8 de dezembro de 2021

Caderno: Guia JC

Portas abertas e janelas fechadas

Portas abertas e janelas fechadas

Chegou a hora de tudo reabrir. Pelo menos essa é a decisão da maioria dos governantes brasileiros. Em Manaus, bares lotados, restaurantes abarrotados, shoppings a todo vapor.  É o novo normal versão baré.  Por aqui, o verão amazônico chegou, trazendo com ele os banhistas nos nossos rios e as queimadas nas nossas florestas.  Flutuantes estão quase afundando de tanta gente. As águas do Tarumã estão apinhadas de gente mergulhando, nadando, esquiando em seus jets e iates. Esse é o novo normal no coração da Amazônia. Tudo isso diante de nossos olhos e enquanto a gente passeia pelas nossas cachoeiras e

O show continua, mesmo na pandemia

O show continua, mesmo na pandemia

A pandemia do novo coronavírus nos trancou em casa por mais de três meses. Muita coisa ruim aconteceu no mundo. Mas, justiça seja feita… muito devemos à música! Ela nos deixou ligados; trouxe novos projetos; uniu as pessoas em lives incríveis; proporcionou horas de entretenimento nos canais de streaming… ela não parou. O show continuou. A despeito de tudo que mudou e ainda vai mudar, a esperança dos meros mortais é sobreviver um dia de cada vez e a música nos deu essa sensação. Ela sobreviveu apesar dos shows cancelados. Ela nos alimentou apesar de muitos músicos terem passado por

‘Velho normal’ na noite manauara

‘Velho normal’ na noite manauara

Aos poucos tudo vai voltando ao normal. Ou melhor “novo normal” como agora todo mundo resolveu se referir às nossas vidas pós-pandemia. Mas, o que tem de novo na vida normal dos manauaras? Nós que saímos às ruas, seja para trabalhar ou comer um pão com tucumã na padaria, conseguimos ver algo de novo? Fora algumas mesas a menos nos restaurantes para dar a entender que estamos preocupados com o distanciamento… o que há de novo? Respondo: nada.  Aglomerações; festas; bares lotados; padarias lotadas e a praça do Eldorado… ah, esse local mudou. E muito. Antes da pandemia, não dava

Lives caboquinhas na área

Lives caboquinhas na área

Não estamos ainda podendo contar com os showzinhos ‘de lei’ dos nossos artistas amazonenses. Mas, isso não significa que a música pode parar

Lives quentes dos manauaras

Lives quentes dos manauaras

Chegou o período do ano mais difícil para o amazonense: o verão. É sol pra todo lado. Nem de noite o amazônida tem paz. O calor é infernal. Fora isso, parece que nunca teve coronavírus em Manaus. Todo mundo na rua. Restaurantes, bares, shoppings, lojas.. tudo aberto. No nosso mundinho pós-pandemia (sim, porque parece que covid-19 é favas contadas em Manaus, tamanho descaso popular) até pracinha e avenidas estão dando gente… não precisa nem de DJ. Mas, parece que a época de pegar fogo se espalhou do Amazonas para o Brasil. A política está queimando tudo. Investigações estão pegando fogo.

Lives amazônicas para sua alegria

Lives amazônicas para sua alegria

Oficialmente, está acabando a quarentena em Manaus. Há calendários próprios para cada cidade, mas, definitivamente, a capital amazônica saiu na frente. Claro que os eventos ainda vão demorar mais para acontecer, no entanto, estabelecimentos como restaurantes, bistrôs, lanches, shoppings e demais estabelecimentos comerciais já reabriram as suas portas. É como se fosse uma nova tela de pintura, que já conta com os rabiscos e desenhos, mas ainda não tem cor. Vamos precisar de um pouco mais de paciência para colorir novamente nossas telas de pintura. Mas, o primeiro passo foi dado.  Obviamente, o vírus mortal que nos trancafiou em casa