pela paralisação com a rejeição do Sinetram para um reajuste salarial de 12%. Uma nova reunião foi agendada com trabalhadores e empresas, que deve ser realizada amanhã com a presença do prefeito de Manaus, David Almeida (Avante). Hoje, os professores da rede estadual de ensino decidem se vão suspender as atividades.

Rejeição

Tudo que Lula não anda bem na visão de grande parte da população. A 158ª Pesquisa CNT de Opinião, divulgada ontem, mostra que as Regiões Norte/Centro Oeste têm o menor índice de aprovação do governo federal. O levantamento perguntou: “O sr. (a) avalia o governo de Lula como?” Nas duas localidades, 37,5% consideram ótimo+bom, 30,1% regular, 29,5% ruim+péssimo e 2,9% não sabem ou não responderam. A aprovação do petista é maior no Nordeste (55%).

Cassação

Expoente da Operação Lava Jato, o deputado federal Deltan Dallagnol (Podemos-PR) teve ontem o mandato cassado. A decisão (por unanimidade) é dos ministros do STF. O plenário da mais alta Corte do Brasil considerou que ele fraudou a Lei de Ficha Limpa ao sair  do MPF, em novembro de 2021, escapando de eventuais punições que poderiam resultar em sua demissão, o que o tornaria inelegível. Dalagnoll e Sérgio Moro, hoje senador da República, protagonizaram grandes ações contra a corrupção.

FRASES

“Oportunidade para fortalecer e alavancar o polo naval”.

Gustavo Igrejas, secretário, sobre a 1ª Edição da Feira Navegistic de Manaus.

“Não sabia de nada”.

Jair Bolsonaro, ex-presidente, sobre suposta fraude em certificado para vacinas.

Redação

Redação

Jornal mais tradicional do Estado do Amazonas, em atividade desde 1904 de forma contínua.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar