22 de maio de 2022

Caderno: Memória JC

A Odisseia de um Seringueiro – 1° Parte

A Odisseia de um Seringueiro – 1° Parte

“De todos os animais, o homem é o único que é cruel. É o único que inflige dor pelo prazer de fazê-lo”. – Mark Twain (1835-1910), escritor e humorista estadunidense. A ascensão econômica da Amazônia na virada do século XIX para o XX é, na maioria das vezes, exaltada de forma romântica, um tempo que deixou saudades naqueles que não o viveram, mas se imaginam nos mesmos espaços registrados em cartões-postais e fotografias do período. Por trás desse romantismo construído por uma historiografia tradicional e saudosista, existem trajetórias anônimas, ignoradas, daqueles que, embrenhados nos seringais, foram os verdadeiros construtores da

A trajetória de um jornal centenário

A trajetória de um jornal centenário

São poucas as empresas que chegam aos 100 anos. Mais raras ainda são as que ultrapassam essa marca. Deve-se refletir sobre a importância dessas instituições, que por gerações contribuem para o desenvolvimento socioeconômico das sociedades que lhes deram origem e das quais fazem parte. Uma delas é o Jornal do Commercio de Manaus. Fundado em 02 de janeiro de 1904, é o periódico mais antigo da região Norte e um dos antigos do Brasil. Surgiu pelas mãos do Major Joaquim Rocha dos Santos (1851-1905), português radicado no Brasil desde 1862 (BITTENCOURT, Agnello. Dicionário Amazonense de Biografias: vultos do passado. Rio

Almanaque Administrativo, Histórico, Estatístico e Mercantil da Província do Amazonas (1884)

Almanaque Administrativo, Histórico, Estatístico e Mercantil da Província do Amazonas (1884)

O ‘Almanaque Administrativo, Histórico, Estatístico e Mercantil da Província do Amazonas (1884)’ é um interessante e importante documento histórico sobre nosso Estado. Nele se encontram valiosas informações sobre a administração, o comércio, a política e a História do Amazonas nos anos finais do Império. Um documento de sua importância era há muito aguardado pelos administradores públicos, pois a economia do Amazonas, graças às atividades ligadas à extração do látex, começava a se expandir. Para que essa expansão fosse contínua, atraindo investimentos, tornou-se necessário divulgar informações detalhadas sobre a Província. O almanaque só não fora produzido antes dados os avultados custos

Rua Lauro Cavalcante

Rua Lauro Cavalcante

Com início na Avenida Getúlio Vargas, passando pela Avenida Joaquim Nabuco e terminando na rua Igarapé de Manaus, a rua Lauro Cavalcante é uma pequena e tradicional via pública do Centro Histórico de Manaus. O presente texto será o primeiro de uma série de postagens sobre a história das ruas da cidade. Sua história tem início em 1917. Até esse ano ela era a continuação da rua Henrique Martins. Com o falecimento do médico Lauro E. Cavalcante nesse mesmo ano, o Superintendente Municipal Sérgio Rodrigues Pessoa, em sessão de 24 de outubro de 1917, em reconhecimento aos feitos desse profissional,

A La Ville de Paris, em Manaus

A La Ville de Paris, em Manaus

A joalheria A La Ville de Paris (foto do amigo Christoph Berquet), cujo imponente prédio, entre a Avenida Sete de Setembro e a rua Lobo d’ Almada, ainda existe, foi uma das mais refinadas e tradicionais de Manaus, tendo funcionado por quase um século, de 1878 a 1963. Quando da sua inauguração, a Avenida Sete de Setembro era conhecida como Rua Brasileira, e a rua Lobo d’ Almada como Travessa da Matriz. O empreendimento foi idealizado pelos comerciantes e irmãos Maurice Aron, Henri e Lucien Levy, judeus naturais da Alsácia, na França (BLAY, Eva Alterman. O Brasil como destino. 2017,

Filme: Uma Cidade sem Passado (1990)

Filme: Uma Cidade sem Passado (1990)

Assisti esse filme pela primeira vez em 2017, na disciplina Metodologia da Pesquisa Histórica do segundo período da Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Ajudou de forma imensurável na compreensão dos embates e disputas de poder que envolvem a pesquisa histórica. Uma Cidade sem Passado, do diretor Michael Verhoven, é um drama alemão baseado em fatos lançado em 1990. Nele acompanhamos a trajetória de Sonja Rosenberg, interpretada pela atriz Lena Stolze, em recuperar, para um concurso de redação, a História de sua cidade, Pfilzing, durante o III Reich (1933-1945). Ao iniciar sua pesquisa em jornais, arquivos e

Inauguração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Manaus (1878)

Inauguração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Manaus (1878)

A Catedral de Nossa Senhora da Conceição, ponto de referência de fé, tradição e cultura na vida dos amazonenses, está localizada na Praça Oswaldo Cruz, popularmente conhecida como da Matriz, no Centro. É a principal e mais antiga igreja da cidade, erguida no período Provincial entre 1858 e 1878. Essa construção substituiu a antiga, dos tempos da administração de Manuel da Gama Lobo d’ Almada (1788-1799) e incendiada em 1850. Até sua conclusão, serviu de igreja matriz da cidade a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios. A pedra fundamental do novo templo foi lançada às 7 da manhã do dia

Livraria Nacional, a mais antiga de Manaus

Livraria Nacional, a mais antiga de Manaus

Quem passa pela rua 24 de Maio, no Centro, pode nunca ter notado que nela, em um prédio de dois andares erguido no início do século passado, está localizada a livraria mais antiga de Manaus em funcionamento. Trata-se da Livraria Nacional, inaugurada em 1975, propriedade dos irmãos José Maria Monteiro Mendes, João Batista e Paulo Roberto. Os negócios tiveram início com José Maria, natural de Manaus, pedagogo, que começou cedo no ramo dos livros, mas em Belém, no Pará, para onde a família mudou-se entre novembro e dezembro de 1951, quando ele tinha apenas 9 meses. Bastante estudioso, foi encaminhado,

Nos tempos da Rua do Imperador

Nos tempos da Rua do Imperador

A rua Marechal Deodoro, no Centro de Manaus, é famosa pelo movimentado comércio, sendo popularmente conhecida como rua do Bate Palma, em referência à forma como os vendedores divulgam seus produtos. Há mais de 150 anos, quando Manaus era capital da Província do Amazonas, seu nome era outro: Rua do Imperador, em homenagem ao Imperador Dom Pedro II (1825-1891).  A então rua do Imperador tinha início na Rua da Boa Vista (Marquês de Santa Cruz), estendendo-se até a Rua Brasileira (Avenida Sete de Setembro). Até 1870 ela tinha um aspecto acanhado, principalmente pela ausência de calçamento. Em 1868 a Câmara

10 de Julho de 1884

10 de Julho de 1884

No dia 10 de julho de 1884, o Presidente Theodoreto Carlos de Faria Souto (1841-1893) abolia a escravidão na Província do Amazonas. O Amazonas foi a segunda Província a abolir a escravidão, pois em 25 de março de 1884 o Ceará anunciava a emancipação de seus escravos. Antes disso, em 24 de maio do mesmo ano, a escravidão fora abolida em Manaus. Desde 1869 valores eram adicionados, mediante emendas parlamentares, ao orçamento da Província, para a compra de alforrias. Foi em uma quinta-feira, no dia 10 de julho de 1884, às 12 horas, que o Presidente Theodoreto Souto declarou, na

A datilografia em Manaus

A datilografia em Manaus

Apesar da máquina de escrever ter sido inventada no século XVIII e aperfeiçoada no XIX, a datilografia se popularizou apenas no início do século XX. As empresas e repartições públicas daquele período procuravam cada vez mais a rapidez e a eficiência. Gastava-se um tempo precioso no preenchimento de notas e emissão de documentos escritos a mão. A datilografia possibilitou a produção de documentos através da digitação, uma forma bem mais rápida que a tradicional. As máquinas de escrever começaram a ser comercializadas em Manaus no início do século XX. As máquinas das marcas Royal, Underwood e Remington eram anunciadas, nos