23 de maio de 2022
Enófilo, curioso, insaciável e infiel apreciador
Enófilo, curioso, insaciável e infiel apreciador

Humberto Amorim

Existe champagne brasileiro? Claro que existe! Há mais de cem anos

“TODO CHAMPANHE É ESPUMANTE, MAS NEM TODO ESPUMANTE É CHAMPANHE”  O título do artigo de hoje meus caros leitores é para surpreender. Espero conseguir. Levo essa notícia ao conhecimento de muitos degustadores e curiosos com muita satisfação por considerar esse acontecimento como histórico e determinante para a indústria de vinhos finos no Brasil. Creio ser também uma revelação sobre uma delícia bem brasileira que muita gente desconhece apesar de ser pública e notória há muito tempo. Normal.  Está sabendo que existe um vinho espumante produzido no nosso pais por uma vinícola com mais de 100 anos de tradição, a VINICOLA

O Jamón Ibérico Pata Negra só tem um defeito

Falando sério. Eu acho que esse negócio de harmonizar os Sucos da Bíblia com comida é uma arte que depende em grande parte e diretamente do gosto do freguês. Colocar o teu gosto pessoal no plano maior dos acontecimentos, é a chave para o sucesso da enoharmonização. Querem um exemplo? Na tua opinião, qual vinho melhor harmoniza com o delicioso e exclusivo Jamón Ibérico Pata Negra, proveniente da região de Salamanca? Diz ai…. Antes de receber a tua resposta é melhor explicar para quem ainda não conhece, o que é esse tal de Jamón Pata Negra.  Antes de mais nada

Zinfandel, emblemática, sem ser destaque ou a mais famosa

“Não abro mão dos Sucos da Bíblia e nem das viagens. Nas viagens faço novos amigos, e com os vinhos brindo à saúde deles” Sempre serei agradecido à Deus por ter assistido em um final de tarde deslumbrante na área externa de uma vinícola no Vale do Napa na companhia de enófilos e amantes do jazz, o concerto do quarteto de Stan Getz, icônico saxofonista de jazz, em um ambiente  cercado pelas parreiras da Zinfandel e outras castas. Foi formidável! As primeiras mudas de videiras da Zinfandel foram para Califórnia com os missionários franciscanos espanhóis no século 18. Essa uva

Vale dos vinhedos, vale visitar antes de morrer

“Comece o dia com um sorriso, e termine com um vinho” Eu acho que todo brasileiro antes de morrer tem que visitar dez lugares no Brasil: O Vale dos Vinhedos, As Cachoeiras de Iguaçu, o Arquipélago das Anavilhanas (sobrevoo) no Rio Negro, o Município de São Gabriel da Cachoeira no Amazonas, A Região da Cabeça de Cachorro na fronteira com a Venezuela, as Piscinas de Maragogi, os Cânions do Velho Chico, a Ilha de Fernando de Noronha, o Rio Araguari no Amapá para ver o fenômeno da Pororoca, e o Lago do Janauary para conhecer os igapós e Vitorias Regias,

Que uva é essa?

“Me diz como degustas teus vinhos, e eu te direi se vou te fazer companhia. ” Aposto que vocês, enófilos de carteirinha que não perdem oportunidades para saborear os Sucos da Bíblia resultantes de várias uvas, ainda não pararam pra pensar sobre o número de variedades dessa frutinha espalhada pelas videiras nos quatro cantos da Terra. Pra início de conversa é importante saber que são duas as principais famílias de uvas: as espécies não viníferas e as viníferas. As não viníferas ou uvas americanas, são aquelas que compramos nos supermercados, empórios, e feiras pra saborear “in natura”, na forma de

Fazer ou não fazer

“O melhor vinho, é aquele que você escolhe, compra, desarrolha, derrama na sua taça e degusta”  Longe estamos da época em Manaus quando quase ninguém se interessava pelos prazeres do vinho fino. Para minha felicidade, hoje, o número de apreciadores, aprendizes, e curiosos é relevante. Prova disso é a pergunta mais frequente que muitos me fazem sobre o consumo dos Sucos da Bíblia: Gostaria de saber mais. Começo por onde? Noto certa reserva dos amigos que a formulam. É natural, pois vinho, vinho fino, de boa qualidade, não é um produto, digamos, baratinho. Por outro lado, o instinto nos ensina

Portugueses finos desembarcam em Manaus

“Um brinde ao inesperado e às diversas formas de seguir em frente” Houve uma época, não muito distante, durante a qual os únicos fornecedores de bons vinhos em Manaus, eram os portugueses donos das tabernas que comercializavam secos e molhados. Marcilio Soeiro da Casa Alto Douro, Arthur Nogueira da Padaria N.S de Fátima, e Orlando Pinto Loureiro do Farol Verde, foram alguns desses pioneiros que mantiveram abastecida por muitos anos a tradição do consumo dos fermentados, até a chegada de vinhos finos no final da década de 90, e a consequente explosão da cultura dos Sucos da Bíblia nos dias

Faz calor, e daí, qual é o problema?

“Conhecer a cultura do vinho, as regiões produtoras, as vinícolas, e as pessoas, faz com que o viajante saboreie a alma de cada país” Durante as viagens que fiz para me entregar às delicias e prazeres dos Sucos da Bíblia, teve sempre uma coisa da qual não consegui me livrar uma única vez : perguntas sobre como conseguimos degustar vinhos no calor de Manaus. Encontrei pessoas que também me perguntaram se existiam vinícolas na Amazônia. Alguém mais audacioso me perguntou se a gente bebia vinho com gelo. Podem acreditar. Sempre me deliciei com essas indagações pois me abriram janelas para

A origem do suco da Bíblia

“Tu que vais ler meus pequenos artigos, Não franzas a fronte Eu te aconselho, bebe antes! Não escrevo para aqueles que estão em jejum; Lendo meu artigo depois de beber, hás de sorve-lo melhor”. Ausônio, Idílios, VII Retorno orgulhoso com minha coluna de artigos sobre vinhos, para ocupar espaço neste jornal centenário que generosamente me possibilita dar continuidade a deliciosa missão de passar algumas dicas para os leitores e apreciadores, baseadas nas minhas experiências vivenciadas durante perambulações pelas áreas de produção aqui no Brasil, em renomados países produtores, agradáveis e inesquecíveis papos com viticultores, membros de famílias de produtores tradicionais,