A sazonalidade que afeta as empresas do comércio.

A fragilidade no comércio desestimula o mercado varejista, a ponto de lidar com a sazonalidade periódica das vendas, isso se deve pelo fato do período em queda, mas essa situação é real ou apenas uma simbologia de despreparo ou ausência da intimidade com a sua empresa? Porque o que realmente nós especialistas entendemos, é uma modalidade estratégica que está faltando e isso impacta consideravelmente os negócios comerciais, e parar com a crença em dizer que o período é crítico para as vendas e que o comércio não está favorável, “conhecimento limitado” e vem alguns abrir o verbo e falar que o período é de queda no comércio, sim realmente é de queda, se realmente não souber executar as vendas estrategicamente e com métodos comportamentais assertivos, que farão a diferença nos resultados das vendas e buscar o alcance da recuperação dos prejuízos, isso são critérios de uma visão da nova economia que se estabelece atualmente.

O comércio tem alguns períodos no ano que são estratégicos em datas definidas para aumentar a receita das empresas, no mês de abril temos a Páscoa vendas de chocolates e acessórios como estratégia de marketing para agregar valor, mas poderia ser mais estratégico para aumentar mais ainda a receita e tem diversas possibilidades para isso, em maio tem a comemoração do dia das mães, que é a movimentação do comércio com as vendas direcionadas ao mercado feminino, que também observamos uma deficiência muito grande em melhorar de várias maneiras com o crescimento das vendas principalmente no atendimento, temos em seguida o mês de junho, em comemoração ao mês dos namorados que também deixa muito a desejar com alternativas de presentes e serviços para casais, e também festas juninas com vendas no comércio que existe uma ausência muito grande nesse aspecto nas vendas diversificadas de produtos e acessórios.

Em relação as datas bem definidas para alcançar melhores resultados, ainda temos o dia dos pais em agosto, o dia das crianças em outubro, datas que movimentam bastante o comércio e por fim a data que estabelece critérios de crescimento que é o período natalino, com isso, entendemos diversas possibilidades que fazem as empresas aumentarem seus capitais, mas existe um porém, muito produtos ficam presos no estoque, muitas promoções sem resultados, muitas demissões causando um impacto no orçamento e sabemos que tudo isso permanece causando terror por um longo período nas empresas estressando empresários e destruindo equipes. A falta de habilidade e de conhecimento nas vendas, o preparo das equipes para cobrir prejuízos é que está faltando para manter as empresas de pé, mas vamos adiante, porque não para por aí, existem também outras empresas em outros seguimentos que não tem nada a ver com o comércio varejista, que são as áreas de serviços e de produção, mas que não deixam de serem âmbito nas vendas, mostrando uma total ausência de uma boa gestão em organizar e se estruturar para crescer mais, entendam que há diversos viés no caminho, por isso é bom entender que tudo faz parte de um círculo e sabendo manusear com inteligência conseguimos agregar mais ainda muitas possibilidades e alternativas em fazer com que as empresas estejam em movimento constante de bons negócios. 

Nesses pontos classificados acima, estabelecemos o alcance de muitos riscos ainda a serem observados, criando expectativas falsas de desempenho, tentando blindar critérios a serem modificados para a própria melhoria das empresas, é bom classificar as deficiências para poder serem medidas e criar soluções para os futuros problemas antes que aconteçam, caso contrário a solução será tardia e a perda de tempo é exaustiva, sabendo que os empresários querem resultados rápidos e imediatistas, mas não acontecerá se nada for resolvido à tempo de estimular as vendas com organização bem definida.

Estamos tratando o mercado com uma visão de negócio limpa e bem direcionada, com métodos com que nossos clientes enxerguem seu futuro em campos limpos a serem conquistados pelas manobras estratégicas de negócios a serem explorados dentro de seus próprios seguimentos comerciais e de serviços.

Agora o que reflete os pensamentos medianos de seus negócios em atribuir receita é exatamente a explanação acima, e agora qual o pensamento a ser explorado? tributos? impostos, governo?. Não, todos eles sempre estiveram nos acompanhando desde de sempre e milhares de empresas crescem e fecham, mas não por eles, por que isso se chama competência e não concorrência.

Faça da inovação a busca de recursos para a imaginação! 

Giovanni Montini

Empresário, consultor empresarial, especialista em gestão, palestrante, autor literário de Gestão & Negócios, 

Tel.: 92 99234-5952

www.sie.manaus.br

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário