3 de dezembro de 2021
é empresário
é empresário

Luiz Lauschner

Nosso privilégio

Comer peixe é um hábito de todos os povos que vivem perto de rios ou do mar. O Rio Amazonas, com seus inúmeros afluentes, é um fornecedor permanente de peixes para a população da região. O peixe, como fonte de alimento, é algo tão arraigado que não pode ser chamado de hábito e sim de necessidade. Se não estiver presente todos os dias na mesa do povo ribeirinho a dieta fica prejudicada.   Manaus, a cidade que se multiplicou por oito nos últimos 50 anos e, pelo andar da carruagem não pretende parar embora já tenha mais de dois milhões e

Ingredientes originais

O Brasil é um país para onde convergiram pessoas de todos os locais. Impossível que isso não influenciasse na comida. Somente o povo europeu tem características que mudam de país para país de maneira muito saliente. Na terra tupiniquim todos convivem com os mesmos ingredientes, porém as receitas originariamente são bem diferentes. Recentemente os asiáticos, japoneses e chineses, simplesmente invadiram as cidades grandes e pequenas com suas iguarias desconhecidas até há pouco tempo. Da Europa, os portugueses vieram em maior número e trouxeram de lá seus hábitos alimentares; Os italianos conhecidos por suas massas e aqui desenvolveram a indústria vinícola

O Brasil merece o prêmio, sim!

Ao ler um artigo do grande escritor Júlio Antônio Lopes, em que questionava o fato de nenhum brasileiro jamais ter conquistado o Prêmio Nobel, em qualquer categoria, meditei que talvez o próprio Prêmio Nobel pudesse estar errado. O brasileiro é a pessoa que diz amar ao seu país, mas quando um noticiário estrangeiro o ataca, ele corre a jogar lenha na fogueira e não o defende. Poucos povos são tão inventivos quanto o povo brasileiro. Por outro lado, poucos países criam leis que estão tão distantes da realidade como o Brasil. Sem querer ser um ufanista tupiniquim, torna-se necessário enumerar

O rumoroso caso da Ford

A concorrência entre marcas de automóveis sempre foi bem acelerada. Às vezes, em primeira marcha ou até em ponto morto na descida ela nunca deixou de ser antropofágica. Como diz a gíria popular, é cobra engolindo cobra. No Brasil, pelo menos seis marcas grandes, isto é, cujos produtos foram comercializados em todo o Brasil, não viram a chegada do novo milênio. No mundo todo não é muito diferente.  Alguém se lembra do Fenemê, o caminhão o caminhão gigantesco, com seu motor a Diesel, de seis cilindros, todo em alumínio facilmente reciclável? Fábrica Nacional de Motores estatal que foi vendida para

Metendo a colher (Parte 2)

Quando escrevi sobre a mania que os americanos têm de se meter a colher onde não são chamados, muitos me deram os parabéns.  Logo em seguida, estes mesmos americanos protagonizaram um show digno da Bolívia, Venezuela ou outro lugar qualquer onde a democracia só é boa quando favorece algum grupo específico.   Podemos exercer nosso direito de “recíproca verdadeira” e meter nossa colher nisto? Afinal, temos PHD em medidas arbitrárias. Evidente que eles sabem corrigir seus erros sem se preocuparem muito com o exemplo, nem com a opinião do mundo todo. Há pouco tempo um policial matou um preso indefeso com sete

Metendo a colher

Tanto aqui, como lá, há muitos políticos demagogos falando sobre coisas da qual nada sabem. Ninguém duvida da inteligência e da capacidade de Joe Biden como líder do país mais influente do mundo. Porém a declaração de “arrecadar 20 bilhões de dólares para salvar a Amazônia” veio na contramão do que se espera de um político bem informado. Tamanha besteira é comparável a de um candidato a vereador do interior que promete mudar a lei de aposentadoria federal.  Os americanos acreditam que possam resolver com dinheiro os problemas que só se resolvem com educação, ensinada diariamente aos habitantes de uma

Sem oba-oba, mas com otimismo

Se fizermos uma enquete entre as pessoas de meia idade ou mais, para perguntar qual foi o pior ano de sua vida, muitos diriam que foi este ano de 2020. Para um agricultor o pior é quando não chove na época certa, ou chove demais quando não deveria. Para o mundo foi o covid 19. O homem moderno não acreditava mais que uma catástrofe nessas proporções ainda pudesse acontecer em nosso século. O mundo todo parou e viu sua economia se esfarelar.   Contudo, o homem forjado nesse fogo das intempéries renasce mais forte, mais planejador, menos esbanjador, mais equilibrado.

Homenagem ou deboche?

Muitos dos animais que “representam” os times de futebol ou até mesmo personalidades são frutos da jocosidade ou tentativa de ofensa pura e simples ocorridos na origem. Algumas mascotes também são homenagens. Diversos times europeus e asiáticos têm entre suas mascotes cavalo, cachorro, jacaré, coruja, veado. No Brasil a incorporação de alguns animais se deu por puro cansaço de rebater as ofensas. O Palmeiras, que tinha somente o periquito como sua mascote, adicionou o porco, que deixou de ser xingamento e foi homenageado, porque representa muito da cultura de seus fundadores. Do porco é extraída a popular mortadela, tão consumida

Amazônia para os amazônidas

Por que, se as ONGs pretendem cuidar das pessoas, existem tão poucas no pobre nordeste e milhares na rica Amazônia?

Ladrões de banco

Existe um ditado entre os ricos. Quando falo “ricos”, quero dizer os muito ricos. Pois é, há um ditado entre eles que diz: “se você quer roubar um banco, deve antes compra-lo”. Para aquele que imaginou as cenas de assalto em filmes de faroeste, com armas de grosso calibre e fuga em cavalos velozes, com todos os assaltantes mascarados, errou feio. Uma arma muito mais potente, que tira o dinheiro do bolso do usuário sem machuca-lo, não é um revólver, mas um computador. Também os assaltantes não vêm de fora, mas de dentro do banco. Não se rouba ao banco,

Direitos, conquistas e regalias

Desde os tempos em que Getúlio Vargas copiou a Carta de Lavoro da Itália fascista “criando” a nossa legislação trabalhista, muita água já correu em baixo da ponte. Lá se vão mais de 80 anos.  Os trabalhadores assalariados foram conquistando  estabilidade e garantias que foram incorporados aos seus direitos e à própria legislação. O grande guarda chuva da proteção estatal criou penduricalhos para disfarçar o baixo ganho do trabalhador e do aposentado.  Hoje os trabalhadores contam com dois seguros desemprego (O FGTS e o outro)  e os dois não são completos. O aposentado tem direito a transporte público gratuito porque o valor da aposentadoria

O que foi a eleição do William Alemão?

A eleição de um representante de bares, casas de show e restaurantes é uma novidade em Manaus. Primeiramente a coragem do candidato em se colocar abertamente como tal. Durante toda a campanha mostrou sua indignação com a discriminação histórica que passa o setor, agravada nesta pandemia.   A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL) classifica o setor como “de alimentação fora do lar” que, na verdade é um eufemismo e parece restringir a associação aos restaurantes, como de fato, em algumas cidades acontece. Isto está mudando, graças a um trabalho continuado.  William Alemão cansou dessa discriminação e partiu para a