Pesquisar
Close this search box.

A  refinaria genuinamente amazonense

Isaac Benayon Sabbá possui uma das mais belas histórias empresariais pelo seu pioneirismo e pelos ideais de construir , empreender e renovar a região amazônica. Ele estará presente na memória da Amazônia como alguém que conseguiu incorporar e desenvolver um projeto especial: a fundação da Primeira Companhia de Petróleo da Amazônia (Copam), em 3 de janeiro de 1957 — com o auxílio de outra figura importante para a indústria e o comércio da região, Moyses Benarrós Israel seu sobrinho, que trabalhava ao seu lado. Conseguiram realizar esse feito no meio da Selva Amazônica, uma história digna de grandes filmes épicos. A Refinaria Isaac Sabbá mudou a história da matriz energética e da sustentação da economia do Estado. O extrativismo amazonense dependia do petróleo, porque os produtos nunca chegariam na capital sem barcos — não eram barcos a vela — eram barcos movidos a combustíveis derivados do petróleo.

Eu me questiono, certamente este questionamento, também, foi feito por muitas pessoas: Por que as multinacionais do petróleo daquela época, não construíram uma refinaria no Amazonas? Elas teriam condições de construir se quisessem. Por esse motivo os méritos são deste ilustre amazonense pela sua coragem de colocar seu patrimônio e sua história em risco — a Refinaria foi construída com financiamento grandioso. Esse empreendimento poderia ter fracassado, mas a ousadia e perspicácia eram marcas da personalidade de Isaac Sabbá. Ele inaugurou uma refinaria privada no meio da Floresta Amazônica, um feito que nem o Governo do Estado da época alcançou. Essa história ilustra a imensa capacidade do amazonense de tornar os sonhos realidade.

Anos depois a Refinaria de Manaus (Reman) foi encampada pelo poder de uma grande multinacional, chamada Shell. E logo em seguida — 1974 — foi estatizado pela Petrobras, estando sob controle do Estado durante 48 anos, mas a história não foi apagada, a história de Isaac Sabbá ficou marcada e serviu de inspiração para novos empreendedores que inspirados em sua trajetória empresarial fizeram projetos em outras áreas. O grupo amazonense Atem, formado pelos irmãos Dibo, Miquéias e Naidson de Oliveira Atem, pessoas com uma vida pessoal e empresarial marcada pelo sacrifício. Eles vieram de família humilde, embora dotados de uma capacidade sobrecomum de esforço, dedicação e fé…Prosperaram. Fundaram uma companhia de referência na distribuição de petróleo no Brasil. O Grupo Atem após 48 anos retoma para a história do Amazonas a Refinaria Reman. A exemplo da iniciativa de Isaac Sabbá e, também, recentemente dos irmãos demonstra que o empreendedor amazonense tem capacidade, coragem e iniciativa de fazer grandes

empreendimentos e realizações empresariais.

A história do empreendedorismo está sendo escrita pelas mãos de amazonenses como o fez Isaac Sabbá que construiu a Refinaria e, como farão de agora diante os irmãos Atem, quando retomaram esse empreendimento para as suas mãos. A Refinaria é genuinamente amazonense, pois uma empresa regional assumiu o controle desse empreendimento tão significativo e importante economicamente para o desenvolvimento regional. O povo do Amazonas deve sentir orgulho pelo feito dos irmãos Dibo, Miquéias e Naidson, pela ousadia de recuperar a Refinaria, colocando-a dentro dos mais modernos padrões de gestão da iniciativa privada e, mais importante, sendo administrada por pessoas que conhecem as terras amazônidas como ninguém.

O autor é empresário e empreendedor

[email protected]

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar