1 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Caderno: Português em Gotas

Quotidiano e suas surpresas

Vocês bem sabem que o Português EM GOTAS bebe em diversas fontes, sendo a do quotidiano uma delas e, quiçá, a mais surpreendente! É claro que é preciso apurar o olhar e “ligar as anteninhas” para não deixar passar questões que povoam a nossa língua, incluindo também empréstimos idiomáticos. SALÁRIO MÍNIMO X SALÁRIO-MÍNIMO Salário mínimo (sem hífen) é o menor pagamento monetário, definido por lei, que um trabalhador deve receber por seus serviços. O valor é estabelecido por uma lei nacional e vale para todo o país. É revalidado anualmente tendo como base o atual custo de vida da população.

Semelhanças… Nada mais

Já trouxemos, em outras oportunidades, o assunto “parônimos” (vocábulos parecidos), no entanto, como se trata de um campo fértil, vamos aprender um pouco mais com três duplinhas semelhanças entre si e longe de serem equivalentes. GUARITA X GUARIDA Escutei uma pessoa falando  “guarita” em vez de “guarida”. Foi algo assim: “Estou certa de que ele não vai me dar guarita” (errado). “Guarita. s.f. 01. torre nos ângulos dos antigos baluartes, onde se protegiam as sentinelas. 02. casinhola portátil, de madeira ou de outro material, que funciona como abrigo para sentinelas ou outros vigias”. E quanto ao outro vocábulo? “Guarida. s.f.

Coisas de casa

Nunca se esteve tanto em casa quanto nesses tempos bicudos de pandemia. Até quem não era muito ambientado com assuntos desse universo passou a conhecê-lo ou por conta própria ou não. Vamos aproveitar esse período para cuidar do cantinho em que vivemos e observar detalhes que, com a velocidade de outrora, não tínhamos oportunidade de vislumbrar. Trarei hoje três vocábulos que, de repente, até já façam parte de sua casa e você não sabia. FUÊ X “FOUET” Ambas estão corretas, sendo que “fuê” é a forma aportuguesa da palavra francesa “fouet”. Vamos ver o que o dicionário nos revela. “Fuê.

A atmosfera de junho

Junho para mim traz consigo uma atmosfera de infância; de brincadeiras; fogos; estalinhos; de comidas deliciosas; de canções marcantes; de festejos mais do que especiais, me remete a um Brasil ligado às suas raízes, à sua história, ao seu folclore. As festividades dessa época do ano foram trazidas ao nosso país com o nome de “Festa Joanina”, em referência a São João Batista, mas, ao longo dos anos, teve o nome alterado para “Festa Junina”, em referência ao mês no qual ocorre. Reporta-se também aos três santos que aniversariam em junho, quais sejam: Santo Antônio (13), São João Batista (24)

É advérbio ou não é?

Hoje vamos percorrer a seara dos advérbios e relembrar que eles são uma das dez classes de palavras da língua portuguesa. Mas quais são as demais classes de palavras? Acompanhem: substantivo; artigo, adjetivo; numeral; pronome; verbo; preposição; conjunção e interjeição. Os advérbios são invariáveis (não flexionam – em gênero ou  número) e, de modo geral, modificam verbos ao acrescentar uma circunstância a eles (de lugar; de tempo; de modo; de negação; de dúvida; de intensidade e de afirmação). No entanto, o advérbio, também, pode reportar-se a adjetivos e a outros advérbios. Muita teoria, queridos leitores? Vamos à prática! BASTANTE X

Mitologia grega e a língua portuguesa

A Mitologia grega reúne um conjunto de lendas e mitos que foram criados pelos gregos na antiguidade. O objetivo principal era de explicar alguns fatos, como a origem da vida, a vida após a morte ou, até mesmo, os fenômenos da natureza. Há quem argumente que o português veio do latim e, de fato, disso não temos dúvida, mas, então, por que o grego agora? Porque o latim bebeu na fonte do grego, assim como a mitologia romana se inspirou na mitologia grega. Trouxe para hoje quatro vocábulos cuja a etimologia, a origem veio da mitologia grega. Boa leitura! HERMÉTICO

Uma de cada

As palavras que eu trouxe não são formas paralelas, isto é, não se trata de duas possibilidades de acerto. Quando estiverem cara a cara com as três duplinhas de hoje pensem que terão que escolher uma de cada. DIGLADIAR X DEGLADIAR Envidar forças contra si mesmo para escolher o verbo acertado faz parte de um dos desafios de hoje. Relaxem, pois a opção correta é  “digladiar”. Vamos à definição. “Digladiar. 01. Combater com espada, corpo a corpo. 02. Discutir com calor; disputar; combater; contender; lutar”. DISENTERIA X DESINTERIA Há quem logo escolha um sinônimo para não ter que passar por

Soltando o verbo!

Há verbos que de tão esquisitos parecem errados, fazendo com que alguns nunca imaginem que constem em dicionários de língua portuguesa. Hoje vamos “soltar o verbo” e surpreender vocês, queridos leitores, com alguns deles que povoam o léxico de nosso idioma pátrio. MARCAR X MASTIGAR Esses dois verbos são dicionarizados. Possuem diversas acepções, mas trarei uma de cada para ilustrar a coluna de hoje. “Mascar. 01. mastigar sem engolir”. Em compensação, “Mastigar. triturar (os alimentos) com os dentes antes de engoli-los.” Ex: 1. “Mascou vorazmente o fumo enquanto a irmã, o chiclete”. 2. “Masca que relaxa”. 2. “Mastigava o almoço

É isso mesmo, produção?

A foto que ilustra essa página foi a inspiração para o artigo de hoje e, com ela, surgiram três duplinhas que veremos se estão corretas, se são dicionarizadas ou não. Vamos testar os conhecimentos de vocês, quem aceita o desafio? TELEVISOR X TELEVISÃO É sabido que um dos dois vocábulos acima é, hoje em dia, mais usado do que o outro, mas esse tal “outro” está correto, é aceito pela gramática normativa? Será que foi abolido pelo Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, de 2016? O mais conhecido é o substantivo feminino “televisão” (“a TV”). Já o “outro” é o

Surpresos?

A minha inspiração para o artigo de hoje tem endereço certo, mais particularmente no meu prédio. Pegamos o elevador juntas e ela me perguntou se a gramática havia mudado quanto ao gênero do substantivo “bebê”. O andar chegou deixando eu e ela com um gostinho de quero mais. Quando o papo é agradável acontecem essas coisas, não é mesmo? E, juntamente com “bebê”, escolhi mais outra palavra e também uma expressão.  O BEBÊ X A BEBÊ O que a minha vizinha afirmava é que não existe o gênero feminino para esse substantivo, isto é, há somente “O BEBÊ”. E sabe

No meio do caminho havia três pedras

É sabido que o Português EM GOTAS bebe na fonte do quotidiano; das indagações que nos acompanham no correr do dia; daquela leitura que gera questionamentos, que nos impulsionam a consultar um dicionário; da dúvida aparentemente boba, mas que às vezes perturba até o juízo, enfim, basta um olhar atento e curioso para surgir uma série de interrogações…que bom! Nessa quarta-feira trouxe três pedrinhas no sapato, são elas: seriíssimo, soçobrar e claudicar. SERIÍSSIMO Gera uma certa estranheza? Não há sombra de dúvida, no entanto o que está devidamente dicionarizado é essa forma para designar o superlativo absoluto sintético de “sério”.

Pronunciar não é mole, não!

A língua portuguesa é repleta de palavras cuja pronúncia nos pega de calças curtas; nos olha de esguelha; desdenha-nos e ainda faz pouco de nós! As eleitas de hoje, são: sublinhar; inexorável e abrupto. SUBLINHAR Para compreender a pronúncia desse vocábulo basta consultar um bom dicionário. “Sublinhar. 01. Traçar uma linha abaixo”. Geralmente se vale desse recurso para dar, por exemplo, maior realce a uma palavra ou a fragmentos de um texto. Então, na hora de pronunciar lembrem-se da separação silábica de “sublinhar”, qual seja: “sub-li-nhar” (correta). Esqueçam da opção “su-bli-nhar” (errada). INEXORÁVEL Convenhamos, para que serve uma pronúncia acertada