Condomínios e conjuntos se readequam à sustentabilidade

Compartilhe:​

Após a pandemia (Covid-19) muito se fala a respeito de como se vai preservar o meio ambiente na região e até no país. E, pensando justamente nessa situação que foi possível obter algumas informações de alguns condomínios, e conjuntos residenciais em Manaus, para saber o que eles estão desenvolvendo para colaborar com a preservação do Meio Ambiente na capital amazonense. 

Há cerca de 7 meses foi implantado no condomínio Miami Beach,uma coleta seletiva com a finalidade de desenvolver a correta separação de resíduos, além da dedetização mensal,aos moradores do lugar. 

Hoje, o  Miami Beach, é constituído por cerca de 50 apartamentos divididos entre proprietários, apartamentos alugados e apartamentos vazios.

“A síndica Jacobeth Santiago Caliri, do Miami Beach, à frente da gestão há 3 anos, conta que “aqui tudo é tranquilo! Mas, a cada mês estamos pensando em fazer melhorias em prol do nosso meio ambiente, e , há 2 meses, foi criado aqui um local específico para mudas de plantas”; o que tem alegrado aos moradores, pois, diz Beth, são eles mesmos que fazem as plantações.

Beth, como é conhecida, disse que; “Hoje é prioridade nossa realizar eventos, o qual possa comparecer palestrantes especialistas e que falem a respeito da preservação do Meio Ambiente; uma forma de conscientizar as pessoas sobre o tema em questão”, disse.

No conjunto Sakura, bairro do Parque Dez, antiga Colônia Japonesa, a moradora Circe Brito fala a respeito da situação e da falta de um bom saneamento básico no bairro.

Segundo Circe, que mora no bairro há mais de 3 anos, é bem relevante este problema e há uma necessidade de melhorias urgente.

Outro morador antigo do conjunto Jardim Sakura, o senhor Carlos Takaki, lembra que “este local antes era bem arborizado e hoje, depois que virou conjunto, boa parte das árvores foram tiradas”. 

Para o morador Carlos, está faltando uma boa limpeza nas ruas e terrenos do conjunto, pois, os buracos e os resíduos jogados nas ruas prejudicam o meio ambiente.

E outra reivindicação antiga e que merece atenção urgente, diz ele, é referente a caixa onde é feito, hoje, o descarte de resíduos na fossa. “É necessário se refazer o dreno, tirar toda a sujeira, gordura e jogar os pneus (que ficam ao redor do local) onde é jogado, para que a água possa correr normalmente”, finalizou.

Convém lembrar que diversos condomínios de Manaus, se preparam para desenvolver situações concretas na preservação do meio ambiente. Hoje, têm-se, então o condomínio Flex Parque 10, com inovações bem adequadas, como por exemplo existe hoje, espaços na própria área onde os próprios moradores podem plantar as mudas de diversas árvores, frutíferas ou não, tornado-se, com isso, um dos condomínios mais arborizados da capital amazonense.  

Segundo informações passadas à repórter do JC, através da auxiliar do Síndico do Flex Parque 10, Claudevan de Souza Pereira, de 6 em 6 meses, é realizada a limpeza a caixa de gordura, sendo a dedetização e a  desratização, feita mensalmente, pela empresa Tecnisa.

E ainda, hoje, existe um projeto para se fazer a divisão da reciclagem dos lixos, onde cada um resíduo terá um local específico de descarte, a famosa lixeira nas cores: amarelo, verde, azul e vermelho; tudo em prol da preservação do meio ambiente.

E ainda, segundo disse a secretária do Síndico, Claudevan Pereira, “há um cronograma para se realizar palestras e encontros profissionais específicos da área, com a finalidade de se conscientizar aos moradores do condomínio, referente ao meio ambiente”, finalizou.

Reportagem: Lia Mônica

Redação

Redação

Jornal mais tradicional do Estado do Amazonas, em atividade desde 1904 de forma contínua.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário