10ª Lei das 48 Leis do poder

Carlos Silva

CONTÁGIO: EVITE O INFELIZ E AZARADO. Essa lei não aborda nada sobre discriminação. No entanto, todos já ouvimos a expressão “uma ovelha má bota o rebanho a perder”. Sabe aquelas pessoas que convencem? Que lideram? Para o mal ou para benefício próprio? Pois é dessas pessoas que a 10ª Lei do Poder trata. Existem muitas pessoas com a personalidade cativante e atraente. Nos convencem a adotar certas atitudes e isso até nos faz bem. Ledo engano. E talvez nunca percebamos isso. O foco é nos aproximar, sempre, de pessoas vitoriosas  ou com potencial para tal. Não que sejam necessariamente ricas. Mas, que possuam poder, de alguma forma. Eu costumo dizer que devemos ter em nossos contatos, no mínimo um médico, um advogado e um policial. Todos são poderosos, em relação a nós mesmos. Claro que não se aplica à sociedade deles. Mas, eles conhecem os caminhos que vão trazer a solução aos nosso problemas. Na verdade, essa Lei é baseada, também, em um pouco de egoísmo: 

“A miséria alheia pode matar você – estados emocionais são tão contagiosos quanto as doenças. Você pode achar que está ajudando o homem que se afoga, mas só está precipitando o seu próprio desastre. Os infelizes às vezes provocam a própria infelicidade; vão provocar a sua também. Associe-se, ao contrário, aos felizes e afortunados.” Esse é o texto que abre o capítulo da 10ª Lei das 48 Leis do Poder. É um pensamento distante dos bons samaritanos ou das pessoas que estão no mundo para servir. Me incluo nesse tipo. Por outro lado, conheço pessoas que são o contrário e se encaixam na 10ª Lei como uma luva. O livro traz, também, a lenda da Noz e do Campanário. Muito interessante mesmo. Leia, pois serve como uma brilhante lição de vida. Interessante a história de Lola Montez, contada no livro. Essa, você já viu no mundo atual, quero dizer, desde o século 20 até hoje. Leia, também. Mas, há que se cuidar. Existem pessoas que influenciam tanto negativamente que destroem as vítimas. Inveja e patologias crônicas podem ser mortais, e só percebemos quando não há mais volta. E baixo astral e espírito de porco contagiam os que circundam em volta. Sabe aquela pessoa soturna que nunca está feliz e só tem problemas? Fuja delas. Elas contagiam você. Nos contagiam. Nos enfraquecem. “Reconheça o afortunado de modo a poder escolher a sua companhia, e o desafortunado para poder evita-la. O infortúnio é em geral uma tolice, e entre os que sofrem dela não há doença mais contagiosa: Não abra a sua porta para a menor das infelicidades, pois, se o fizer, muitas outras virão em seguida… Não morra da infelicidade alheia. (Baltasar Gracián, 1601-1658)”. E a vida segue !

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário