Pesquisar
Close this search box.

A atuação da 17ª Brigada de Infantaria de Selva na Operação Acre

Compartilhe:​

Apoio à Defesa Civil em resposta ao desastre provocado pelas enchentes

A história do Exército Brasileiro nos Estados da Região Norte do Brasil foi marcada pela estreita proximidade com as populações locais e, consequentemente, pela contribuição ao bem-estar social da região. A atuação da 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Bda Inf Sl) em apoio à sociedade é uma missão contínua desde seu embrião, em 1907.

Historicamente, o Acre vive períodos de cheias e de vazantes de suas bacias hidrográficas. As principais delas, de Sudeste para Noroeste do Estado, são as bacias do Rio Acre, do Rio Purus, do Rio Tarauacá e Envira e do Rio Juruá. Todas são penetrantes, a partir da fronteira com o Peru, onde se concentram as nascentes. Dessa forma, os rios cortam o Acre de Sudoeste para Nordeste, adentrando ao Estado do Amazonas, onde se juntam à bacia do Rio Amazonas. As cidades se desenvolveram às margens desses importantes recursos hídricos.

O último mês de fevereiro foi marcado por chuvas acima do esperado nas cabeceiras destas bacias hidrográficas, provocando uma repentina elevação dos níveis dos rios, ultrapassando as cotas de transbordamento. É comum, nesta época do ano, ocorrerem enchentes no Acre, mas nem sempre da magnitude registrada este ano. Como exemplo, no dia 6 de março de 2024, na Capital Rio Branco, o nível do Rio Acre registrou sua segunda maior enchente, desde 1971. A cota atingida foi de 17,89 metros, sendo que o limite para transbordamento é de 14 metros.

Os primeiros municípios a demandarem apoio da 17ª Brigada de Infantaria de Selva foram justamente aqueles debruçados na fronteira com o Peru. Em 22 e 25 de fevereiro, os Pelotões Especiais de Fronteira (PEF) de Assis Brasil e de Marechal Thaumaturgo, respectivamente, prontamente atenderam ao chamado da Prefeitura Municipal para apoio humanitário às populações assoladas com enchentes em suas residências. A partir deste momento, houve uma escalada na demanda pelo apoio à Defesa Civil no Estado, à medida que os níveis dos rios foram superando as cotas de transbordo, nas comunidades e cidades a jusante.

No dia 25 de fevereiro de 2024, o Governo do Acre decretou Estado de Emergência em 17 municípios, que foi reconhecido pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional. Essa coordenação garantiu o emprego imediato e contínuo dos meios da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, que não mediu esforços para melhor atender às demandas da população assolada pelas enchentes no Acre.

A 17ª Brigada de Infantaria de Selva ativou o Centro de Operações (COp), a fim de melhor coordenar as ações das Organizações Militares sediadas no Estado do Acre e com o Escalão Superior (Comando Militar da Amazônia), bem como para estabelecer um único canal de ligação com as autoridades civis. Dessa forma, a unidade de comando foi consolidada e a coordenação com a Defesa Civil e outras Agências foi regulado, permitindo maior eficiência e eficácia na ajuda humanitária prestada à população do Acre.

O emprego da tropa, junto à Defesa Civil do estado do Acre, FUNAI, DSEI e prefeituras municipais, é um exemplo de integração dos diversos órgãos no apoio à população acreana, que enfrentou a segunda maior cheia registrada em sua história, até o momento.
A Brigada, em cooperação com outros órgãos, conseguiu prestar apoio a grande parcela dos atingidos pelas enchentes. Destaca-se o apoio prestado em 39 (trinta e nove) Comunidades Indígenas, totalizando mais de 4.000 (quatro mil) indígenas assistidos. Assim, as tropas da 17ª Bda Inf Sl tiveram papel fundamental no apoio aos povos originários.

Diuturnamente, militares da 17ª Bda Inf Sl têm realizado a remoção de famílias e seus pertences das áreas alagadas, o transporte de pessoas para abrigos das prefeituras e a distribuição de cestas básicas e água potável, além de desenvolver Ações Cívico Sociais (ACISO) para fornecer apoio médico e odontológico à população.

A atuação da 17ª Bda Inf Sl demonstrou sua aptidão para o pronto-emprego e atendeu rapidamente às demandas humanitárias da população acreana, evidenciando seu compromisso com a sociedade.

CMA CMA

CMA CMA

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar