8 de dezembro de 2021

Joyce Tino

Mitologia grega e a língua portuguesa

A Mitologia grega reúne um conjunto de lendas e mitos que foram criados pelos gregos na antiguidade. O objetivo principal era de explicar alguns fatos, como a origem da vida, a vida após a morte ou, até mesmo, os fenômenos da natureza. Há quem argumente que o português veio do latim e, de fato, disso não temos dúvida, mas, então, por que o grego agora? Porque o latim bebeu na fonte do grego, assim como a mitologia romana se inspirou na mitologia grega. Trouxe para hoje quatro vocábulos cuja a etimologia, a origem veio da mitologia grega. Boa leitura! HERMÉTICO

Uma de cada

As palavras que eu trouxe não são formas paralelas, isto é, não se trata de duas possibilidades de acerto. Quando estiverem cara a cara com as três duplinhas de hoje pensem que terão que escolher uma de cada. DIGLADIAR X DEGLADIAR Envidar forças contra si mesmo para escolher o verbo acertado faz parte de um dos desafios de hoje. Relaxem, pois a opção correta é  “digladiar”. Vamos à definição. “Digladiar. 01. Combater com espada, corpo a corpo. 02. Discutir com calor; disputar; combater; contender; lutar”. DISENTERIA X DESINTERIA Há quem logo escolha um sinônimo para não ter que passar por

Soltando o verbo!

Há verbos que de tão esquisitos parecem errados, fazendo com que alguns nunca imaginem que constem em dicionários de língua portuguesa. Hoje vamos “soltar o verbo” e surpreender vocês, queridos leitores, com alguns deles que povoam o léxico de nosso idioma pátrio. MARCAR X MASTIGAR Esses dois verbos são dicionarizados. Possuem diversas acepções, mas trarei uma de cada para ilustrar a coluna de hoje. “Mascar. 01. mastigar sem engolir”. Em compensação, “Mastigar. triturar (os alimentos) com os dentes antes de engoli-los.” Ex: 1. “Mascou vorazmente o fumo enquanto a irmã, o chiclete”. 2. “Masca que relaxa”. 2. “Mastigava o almoço

É isso mesmo, produção?

A foto que ilustra essa página foi a inspiração para o artigo de hoje e, com ela, surgiram três duplinhas que veremos se estão corretas, se são dicionarizadas ou não. Vamos testar os conhecimentos de vocês, quem aceita o desafio? TELEVISOR X TELEVISÃO É sabido que um dos dois vocábulos acima é, hoje em dia, mais usado do que o outro, mas esse tal “outro” está correto, é aceito pela gramática normativa? Será que foi abolido pelo Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, de 2016? O mais conhecido é o substantivo feminino “televisão” (“a TV”). Já o “outro” é o

Surpresos?

A minha inspiração para o artigo de hoje tem endereço certo, mais particularmente no meu prédio. Pegamos o elevador juntas e ela me perguntou se a gramática havia mudado quanto ao gênero do substantivo “bebê”. O andar chegou deixando eu e ela com um gostinho de quero mais. Quando o papo é agradável acontecem essas coisas, não é mesmo? E, juntamente com “bebê”, escolhi mais outra palavra e também uma expressão.  O BEBÊ X A BEBÊ O que a minha vizinha afirmava é que não existe o gênero feminino para esse substantivo, isto é, há somente “O BEBÊ”. E sabe

No meio do caminho havia três pedras

É sabido que o Português EM GOTAS bebe na fonte do quotidiano; das indagações que nos acompanham no correr do dia; daquela leitura que gera questionamentos, que nos impulsionam a consultar um dicionário; da dúvida aparentemente boba, mas que às vezes perturba até o juízo, enfim, basta um olhar atento e curioso para surgir uma série de interrogações…que bom! Nessa quarta-feira trouxe três pedrinhas no sapato, são elas: seriíssimo, soçobrar e claudicar. SERIÍSSIMO Gera uma certa estranheza? Não há sombra de dúvida, no entanto o que está devidamente dicionarizado é essa forma para designar o superlativo absoluto sintético de “sério”.

Pronunciar não é mole, não!

A língua portuguesa é repleta de palavras cuja pronúncia nos pega de calças curtas; nos olha de esguelha; desdenha-nos e ainda faz pouco de nós! As eleitas de hoje, são: sublinhar; inexorável e abrupto. SUBLINHAR Para compreender a pronúncia desse vocábulo basta consultar um bom dicionário. “Sublinhar. 01. Traçar uma linha abaixo”. Geralmente se vale desse recurso para dar, por exemplo, maior realce a uma palavra ou a fragmentos de um texto. Então, na hora de pronunciar lembrem-se da separação silábica de “sublinhar”, qual seja: “sub-li-nhar” (correta). Esqueçam da opção “su-bli-nhar” (errada). INEXORÁVEL Convenhamos, para que serve uma pronúncia acertada

Verbos capciosos

Você há de estar se perguntando o porquê dessa adjetivação, eu explico. Escolhi para hoje alguns verbos que condizem à classificação de “capciosos”, dado ao fato de serem um tanto ardilosos, arguciosos para iludir-nos. São eles: “deseducar”; “supor”; “há anos atrás” (“Anos atrás”). DESEDUCAR Chegou até mim a dúvida se existia o verbo “deseducar”. Tanto existe o verbo quanto, por exemplo, o substantivo feminino “deseducação”. Vamos aos significados. “Deseducar. 01. Estragar a educação de. 02. Educar mal”. Ex: “os avós são pais com açúcar, duvido que essa doçura amorosa deseduque os netos. SUPOR O verbo “supor” é derivado do verbo

Respeito sempre é válido

Existe a máxima de que uma imagem vale mais do que mil palavras. Bem, e quanto se trata de cinco imagens? Apesar da maioria delas, citadas abaixo, serem autoexplicativas, ainda há pessoas que não sabem o significado, por exemplo, do laço colorido constante na placa. Além da linguagem escrita existem diversos tipos de linguagem, prestem atenção nisso e respeitem os estacionamentos preferenciais e as prioridades determinadas por lei, isso é cidadania, e não favor. IDOSOS Em virtude de nossos idosos estarem chegando aos sessenta anos cada vez mais dispostos, esse símbolo vem sendo substituído por um bonequinho esbelto acompanhado da

Sentar-se à mesa?

O hábito de reunir-se para as refeições voltou, e vemos com maior frequência famílias sentadas, interagindo, dialogando durante essas ocasiões em que tantos ensinamentos podem ser transmitidos, problemas podem ser minimizados ou solucionados. Hoje trarei algumas preposições, mas, antes, saberemos o que são preposições.  SENTAR NA MESA X SENTAR À MESA Preposição é a classe de palavras que conecta elementos entre si, é invariável e estabelece relação de vários sentidos entre as palavras que liga. Definição devidamente posta, vamos aos exemplos acima. Notem que ambos existem, mas é a preposição que definirá a semântica, o sentido de cada oração. Sentar

Passando a casa a limpo!

Em alguns estados do Brasil ainda se tem o hábito de dispor de uma pessoa para fazer as atividades domésticas, que não seja o próprio dono da casa. Nesse período atípico de isolamento social e com um inimigo invisível à nossa espreita, a higiene pessoal e de nossas casas passaram a ser mais criteriosas. No entanto, a ajuda proporcionada por esses “funcionários do lar” foi suspensa, pelo menos provisoriamente, até as coisas se amainarem. Sendo assim, arregacemos as mangas, estejamos munidos dos apetrechos de limpeza necessários e vamos à luta! SANEANTES São todos os produtos usados na limpeza e conservação

Um caminho? Por quê?

Assim, feito a vida, são os idiomas. Por que insistirmos em um só caminho, por que acharmos que só possuímos uma possibilidade? A vida está aí para nos ensinar a termos uma visão holística de tudo que nos cerca, está aí para evitarmos caminhos que restrinjam nosso olhar, nossas opções, principalmente quanto ao conhecimento. Ampliar os horizontes é tão maravilhoso quanto libertador. As palavras, em sua maioria, agregam em si mais de um significado, isto é, a pluralidade semântica pode, muitas vezes, ser comparada com a vida e com suas bifurcações. DANADO X LEVADO Não foi uma ou foram duas