História

COMPARTILHE

Retrospectiva 115 anos passados

13 Jan 2020, 17h29

Crédito: Arquivo JC

 

1904

Condução da República é ridícula e de opressão

Ediçao 2 de janeiro – Com 12 página,  o Jornal do Commercio publica a sua primeira edição. Entre inúmeras notícias locais, nacionais e internacionais, o novo periódico, sob o comando de J. Rocha dos Santos, questiona os rumos da debutante República Brasileira: “Basta de ridículo, de opressão, de aviltamento e de tirania que a pseuda forma republicana federal tem trazido ao Brasil e aos brasileiro...”. Com apenas 15 anos do período republicano, o ideal monárquico ainda era muito latente no Amazonas.


1919   -   Acaba oficialmente a primeira guerra mundial        

Edição 29 de junho – Povos do mundo inteiro comemoraram dia 28 de junho a assinatura do Tratado de Versalhes, que encerrou oficialmente a primeira Guerra Mundial. Após seis meses de negociações, em Paris, o tratado foi assinado como uma continuação do armistício de novembro de 1918, em Copenhague, que tinha posto um fim aos confrontos. O principal ponto do tratado determinou que a Alemanha aceitasse todas as responsabilidades por causar a guerra. O acordo foi assinado pela Alemanha, Grã-Bretânia, França, Itália, Japão e Estados Unidos.

Em Paris, o povo foi às ruas dos grandes boulevards. Na Alemanha, em cidades como Berlim e Frankfurt, o povo se rebelou por falta de alimentos e saqueou armazéns. 


       

 

 

 

 1939    -      Inicia a segunda guerra mundial

Alemanha bombardeia a Polônia

Edição 2 de setembro: A aviação alemão bombardeou violentamente Varsóvia e outras cidade polonesas. O governo polonês rejeitou a proposta italiana de realização de uma conferência entre as grandes potências, visando por fim as hostilidades. 

Em Berlim, Hitler comunicou a Mussolini as finalidades da campanha contra a Polônia. Declarou também que a Alemanha não contava com o auxílio italiano e que agora a Rússia seria amiga eterna do Reich.


       

 

 

 

1945    -     Fim da segunda guerra na Europa: Alemanha assina a rendição

Edição 9 de maio: Truman, Churchill, Stalin, De Gaulle anunciam a rendição alemã. No dia 8 de maio, o supremo quartel general aliado comunicou ao mundo que todas as forças armadas alemãs, de terra, ar e mar, em toda a Europa renderam-se incondicionalmente. Pelo lado alemão, o almirante alemão Karl Dönitz comunicou à população o fim do Terceiro Reich.

 


       

 

 

 

1945      -      Primeira bomba atômica cai sobre Hiroshima

Edição de 7 de setembro:  O mundo conheceu a primeira bomba atômica de urânio. A Little Boy foi lançada sobre a cidade japonesa de Hiroshima em 6 de agosto de 1945. No dia 9, outra grande bomba atômica, desta vez de plutônio, a Fat Man, foi lançada  sobre a cidade de Nagasaki. No dia 2 de setembro o império japonês assinou a sua rendição, acontecimento que encerrou a segunda guerra mundial na Asia.


         

 

 

 

1960   -     Brasília é a capital do Brasil desde a zero hora de hoje

Edição de 21 de abril: Desde a zero hora do dia 21 de abril, Brasília se transformou na capital do Brasil. O presidente Juscelino Kubitschek (JK) foi recebido por uma multidão que chegou à nova capital em jeeps, automóveis e caminhões, que também foram transformados em dormitórios.  Dia 20, ao deixar o palácio do Catete, no Rio de Janeiro, rumo a Brasília, JK recebeu o carinho de funcionários e, se disse muito emocionado, momento em que chegou ao ponto de chorar ao se despedir de um grupo de funcionários


         1964     -      General Castelo Branco é eleito presidente da República

Edição de 11 de abril: O general Castelo Branco foi eleito indiretamente presidente da República. O ato consolidou o movimento civil-militar que tirou do poder, dia 31 de março, o presidente João Goulart, o Jango. Com amplo apoio de militares, político, dos grandes meios de comunicação e de grande parte da população o novo governo de instala prometendo trabalho, ordem e respeito. Após pouca resistência, Jango encontra exílio no Uruguai, mas sob restrições do governo uruguaio, de não fazer manifestação política. 

 



        1966    -     De bordo do Rosa da Fonseca sai esboço da ZFM

Edição de 3 de dezembro: Com a presença de políticos da Amazônia, grandes empresários nacionais e estrangeiros o presidente da República, Marechal Castelo Branco, fez a abertura no Teatro Amazonas, da primeira Reunião de Incentivo ao Desenvolvimento da Amazônia (Rida). A reunião continuou na manhã seguinte a bordo do navio transoceânico Rosa da Fonseca. O navio partiu do porto de Manaus, parou em Parintins, Santarém (PA) e Macapá (AP) e atracou no dia 11 em Belém. Na capital paraense foi encerrada a primeira Rida, cujo resultado foi o esboço do projeto do modelo Zona Franca de Manaus.


           1967    -       Decreto da ZFM causa euforia em Manaus

Edição de 1 de março: Grande comemoração em Manaus devido a iniciativa do presidente Castelo Banco, que assinou dia 28 de fevereiro o decreto que criando a Zona Franca de Manaus, como área de livre comércio para importação e exportação, com incentivos fiscais específicos, estabelecida para criar   no interior da Amazônia um centro industrial, comercial e agropecuário. Com área de no mínimo 10 mil quilômetros quadrados de terras contínuas às margens esquerdas do rio Negro.

 

 


        

 

 

 

1985         -          Brasil unido dá Adeus ao presidente da Esperança

25 de abril:  O Brasil devolveu na noite do dia 24 , a São João Del Rey (MG), o seu filho mais ilustre, Tancredo Neves . Tancredo foi eleito presidente da República dia 15 de janeiro, indiretamente, com 480 votos, do colégio eleitoral formado por deputados federais e senadores, contra 180 votos do candidato Paulo Maluf (PDS), este último candidato representava as forças políticas-militares que governaram o país desde abril de 1964. Entretanto, no dia 14 de março, um dia antes de tomar posse, Tancredo foi internado com sintomas de apendicite, problema que se agravou resultando em sua morte no dia 21 de abril. Com o impedimento de Tancredo, desde o dia 15 de março, o presidente da República é o seu vice José Sarney.



 1989      -         “Colloridos” festejam vitória na Eduardo Ribeiro

         

19 de dezembro: O governador Amazonino Mendes “colloriu” a noite de 18 de dezembro a avenida Eduardo Ribeiro, na festa da vitória de Fernando Collor de Mello  sobre o candidato Luís Inácio Lula da Silva, na disputa pela presidência da República. Collor é o primeiro presidente eleito diretamente pelo povo desde 1964. No entanto, apesar da euforia com o resultado eleitoral, Amazonino declarou que não aceitará nenhum cargo no novo governo, porque quer disputar um cargo legislativo.


     


 2019    -     Tradição e modernidade há 115 anos

02 de janeiro: O Jornal do Commercio do Amazonas comemora 115 anos, reinventando-se para acompanhar as evoluções tecnológicas e manter com rigor o jornalismo coerente, em respeito ao seu leitor e à sua tradição. 

Toma posse o presidente Jair Bolsonaro propondo criar um movimento para restabelecer os padrões éticos e morais. Defendeu em seu discurso, que “a corrupção, os privilégios, os favores politizados, partidarizados, fiquem no passado”.  

No Amazonas, Wilson Lima assumiu o governo prometendo transparência nas contas públicas.  

Veja Também

JC, 116 anos

Agropecuária lidera PIB do Amazonas

13 Jan 2020, 17h18
JC, 116 anos

Fecomércio projeta retomada empresarial

13 Jan 2020, 16h47
JC, 116 anos

Turismo no AM gerou mais de 800 empregos

13 Jan 2020, 17h09
JC, 116 anos

Venda de imóveis cresce 40% em Manaus

13 Jan 2020, 17h03