22 de janeiro de 2022
é repórter do Jornal do Commercio
é repórter do Jornal do Commercio

Evaldo Ferreira

Visual, cor e sabor

Curso ensina arte da coquetelaria

Curso ensinará leigos a preparar coquetéis básicos para, a partir de então, aprender a variar nas misturas e composições

Entre o sabor e o ardor

Entre o sabor e o ardor

O isolamento social fez com que Júnior Matta viabilizasse um produto que desde o começo vem fazendo sucesso

Sopa, num final de tarde

Sopa, num final de tarde

Sopa sempre vai bem, ainda mais num final de tarde, quentinha, saborosa, cheirosa. Depois de ter parado suas atividades desde o final de março, devido à pandemia e o conseqüente fechamento do comércio, em Manaus, a Soparia Du Tio, no Santo Antônio, voltou no dia 8 de maio, desde então somente com delivery. “Paramos completamente e nos organizamos para proporcionar um serviço de delivery com qualidade, pois nossos clientes, que nunca nos deixaram, merecem. Há pouco mais de um mês voltamos com as sopas, mas vamos aguardar mais um pouco para o atendimento presencial”, adiantou Luciene Moraes dos Santos, proprietária

‘Liveiros’ precisam saber que há alguém do outro lado

‘Liveiros’ precisam saber que há alguém do outro lado

Nunca se ouviu tanto, e ainda está se ouvindo, a palavra live como agora durante o isolamento social. Tudo virou motivo para ser transformado numa live. Será este o futuro dos shows e eventos culturais, das aulas das escolas e universidades, das palestras, congressos e reuniões de empresas? O Jornal do Commercio foi ouvir Matheus Jacob, autor dos livros ‘Homem que Sente’ (2016) e ‘Coragem de Existir’ (2019), um dos escritores mais lidos e comentados nas redes sociais, com mais de meio milhão de leitores. Em 2019, Matheus, que é formado em Economia pelo Insper, mestre em Filosofia pela PUC-SP,

Para amantes da boa leitura

Para amantes da boa leitura

Aviso aos amantes da boa leitura. Sábado, dia 4, das 9h às 14h acontece a ‘1ª Feira de Livros da Livraria Nacional’, e olha que este ano a Nacional está completando 45 anos de existência, a mais antiga livraria de Manaus, em funcionamento. “Já participamos de inúmeras feiras de livros ao longo de nossa existência, mas como diz o ditado: ‘casa de ferreiro, espeto de pau’. Nunca fizemos um evento dessa natureza nas dependências da livraria”, lembrou José Maria Mendes, proprietário da Nacional. “A primeira feira da qual participamos, foi em grande estilo, em 1978, depois 1980 e 1982: a

A cuca vai te pegar

A cuca vai te pegar

Quem já ouviu falar da cuca? Não aquela, do folclore, do Sítio do Pica-Pau Amarelo, mas do streuselkuchen, doce típico alemão, trazido pelos imigrantes que se instalaram no Sul do Brasil e que aqui, além de ter ganhado o nome de cuca, logo recebeu novos ingredientes, como a banana, inexistente na Alemanha. Pois a cuca já está circulando entre nós, manauaras, há ao menos dois anos, trazida pelo gaúcho André Bacobis que, junto com a esposa, a amazonense Raquel, começou a produzir o doce para os amigos, os vizinhos e logo a propaganda boca a boca fez surgir a loja