Aparições de N. Senhora em Cimbres (II)

Ronaldo Amazonas

Como havia prometido no artigo anterior, nesse artigo falarei sobre as mais de quarenta aparições de Nossa Senhora da Graça no povoado de Cimbres/Pe, isso se considerarmos apenas o diário escrito pelo Padre Kerhle, nomeado inquisidor para o caso.

CONTEXTUALIZAÇÃO 

É preciso descortinar o cenário político e social da época naquela região, no Brasil e no mundo, como forma de compreendermos a perfeita e sempre necessária intervenção da Mãe do Deus aqui na terra.

Havia certo pavor do povo em meio às incursões do cangaço. Eram vários bandos e o mais famoso deles era comandado por Lampião.

O cangaço impunha regras por meio do medo, das invasões de propriedades, do roubo e da violência com mortes, torturas e estupro de mulheres.

Politicamente falando, o Brasil vivia sob a era Vargas(1930-1945).

Precisamente, em 1936, Getúlio Vargas estendia o estado de sítio e prendia congressistas em meio à existência de uma Constituição de 1934 que reduziu os poderes do executivo.

Nosso país estava à beira de uma guerra civil e o medo do comunismo visitava cada família trazendo incertezas e angústia.

No mundo, grassava a primeira guerra mundial e o México e Espanha lutavam contra a entrada do comunismo.

Vale recordar, antes de adentrarmos propriamente na cena e nos diálogos das aparições, que as meninas videntes de Cimbres muito humildes e analfabetas, tinham verdadeiro pavor de Lampião e seu bando pois ouviam dos pais e dos vizinhos que a vila e o povo corriam sério perigo.

A família das Marias da Luz e da Conceição, em meio a essa onda aterrorizante, resolveu se embrenhar no mato e se esconder até que o perigo trazido pelos cangaçeiros passasse.

Era o mês de maio, mês de Maria no calendário da Igreja Católica. Como devotíssimos de Nossa Senhora, eles tinham por costume render todas as homenagens à Mãe do Salvador.

Mas, por conta da presença dos cangaçeiros na região, a família ficou escondida até o mês de agosto, mês das aparições e, a primeira, se deu precisamente no dia 06 desse mês.

FATOS RELEVANTES 

Feita essa necessária e oportuna contextualização, vamos então tentar resumir os fatos mais importantes acerca das aparições de Nossa Senhora da Graça em Cimbres/Pe.

Como dito no artigo anterior, o caso das aparições tomou proporções inimagináveis saindo dos arredores da vila, chegando até à cidade mais próxima e, a partir dela, correu toda a região.

O pai de uma das videntes decide levar a menina até o Bispo e este designa o secretário da cúria para ouvir a criança e iniciar um processo como inquisidor nomeado.

O inquisidor era um padre alemão, formado em medicina, poliglota e bastante preparado pois possuía doutorado em moléstias tropicais concluído no Brasil.

Diante do caso relatado, sua primeira preocupação era descartar que tudo não passava de invenção ou algo demoníaco.

Deixa estar, que Nossa Senhora já havia pedido às meninas que trouxessem um padre até ao local. Por óbvio então, haveremos de pensar que o demônio jamais chamaria um sacerdote de Deus para se submeter a essa autoridade eclesial.

Padre Kerhle então elabora uma série de mais de cento e oitenta perguntas para serem formuladas à suposta imagem e leva então as crianças ao local das aparições.

Tais perguntas, estavam formuladas em alemão e em latim, dois idiomas completamente alheios à humilde formação das duas meninas que nem alfabetizadas eram.

Para dificultar mais ainda as coisas, as perguntas tinham um profundo e rebuscado conteúdo teológico, exatamente para dificultar às meninas quaisquer tentativas de mistificação das aparições.

Às vezes o padre fazia perguntas que envolviam assuntos de cunho pessoal e familiar para testar as meninas e atestar se de fato as respostas seriam coerentes. Jamais houve uma contradição sequer.

Quando o padre formulava as perguntas em alemão ou latim e metade em alemão completando com latim, ele olhava para as meninas e estas fitavam o local(janela) onde Nossa Senhora aparecia na rocha.

As respostas de Nossa Senhora para as meninas eram em português e o padre anotava tudo.

UM SINAL VISÍVEL DAS APARIÇÕES 

Certa feita, as meninas admoestadas por muitos dos presentes, pedem de Nossa Senhora que deixe um sinal da sua presença.

Nossa Senhora então afirma que terá sim e as meninas empolgadas voltam-se para o povo dizendo que haverá um sinal.

Todos ficam espantados, aguardam pelo sinal que não vem. A verdade, é que Nossa Senhora prometeu o sinal porém nunca afirmou qual e quando seria.

Todos retornam para casa acusando no caminho as meninas de farsantes e mentirosas. Estas entram em casa aos prantos.

Mas, no outro dia, elas voltam ao local das aparições e o sinal havia aparecido.Da Rocha bruta, em meio a uma vegetação seca e espinhenta própria da aridez do local, brota água até hoje. Água que é milagrosa que eu, como peregrino e devoto, colhi e trouxe como Santa recordação.

É preciso se dizer que água brotando do nada lembra muitas das aparições de Nossa Senhora pelo mundo.

Isso de fato é um sinal prodigioso da real presença d’Ela naquele local abençoado.

Essa série de artigos, escrevo como muita devoção e firme crença da real presença da Virgem Maria naquela humilde vila e para crianças.

Creio firmemente, que em tudo há a viva presença da misericórdia de Deus para com seu povo, por isso, tantos sinais e prodígios ocorrem ali e com os devotos que vão em busca de algo que atenta às suas necessidades enquanto filhos e filhas de Deus.

No artigo final, tratarei dos personagens centrais dessas aparições e do claro alerta da Virgem Maria sobre o perigo do comunismo no Brasil.

Té logo!

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário