Economia

COMPARTILHE

R$ 28 milhões em investimento para o setor primário

Linhas de crédito e subvenção econômica vão estimular atividades do campo em 2020

Por Antonio Parente

14 Jan 2020, 14h26

Crédito: Divulgação

Investimento de R$ 28 milhões no setor primário em 2020, vai estimular atividade do campo e contribuir para a produção rural do estado.  A ordem é interiorizar o desenvolvimento econômico e melhorar a vida de quem está na capital e nos municípios. O anúncio foi feito pela Sepror (Secretaria de Produção Rural do Estado do Amazonas) e a Afeam (Agência de Fomento do Estado Amazonas), durante a primeira reunião entre os órgãos para traçar metas de trabalho para o ano. Medida anima pequenos produtores do interior.

Definidas as estratégias para o desenvolvimento de projetos de fomentos, os recursos vão ser destinados por meio de linhas de crédito e subvenção econômica, que têm a finalidade de contribuir na melhoria do segmento. De acordo com Petrucio Júnior, para 2020 existem muitas novidades, entre elas mais investimentos nos programas Pró-Mudas, Pró-Piscicultura, Pró-Calcário e Pró-Mecanização, entre outras que ainda serão informadas. O valor da subvenção econômica a ser repassada da Sepror para Afeam será de aproximadamente R$ 10 milhões

“Para a pesca, teremos um olhar diferenciado por parte do Governo, por entendermos que é uma cadeia produtiva de grande potencial, além das demais. Também discutimos aqui os programas Pró-Mecanização, Pró-Calcário, Pró-Mudas. Vamos trabalhar pensando sempre no crescimento econômico do povo, pois interiorizar o desenvolvimento econômico, gerar mais emprego e renda é o objetivo do Governo do Amazonas”, disse.

Petrúcio destacou, que haverá programas para formação de técnicos para que os projetos cheguem da Afeam de forma bem elaborada. O objetivo é liberar de forma rápida as linhas de créditos para as necessidades de cada atividade.  

“Este é um ano em que estamos bastante alinhados, secretarias e Governo, com o objetivo de que os números estejam sempre melhorando no setor. A ordem é interiorizar o desenvolvimento econômico e melhorar a vida de quem está na capital e no interior a cada dia”, concluiu.

De acordo com o pequeno produtor de abacaxi, pupunha e hortaliças, Jorge da Silva, a medida estimula os trabalhadores do campo e ajuda a valorizar e desenvolver a produção do interior. “Essas ações são muito importantes para valorizar e desenvolver nossa produção. Desta forma podemos vender nossos produtos e ter uma assistência técnica importante para o nosso trabalho”, disse.

Para o presidente da Faea (Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas), Muni Lourenço, os investimentos de recursos são fundamentais para potencializar ainda mais culturas que possuem perspectiva de crescimento em 2020. “Atividades como fruticultura, mandioca, pecuária de leite e corte e piscicultura tem grandes perspectiva de crescimento neste ano, sendo que a intensidade desse crescimento está relacionada principalmente a assistência técnica, exigências ambientais, regularização fundiária e infraestrutura. Esses recursos são muito importante para o fomento do setor”, disse.

De acordo com o diretor-presidente da Afeam, Marcos Vinícius,  serão destinados cerca de R$ 18 milhões para investimentos no setor primário, em linhas de crédito, e que a parceria com a Sepror irá contribuir na melhor forma de distribuição desse recurso. “Nós temos um orçamento para 2020 do Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES), além de recursos próprios”, disse Marcos.

Segundo dados do governo do Amazonas, foram investidos no setor primário em  2019, mais de R$ 222 milhões. A medida é uma das metas de criar alternativas econômicas ao modelo Zona Franca, que a cada ano enfrenta desafios. Para 2020, foram escolhidas 21 cadeias produtivas prioritárias para movimentação de incentivos, aportes financeiros e assistência técnica. Além disso, existem projetos  como a implantação do distrito agropecuário de Rio Preto da Eva e de Humaitá, e os programas de concessão de florestas, que tem o objetivo de gear emprego e renda de forma sustentável.

Veja Também