Assim fica difícil ministro, é gol contra o Brasil!

Semana passada, o novo ministro da agricultura, Carlos Fávaro, concedeu entrevista nas páginas amarelas da Revista VEJA. Ele disse que o “BRASIL não está respeitando o Código Florestal”, vincula o código florestal como se fosse todo ligado ao “agronegócio” e, em seguida, se contradizendo, afirma que “…vale ressaltar que mais de 95% dos produtores fazem o certo...”. Infeliz afirmativa que generaliza e criminaliza uma atividade econômica importantíssima ao Brasil, e, logo em seguida, afirma que só 5% erram.

Repito, como é que um ministro afirma, na mesma entrevista, que só 5% erram, e ao mesmo tempo, generaliza dizendo que o “Brasil não está respeitando o Código Florestal”. Será que o Brasil é formado por apenas 5%, pelos que erram?

Assim fica difícil, é gol contra o nosso país essa afirmativa genérica onde 5%, a minoria, ele considera como “BRASIL”. Sendo amazonense, lendo essa afirmativa, e ciente de que o meu Amazonas tem 97% de florestas preservadas, como afirma o próprio secretário estadual de meio ambiente, só posso ficar indignado. Esse gol contra toma maiores proporções com relação ao Amazonas preservado e cumpridor do código florestal.

Essas autoridades têm que pensar mais antes de se pronunciarem e sair generalizando, criminalizando, culpando o Agro, quando ele mesmo afirma que somente 5% erram.

Esquece que ele tem a Embrapa com infinitas pesquisas e tecnologias sustentáveis já em campo.

De acordo com a VEJA, o ministro tem três fazendas cuja área equivale a 3 mil campos de futebol. Tenho certeza de que ele está nos 95% que respeitam o código florestal, então porque afirmar que o BRASIL não respeita o código florestal. Ele tem que ser claro, dizer que 5% não respeitam, uma minoria. Assim estaria falando a verdade.

Com relação à ministra Marina Silva ele afirma, na mesma entrevista, que foi ela que “”licenciou, por exemplo, a BR-163, um grande corredor de escoamento para a safra brasileira…”, mesmo com “…divergências ideológicas e internas...”.

Bem, na condição de amazonense, não sendo Lula, nem Bolsonaro, nem ONG, sendo meu partido o Amazonas, me vem a pergunta: 

Se a Marina Silva, na primeira vez que foi ministra, licenciou a BR-163, qual a razão de até hoje, nem ela, nem ninguém que veio depois, nem antes, resolveu essa questão na BR-319 que tira o Amazonas do isolamento e que evita o que vimos na BR com os caminhões atolados com tubos de oxigênio para salvar vidas em nosso Estado? 

Será que agora vai? Com a palavra nossa bancada federal! É nessa hora que queria ser parlamentar federal, mas não tenho recurso financeiro para bancar campanha, nem faço parte de grupo político poderoso. Mas se lá no Congresso estivesse a defesa do nosso Agro familiar e empresarial seria intensivo e com total respeito à legislação, pois sei que já temos tecnologias suficientes para o convívio harmônico entre produção e meio ambiente. Como já disse, meu partido é o Amazonas, é a nossa soberania alimentar e nossa segurança alimentar e nutricional.

24.01.2023Thomaz Antonio Perez da Silva Meirelles, servidor público federal aposentado, administrador, especialização na gestão da informação ao agronegócio. E-mail: [email protected]

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário