16 de janeiro de 2022
é especialista em negócios digitais, editora da coluna Mais Empresárias
é especialista em negócios digitais, editora da coluna Mais Empresárias

Raquel Omena

Desenhando os caminhos do negócio

Em tempos de “canva”, o designer “raiz” vale ouro! Arrisco-me a começar a coluna com essa frase porque nesses últimos anos estamos assistindo o conhecimento técnico ser substituído e muitas vezes sucateado pelo surgimento de ferramentas digitais que oferecem ideias e templates prontos para qualquer usuário se autodenominar designer. Não é verdade? Quando me apaixonei pelo mercado digital, ele estava ainda no início, e eu precisava entender o conceito de “Design Thinking” e adaptá-lo aos modelos de negócios inovadores. Criar empatia, definir, idealizar, prototipar e testar, era a receita do bolo para se entrar no mercado ou desenvolver empresas de

“Influência é moeda digital em valorização”

Era para ser apenas um momento de reflexão, mas acabou viralizando nas redes sociais. Quantas vezes já não presenciamos isso? Claro que em um mundo cada vez mais digital, fica muito mais fácil assistir sua opinião reverberando a cada like, comentário, marcação e compartilhamento. Estamos totalmente familiarizados com os “digitais influencers” como profissão, seja Youtubers, blogueiros, instagrammers e twitters, porém foi criada uma categoria para aqueles que produzem conteúdo de forma mais profissional para a web, independente da rede social em que atuam. O mercado de trabalho percebeu os benefícios que esses profissionais trazem e os acolheu, utilizando o poder

Em busca do beat perfeito

Trabalhar com música é, sem dúvida alguma, apaixonante. Imaginar sua música fazendo sucesso é o sonho de todo artista, possuir milhares de streamings nas plataformas digitais, fãs, viagens pelo Brasil a fora e claro, ganhar dinheiro fazendo o que gosta. O cenário musical pode ter mudado a sua forma de propagação, mas os sonhos de quem quer seguir carreira continua o mesmo. E como fazer para começar a trilhar esse caminho? Eu, assim como muitos adolescentes sonhava com o sucesso da minha banda. Em 1999 não era muito comum uma garota de 15 anos dominando a bateria de uma banda

Acessórios, design, conceito e cenário juntos

Bom, é difícil falar sobre qualquer negócio hoje sem citar este momento atípico pelo qual vive o mercado. Alguns setores estão indo de mal a pior, outros deslancharam. Enquanto muitas lojas fecharam, outras abriram, e, assim, apesar de serem tempos incertos, provocam a situação ideal para nos reinventarmos. No setor de acessórios e nas marcas que envolvem autorias de joias e bijuterias não seria diferente. Porém, para quem se adaptou a nova situação, houve um aumento considerável no número de vendas online durante os meses de pandemia. Entre os principais motivos estão o foco exclusivo da venda nas redes sociais

Quatro conceitos para uma inovação

Todo empreendedor iniciante que se preze passa pela fase de pesquisa sobre o mercado em que pretende investir. Em uma rápida busca pelo google você pode encontrar diversas dicas que vão desde o processo de amadurecimento da ideia antes da abertura a preparação do plano de negócios, as pesquisas de mercado e de concorrência, até que todo esse feedback colecionado faça sua cabeça vislumbrar o real potencial do que você quer trazer ao mundo.   A coluna de hoje vai ser um pouco diferente. Primeiro porque existem ideias que parecem promissoras e rentáveis na nossa cabeça, porém quando colocada em prática

“Use e abuse da criatividade”

Vender bem é o segredo para o sucesso de qualquer empreendimento. Desde um negócio informal a empresas multinacionais, vender é o objetivo. Claro que a maioria das empresas possuem um propósito, uma luta, uma missão pela qual montou o negócio, mas “sem vendas – sem dinheiro”. E se não houver dinheiro não existe outra forma de custear seus colaboradores e manter-se funcionando. Além das vendas, todo empreendedor quer fazer com que o seu negócio seja conhecido, reconhecido e comentado. Aquele ego as vezes fala super alto e a gente morre de vontade de criar algo bem original que fique famoso

“Sejam ousados. O mercado quer isso”

Tubulações aparentes, paredes sem acabamento e com tijolos à mostra, utilização acentuada de cimento queimado, bases estruturais de ferro e iluminação diferenciada, cores sóbrias como preto, cinza e branco. Se eu te pedisse para imaginar uma casa construída utilizando os elementos citados, automaticamente na sua cabeça, surgiria uma séria de interrogação sobre o sucesso dessa decoração, não é mesmo? Falando assim, parece que estamos imaginando uma fábrica ou indústria, provavelmente abandonada ou pior, daquelas que fecharam antes mesmo de terminar a construção. Mas, é exatamente isso. Na década de 1950, alguns galpões abandonados, onde funcionavam ateliês de pintura e fábricas,

Pequenas porções de amor na sua festa

Vamos parar por um segundo e fazer uma reflexão? Quantas pessoas você soube que casaram-se esse ano? Quantos aniversários o facebook alertou e você deu os parabéns? Sem contar o número de posts com homenagens e fotos da festa esta semana que você viu rolando na sua timeline do instagram? E aquela sua amiga que ganhou bebê e todo mês faz uma festa para a criança, o tal do mêsversário. Ainda tem as confraternizações das empresas, o happy hour e até aquele dia especial que seu chefe decidiu comemorar porque a meta do mês foi batida! Agora, isso é só

“Tudo é uma possibilidade de venda”

Todo negócio parte de uma necessidade não atendida somada a uma ação para atendê-la. Pelo menos é assim que as grandes ideias surgem. Você identificou a demanda de algum produto ou serviço, e percebeu que essa carência está afetando um número significativo de pessoas. Você começa a enxergar as possibilidades de rentabilizar essa necessidade, querer ingressar nesse mercado e criar uma identidade mercantil, já que você já pensou nos clientes em potencial. Agora que isso foi dito, vamos pensar num exemplo. Acredito que você bem sabe que o Brasil é sinônimo de clima tropical. Aquele calor típico das principais regiões do

“Onde há uma tela, há movimento”

Você sabe qual é a diferença entre uma agência de publicidade e uma agência de marketing digital? Para quem é um pouquinho mais velho e atuava na área antes da internet, sabe muito bem que fazer propaganda não era uma coisa tão fácil como de certa forma é hoje. Um post no Instagram, um anúncio patrocinado no Facebook ou no Google ou até a contratação de um gestor de redes sociais por mais caro que você possa pensar, nada se compara ao custo que as empresas tinham para ganhar visibilidade e fazer a divulgação do seu produto ou serviço. Imagina como

“A decisão mais importante é o start”

Quem nunca sonhou em ter seu próprio bar? Mesmo aqueles que não tem perfil empreendedor e nem manifestaram vontade de abrir uma empresa, já pensaram em como seria legal montar um pub descolado e divertido. Música boa, cerveja gelada, ambiente gostoso. É claro que a premissa básica para esse desejo é gostar de frequentar lugares novos, diferentes e principalmente, apreciar música e a vida noturna. Assim como eventos, shows, música, teatro e dança, os bares estão inseridos no setor de Entretenimento. E como bem sabemos, a situação não está fácil. A expectativa de crescimento de empresas do segmento de entretenimento

O risco que o novo empresário gosta

Muito se fala sobre o quanto as dificuldades podem ser criadoras de oportunidades. Porém se analisarmos a fundo, é necessário um outro tipo de percepção da sociedade para identificar uma demanda não atendida. Não é só você ter força de vontade ou uma grande ideia, outros fatores influenciam de forma crucial no sucesso do seu negócio. Analisando o mercado de forma independente destes fatores, o empreendedorismo no Brasil cresceu a passos largos. O índice de jovens empreendedores ultrapassou 17% de crescimento entre os anos de 2017 e 2018.  Por que você acha que houve esse aumento? Será que os jovens estão