Pesquisar
Close this search box.

Você sabe, realmente, usar o LinkedIn?

Ferramenta muito útil nos últimos tempos, que coloca sua visibilidade super em alta. É gratuito e basta ter um perfil para ser acessado por diferentes pessoas do mundo inteiro.

Mas, tem certeza que apenas tendo um perfil sua visibilidade cresce? Na verdade, você precisa ter um perfil politicamente correto, que agrade a diversos tipos de pessoas, mesmo porque você não sabe quem você está avaliando e nem quais são seus valores, sua forma de pensar, suas verdades. Quando falarmos de perfil correto, não falo apenas sobre o perfil em si, mas também sobre as ações causadas por ele: compartilhamentos, artigos, curtidas, comentários. Tudo fica registrado na rede e pode ser observado (e avaliado!) depois.

Falaremos aqui também, mas não somente focado em processos seletivos ou buscas para tal feitos através do LinkedIn. A rede pode ser usada para avaliar você para o fechamento de uma parceira ou negócio, e avaliar assim sua network e sua força de persuasão perante seus contatos.
Hoje o LinkedIn é um ponto tão importante e tão forte, que para os nossos assessorados de outplacement/recolocação, fazemos inclusive um trabalho voltado para o LinkedIn, organizando-o e muitas vezes elaborando-o para aumento de visibilidade e de contatos.

Seu perfil
Mantenha-o clean: coloque informações importantes e objetivas. Hoje em dia ninguém lê palavra por palavra. Passam o olho e, se for tido como interessante, aí sim começam a leitura. Então, ele precisa chamar atenção. Muito conteúdo não dá a oportunidade para chamar atenção.

Palavras-chaves: utilize vocabulários e jargões atualizados e de sua área de atuação. Isso também ajudará nas buscas, pois muitos headhunters / recrutadores utilizam-se de buscas por palavras-chaves da área. Faça ter sentido no contexto colocado.

Idioma: o LinkedIn dá a opção de você ter seu perfil em ambos idiomas (português e inglês). Se você fala inglês, faça usa dessa ferramenta em suas configurações. Dessa forma, se quem estiver procurando por você falar português, o encontrará e entenderá seu perfil. Por outro lado, quem falar inglês, também encontrará e entenderá o que diz em seu perfil.

Foto: perfis sem fotos não são bem-vistos e os acessos a eles caem drasticamente. Coloque uma foto do seu rosto, mas não uma 3×4. O ideal é uma foto sorrindo, mas ao mesmo tempo passando a seriedade quem um profissional deve passar. Atente para ser uma foto com luz, num bom local, e que você esteja sozinho. Foto com seu cônjuge não deve ser colocada nesta rede. Atente para passar uma imagem saudável e amistosa.

Conteúdo: dependendo do país e da cultura, alguns itens do seu perfil não precisam ser preenchidos. Quando preenchidos, seja objetivo e sucinto, mas diga o que deve ser dito. Por exemplo, na formação acadêmica coloque o curso e a instituição de ensino – não coloque todas as disciplinas que você teve na sua graduação ou pós. Quando colocar um idioma, diga seu grau de fluência – citar apenas o idioma não irá ajudá-lo em nada.

Contatos: a ideia de ter o LinkedIn é a visibilidade? Então não adianta ser visível se não se consegue contato com você. Você tem uma área específica para colocar seus contatos no LinkedIn, mas não limite-se a isso. Muitos headhunters / recrutadores não sabem onde fica essa área (que é meio escondidinha mesmo). Dado isso, vamos facilitar: coloque seus contatos (celular, e-mail, Skype) também no seu resumo profissional, logo no início do seu perfil.

Título: não coloque “em busca de recolocação” porque não irão procurar você dessa forma. Procurarão você pela sua área de atuação. Nesse campo coloque seu cargo ou área de atuação em formas diferentes (até 3 formas) – muitos cargos/áreas tem mais de uma maneira de serem colocados, então se coloque visível para todas as formas de buscas.
Premium: para algumas pessoas, ser premium é questão de status. Minha sugestão: vire premium (e pague por isso) se for vantajoso para você. Se você é um Headhunter como eu, é um ótimo investimento. Mas, avalie se de fato será um investimento para você, pois ninguém sobrevive se status.

Suas ações
Mexa-se: conforme você utiliza o LinkedIn, seu perfil vai ganhando força. Mas, utilize de forma correta, pois senão você irá para o lado negro da força (risos).

Conexões: a ideia é que você se conecte a pessoa de sua área, a pessoas que atuam no mesmo segmento e a pessoas de RH, de diferentes níveis – Analistas, Especialistas, Coordenadores, Supervisores, Gerentes e Diretores. O pessoal de RH ajudará você a ficar informado sobre as vagas.
Compartilhamentos: compartilhe informações verídicas, textos sérios e/ou vagas de emprego para ajudar os demais. Não compartilhe questões de cunho pessoal e opiniões sobre política e religião. Muito cuidado para não utilizar o LinkedIn como Facebook.

Grupos: Insira-se em grupos de empresas interessantes para você, seja por segmento, por cultura ou por qualquer outra razão. Insira-se também em grupos de headhunters e consultoria de RH.

Comentários: exponha-se sempre de forma benéfica para você. Se você perceber que o seu comentário trata algum malefício (principalmente num momento que você busca recolocar-se no mercado), fique com esse pensamento para si. Além de não expor a si mesmo negativamente, não exponha aos outros também. Problemas devem ser resolvidos com uma conversa com a pessoa em questão.

Caso tenha alguma dúvida, fique à vontade para dar uma olhadinha no meu LinkedIn e seguir alguns exemplos. Basta digitar “Paula Pedrosa”.

Fiquem com Deus!
Boa semana!

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar