Opinião

COMPARTILHE

Promessa cumprida evitou desperdício de alimentos

Outras conquistas certamente ainda surgirão e serão anunciadas

Por Thomaz Meirelles

28 Jan 2020, 11h49

Crédito: Divulgação

A cada nova boa ação do governo Wilson Lima cumprindo as promessas de campanha para o setor primário e para a segurança alimentar e nutricional me sinto feliz em ter participado da construção de seu plano de governo para o setor agropecuário do Amazonas. É lógico que tem muito por ser feito, inclusive correções em alguns programas acertadas durante a campanha e na transição. Mas só tem um ano, tá começando apenas o segundo. Outras conquistas certamente ainda surgirão e serão anunciadas nesta coluna. O atual governo, seguindo o prometido nas eleições passadas, diferente dos demais ocupantes da “Compensa”, dos "experientes", resolveu fazer um ótimo "feijão com arroz" aliando-se aos feirantes, prefeitura de Manaus/Secretaria de Feiras, ao Programa Mesa Brasil/SESC e ao CONSEA-AM, incorporando ao Plano Safra 2019/2020 o indispensável apoio para reduzir o inaceitável desperdício de alimentos nas feiras de Manaus. Isso mostra a sensibilidade do governador Wilson Lima, do vice Carlos Almeida, do secretário Petrucio e equipe em reduzir o percentual de 49,2% dos amazonenses que não sabem o que vão comer no dia de hoje. Ano passado, em 2019, essa ação dos atores acima citados coletou 54 toneladas de alimentos que iriam ser descartadas. Isso mesmo, 54 toneladas que passaram por triagem e foram direcionadas a programas sociais. Dessas 54 toneladas, 42 t são oriundas dos feirantes da Manaus Moderna. O restante, 12 toneladas, oriundas dos produtores que fazem parte da feira coordenada pela ADS no estacionamento do Shopping Ponta Negra.

Números serão apresentados no comitê FIEAM/FAEA

Para reforça essa nobre iniciativa, semana passada, o governador Wilson Lima entregou a chave de um veículo que vai ficar exclusivo para essa ação de combate ao desperdício. A ideia é estender essa coleta para as demais feiras de Manaus. Já está agendada palestra para divulgar esses números na primeira reunião do Comitê de Apoio ao Agronegócio da FIEAM/FAEA. A iniciativa privada precisa abraçar essa ideia, pois "Não haverá paz enquanto houver fome". O estado (Sistema SEPROR), a prefeitura de Manaus, feirantes e o Mesa Brasil/SESC já mostraram que é possível fazer a triagem desses alimentos e destinar às famílias em vulnerabilidade social. Agora, a maior abrangência depende de mais mão-de-obra para essas coletas, pois Manaus tem 40 feiras, e esse total de 42 t foi apenas na feira da Manaus Moderna. Isso sim é trabalhar com seriedade o desperdício e a segurança alimentar e nutricional no Amazonas.

*Thomaz Antonio Perez da Silva Meirelles, servidor público federal aposentado, administrador, especialização na gestão da informação ao agronegócio. E-mail: thomaz.meirelles@hotmail.com

Veja Também