FAS recebeu R$ 54 milhões do Fundo Amazônia, segundo Plínio Valério. O que foi feito?

Na tribuna, o senador Plínio Valério disse que a FUNDAÇÃO AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL, que no passado usava a denominação AMAZONAS, agora está ampliada a área de atuação, recebeu R$ 54 milhões do FUNDO AMAZÔNIA. Isso mesmo, a gigantesca quantia de R$ 54 milhões. O senador ainda fez referência ao Bolsa Floresta, que eu chamo de miséria, ele chamou de esmola, que pagou durante 14 anos apenas R$ 50 reais. Parece que recentemente passou para R$ 100,00, do mesmo jeito, é imoral esse valor para tanto dinheiro recebido e pelos sérvios que prestam aos Estados Unidos, Europa e ao mundo todo. Mesmo com os R$ 54 milhões, o Bolsa Floresta não teve aumento. Qual teria sido o motivo?

Eu acho que a FAS recebeu até mais do que os R$ 54 milhões, mas vamos esperar a CPI que foi aberta no Senado Federal para saber quanto foi realmente recebido e o que foi feito com esses milhões. Será que foi corretamente aplicado? Houve prestação de conta? Melhorou a vida do guardião da floresta? De quantos? Temos que saber quantos foram incluídos em programas de geração de renda como o PAA, PNAE, PREME, PGPMBio e a Subvenção Estadual? Com esses R$ 54 milhões, quantos guardiões da floresta conseguiram viabilizar o acesso ao crédito rural do Pronaf, A ALEAM deveria acompanhar esse assunto, tem total ligação com o nosso Estado e quem elegeu os parlamentares precisam ter uma vida digna, não de esmolas.

O senador falou em duas ONGs, mas certamente tem mais, e bote milhões nisso.

Vi no google que a ONG citada pelo senador Plínio Valério, no passado, usava AMAZONAS, hoje é AMAZÔNIA. Se atuar no AMAZONAS já é difícil pelas dimensões continentais, imagina com essa abrangência de AmazÔNIA. Qual seria a razão da mudança na abrangência? Que tenha sido para melhorar a vida das pessoas, do cidadão. No momento que tem mais dinheiro chegando do Fundo Amazônia, como diz o senador, “…nada como separar o joio do trigo sem demonizar nenhuma ONG…“. Não sei em qual ou quais ONGs, mas o MPF já identificou irregularidades graves na prestação de contas do Fundo Amazônia. Isso não pode ser ignorado. Só não pode é ter essa chuva de milhões do FUNDO AMAZÔNIA, acho até que teve do ESTADO também, e a pobreza só aumentar no AMAZONAS. Estamos chegando a 60%. O governo estadual já teve no passado, e ainda tem no presente, secretários de meio ambiente ligados à FAS, e até hoje não temos o ZEE, que é uma política ambiental. Por que será?

23.05.2023Thomaz Antônio Perez da Silva Meirelles, servidor público federal aposentado, administrador, especialização na gestão da informação ao agronegócio. E-mail: [email protected]

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário