Pesquisar
Close this search box.

Comando Militar da Amazônia fortalece comunidades indígenas e ribeirinhas por meio de ações de cidadania e saúde

Compartilhe:​

O Comando Militar da Amazônia (CMA) tem como prioridades ações de cidadania, saúde e apoio para as comunidades indígenas e ribeirinhas. A proximidade com essas comunidades fortalece o sentimento de patriotismo e cidadania em regiões carentes, onde muitas vezes as Forças Armadas são a única presença do Estado.

Um exemplo dessa atuação ocorre em São Gabriel da Cachoeira, localizado a 850 quilômetros da capital Amazonense. Nesse município, o CMA é representado pela 2ª Brigada de Infantaria de Selva (2ª Bda Inf Sl), que é responsável pelo Hospital de Guarnição, que atende tanto a população local como as comunidades ribeirinhas próximas.

Além da assistência hospitalar, o CMA realiza ações cívico-sociais, conhecidas como ACISO, durante as atividades operacionais na região. Essas ações proporcionam atendimento clínico, social e humanitário para as comunidades, evidenciando o apoio do Exército Brasileiro (EB) à sociedade.

Recentemente, a 2ª Bda Inf Sl foi acionada para auxiliar logisticamente as comunidades indígenas das etnias HUPDAH e YUHUPDEH, que enfrentavam vulnerabilidade nas margens do rio TIQUIÉ, um afluente do rio Uaupés. Essas comunidades buscavam acesso à documentação básica e aos benefícios sociais de previdência do município, e o Exército Brasileiro prestou suporte nesse processo.

Devido a problemas técnicos com a informática local, os indígenas precisaram prolongar sua permanência na região oeste de São Gabriel da Cachoeira, em PARAWARI. Essa situação resultou em uma emergência sanitária, na qual os militares atuaram em apoio aos indígenas. Houve também uma reunião emergencial entre os órgãos locais e federais responsáveis pelas comunidades indígenas, visando minimizar os problemas sociais e epidemiológicos causados pela aglomeração excessiva e pela falta de saneamento básico em PARAWARI.

A Brigada, representando o CMA, montou barracas para atendimento das instituições e fornecimento de água potável, revertendo a situação emergencial sanitária dos povos indígenas HUPDAH e YUHUPDEH.

Este é apenas um exemplo das ações diárias dos militares do CMA na região noroeste do Amazonas, fortalecendo os laços com as comunidades indígenas e ribeirinhas. Essas ações promovem a integração com a sociedade regional e evidenciam a importância do Exército Brasileiro na região.

Conhecida como a região da Cabeça do Cachorro, São Gabriel da Cachoeira está localizada na tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Venezuela. Com uma população em sua maioria indígena, representa 10% da população originária. O município abriga 32 etnias indígenas, muitas delas desconhecidas em outras partes do país. Além do português, também são faladas as línguas BANIWA, TUKANO, NHEENGATU e YANOMAMI, tornando-se o único município do Brasil com quatro línguas oficiais.

A 2ª Bda Inf Sl é responsável por sete dos 23 Pelotões Especiais de Fronteira (PEF)  e anualmente incorpora soldados indígenas ao seu efetivo variável, fortalecendo a presença e participação dessas comunidades nas ações militares.

Você sabia…

…que a 2ª Brigada de Infantaria de Selva já teve nome de um cacique indígena antes mesmo de vir para a Amazônia?

A Brigada teve sua origem na 5ª Brigada de Infantaria, fundada em 1915 no Rio de Janeiro. Ao longo do tempo, passou por diversas transformações até se estabelecer como 2ª Brigada de Infantaria de Selva em São Gabriel da Cachoeira (AM) em 2004, quando foi transferida de Niterói (RJ). Nessa ocasião, recebeu o nome histórico de “Brigada Ararigbóia” em homenagem a um importante líder indígena chamado Arariboia (ou Ararigbóia).

Arariboia desempenhou um papel crucial nas batalhas entre portugueses e franceses nos anos 1500. Ele foi aliado dos portugueses e lutou contra as tropas francesas, que contavam com o apoio dos indígenas tamoios, inimigos tradicionais de seu povo. Sua habilidade como guerreiro e estrategista foi fundamental para a vitória dos portugueses na região.

            Recentemente, a Brigada recebeu a nova denominação histórica de “Brigada Rio Negro”, como forma de melhor caracterizar a presença do Exército nessa região estratégica da Amazônia Ocidental.

Comando Militar da Amazônia

Comando Militar da Amazônia

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar