A verdadeira face das pesquisas 

    A ascensão do Presidente Bolsonaro caminha a passos largos para uma vitória no primeiro turno, conforme pesquisas confiáveis, inclusive as internas dos lulopetistas, que estão jogando a toalha. Todos os lugares em que passou no exterior, recentemente, Londres e Nova Iorque, e em todas as cidades do Brasil, o Presidente é procurado e abraçado… Não se esqueçam do ocorrido em 7 de setembro, em que o povo foi às ruas espontaneamente.  No exterior vencerá em todas as cidades, notadamente em Miami, Orlando, Dallas, Nova Iorque, Paris, Lisboa etc. O Brasil tem uma liderança trabalhando para o povo, que resultará em estrondosa votação ( 72 milhões de votos). A campanha que fazem o grupo Folha, a Globo e o Estadão, cujos jornalistas se utilizam das pesquisas fraudulentas que nascem de .“institutos” sem credibilidade, é uma vã e imoral tentativa de enganar o povo brasileiro; hoje bem mais esclarecido.

Jair Bolsonaro é sucesso por onde passa; carregando multidões nas cidades brasileiras e em todas as cidades do exterior. Mobilizou mais brasileiros nestas cidades do que o ex-presidiário tenta realizar e só passa vergonha. E agora, em Belém e Manaus sua passagem foi marcante. Em Manaus teve uma popularidade grandiosa, deixando a esquerda perplexa. Em Belém as imagens da população nas ruas impressionaram. Estes supostos veículos cujo descrédito vem levando-os a uma decadência vertiginosa, ao se utilizarem de dados “criados” pelo imaginário dos “institutos”  o fazem levianamente, porque são conhecedores do antigo IBOPE, expulso de Manaus, por sofrer condenações na Justiça.

A imoralidade e a falta  de caráter do IPEC e do Datafolha constituem-se na falta de honestidade de propósito,  o que gera   a eiva do dolo em razão da tendenciosidade quanto à obtenção de resultados inverídicos que são constatados à plena luz do dia. Independentemente de serem as pesquisas “oficiais”, é curial no direito pátrio que a divulgação de um fato que se sabe ser inverídico é crime: pouco importando se houve corrupção eleitoral ou coação eleitoral como na presente hipótese. O péssimo jornalismo é aquele fruto da má-fé, a qual revela a verdadeira face das pesquisas fraudulentas. Esse ”status quo”  fere a dignidade do povo brasileiro.

        O que vimos hoje constitui-se em crime porque a realidade oferece a certeza de que há a torpe e dolosa intensão de gerar uma situação que os fatos do dia a dia provam serem inverídicos os números e percentuais dados ao ex-presidiário por “institutos” promíscuos. Tanto isto é verdade, que “a CNN reconhece que as pesquisas escondem votos de Bolsonaro”.  

O Presidente da Câmara defende publicamente “a necessidade de se punir institutos de pesquisas por erro ou desserviço”, sustentando, ainda, que “não há justificativas para divergências nos levantamentos”.

 A multidão representa o povo que tanto a esquerda odeia. Nunca o ex-presidiário conseguiu tal feito histórico; por isso, revoltado e já sentindo o peso da derrota classifica tais episódios de “antidemocráticos”. Encontra-se perdido, vivendo de reuniões às escuras, não aparecendo em público, com receio de ouvir: “Lula ladrão, seu lugar é na prisão”.

 Por fim, de nada adianta veicularem pesquisas mentirosas, muito menos proibirem o uso de imagens do sucesso do Presidente Bolsonaro, porque a verdade vem do povo e só ela “libertará”. Todos souberam do ocorrido na Itália onde com o lema: DEUS, PÁTRIA E FAMÍLIA a direita venceu a eleição. O homem virtuoso trabalha pelo povo, ama seu país e a bandeira verde e amarela.  

Manaus/AM, 27 de Setembro de 2022.

JOSÉ ALFREDO FERREIRA DE ANDRADE

Ex- Conselheiro Federal da OAB/AM nos Triênios 2001/2003 e 2007/2009 – OAB/AM A-29

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário