Brigada das Missões: prontidão e compromisso na Defesa da Amazônia

Compartilhe:​

A 16ª Brigada de Infantaria de Selva (16ª Bda Inf Sl), também conhecida como “Brigada das Missões”, por ser originária da região dos Sete Povos das Missões, do Rio Grande do Sul, situa-se no coração da Amazônia, pronta para proteger e defender essa região de rara beleza. Seu papel vai além da segurança, envolvendo a luta contra crimes transfronteiriços e delitos ambientais. Constitui-se, portanto, numa força militar estrategicamente posicionada em Tefé-AM, para preservar a Amazônia e tudo que ela representa.

Com uma área de responsabilidade que abrange 17 municípios do Amazonas, a 16ª Bda Inf Sl tem a missão de proteger uma região equivalente ao tamanho de um país como o Iraque (431 mil km2), fazendo fronteira com a Colômbia e com o Peru por mais de 1500 km. Essa vastidão inclui rios emblemáticos como Japurá, Solimões, Içá e a Terra Indígena do Vale do Javari. Uma área de importância estratégica e riquíssima em biodiversidade.

Nesse sentido, a localização da Brigada desempenha um papel crucial na defesa da Amazônia Ocidental. Em uma área de selva densa, com rios que funcionam como verdadeiras estradas, suas tropas estão posicionadas de maneira estratégica para interceptar e prevenir atividades ilícitas. A presença efetiva nessas áreas-chave permite uma pronta e eficiente resposta, contribuindo para a segurança e a proteção da região amazônica.

Para aumentar ainda mais a cobertura dessa imensa área, os Pelotões Especiais de Fronteiras (PEF) de Vila Bitencourt-AM, Palmeiras do Javari-AM, Estirão do Equador-AM e Ipiranga-AM desempenham um papel crucial no monitoramento, vigilância e defesa na fronteira. Estrategicamente distribuídos, são os chamados “Sentinelas da Pátria” devido ao trabalho dedicado e incansável de homens e mulheres que os compõem, fornecendo o alerta oportuno contra delitos transnacionais e contribuindo para a garantia da soberania do território nacional.

No primeiro semestre deste ano, algo grandioso aconteceu na Amazônia Ocidental. A Brigada das Missões uniu forças com a Marinha, a Força Aérea Brasileira e diversas agências governamentais e não-governamentais para realizar uma série de operações. Entre elas, destacam-se as Operações “JACUIXITO” e “ÁGATA UIARA”, englobando as bacias dos rios Javari e Japurá.

As tropas da Brigada das Missões, com o apoio de suas agências parceiras, não mediram esforços para fazer a diferença. E o resultado foi simplesmente extraordinário! Eles conseguiram realizar a maior apreensão de pasta-base de cocaína dos últimos anos na Amazônia, totalizando impressionantes 480 quilos.

Mas não pararam por aí. Outra conquista significativa foi a neutralização de 25 dragas e o confisco de combustíveis e materiais utilizados no garimpo, totalizando um prejuízo de mais de 81 milhões de reais para os criminosos, o que evitou a produção ilegal de mais de 243 milhões de reais em garimpo. Essa ação foi fundamental para preservar aproximadamente 530 hectares de floresta e, ao mesmo tempo, reduzir imediatamente a contaminação dos rios da região por metais pesados. Essas medidas representam um duro golpe nas atividades ilegais e mostra o compromisso do Exército Brasileiro em combater o crime ambiental na região.

A atuação da Brigada vai além do “Braço Forte”. A “Mão Amiga” do Exército Brasileiro também esteve presente nas mais remotas áreas da Amazônia Ocidental. Por meio de ações cívico-sociais, só neste ano, aproximadamente 3.800 civis já foram atendidos por médicos da Bda, em mais de 60 comunidades indígenas. A proximidade e o cuidado com os povos originários estabelecem um vínculo positivo com as comunidades, fortalecendo a presença do Estado e reduzindo a incidência de delitos nessas regiões.

Em resumo, tais características tornam a 16ª Bda Inf Sl a “Guardiã da Amazônia”. Sua atuação torna-se essencial em uma região caracterizada pela baixa densidade demográfica, difícil acesso e atividade econômica limitada. Uma defensora incansável da soberania brasileira e uma aliada das comunidades da Amazônia. Sua atuação abrange desde a proteção das fronteiras e a repressão ao crime até o amparo e o apoio às populações vulneráveis. A história dessa Brigada é marcada por desafios e conquistas, protegendo tanto a população local quanto o valioso ecossistema amazônico.

Você sabia que…

… o Exército Brasileiro é composto por diferentes tipos de brigadas, cada uma com suas características únicas. Vamos conhecer algumas delas!

As Brigadas são o módulo básico de combate do Exército Brasileiro. Elas integram unidades de combate, apoio ao combate e apoio logístico sob um único comando. Com capacidade de atuar de forma independente e permanente, as brigadas são forças altamente adaptáveis que podem receber outras capacidades, dependendo de suas missões designadas.

Na Amazônia, temos as brigadas de Infantaria de Selva, classificadas como leves. Essas brigadas garantem flexibilidade e rapidez em qualquer parte desse ambiente desafiador. Além disso, brigadas como a de Infantaria Aeromóvel, de Montanha, Motorizada e a Paraquedista também possuem essa classificação.

As brigadas médias são equipadas com plataformas veiculares, geralmente sobre rodas, proporcionando uma proteção blindada relativa. Elas incluem a Infantaria e a Cavalaria Mecanizada, dotadas de alta mobilidade e capacidade ofensiva.

As brigadas pesadas, por sua vez, são especializadas em combates terrestres decisivos. Com a missão de se aproximar do inimigo para destruí-lo ou neutralizá-lo, utilizando uma combinação de fogo e movimento, ação de choque e proteção blindada.

Essas diversas brigadas refletem as várias capacidades estratégicas do Exército Brasileiro, com cada uma desempenhando um papel crucial na defesa do nosso país, o que demonstra o compromisso da Força Terrestre em proteger o território brasileiro.

Comando Militar da Amazônia

Comando Militar da Amazônia

Qual sua opinião? Deixe seu comentário