Polo Industrial de Manaus

COMPARTILHE

Projeção de crescimento em 2020 para o segmento de duas rodas no PIM

Por Antonio Parente

19 Nov 2019, 09h00

Crédito: Antonio Parente

A abertura do Salão de Duas Rodas 2019, realizada ontem (18), no pavilhão do São Paulo Expo, foi marcado por diversos lançamentos, novidades tecnológicas e ótimas projeções para o setor em 2020. O setor projeta para o fim de 2019 um total de 1.1 milhão de unidades produzidos no PIM (Polo Industrial de Manaus). A expectativa é que a curva de crescimento para 2020,  deva alcançar 1.175.000 motocicletas, correspondendo a uma alta de 6,3% ante as 1.105.000 unidades projetadas para este ano. Os dados foram divulgados durante o evento, pela Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).

O evento que ocorre entre os dias 19 e 23 de novembro, marca um grande momento de retomado do setor de motocicleta no Brasil. Com diversas novidades e investimento das principais montadoras instaladas no PIM, investidores e empresários puderam verificar números e expectativas positivas de grandes negócios para o próximo ano. Segundo a Abraciclo, o repasse de motocicletas das fábricas para as concessionárias deve somar 1.145.000 unidades, aumento de 6,9% em relação às 1.071.000 unidades que deverão ser vendidas no atacado em 2019.

No varejo, a expectativa é de aumento de 6,5%, passando de 1.070.000 para 1.140.000 unidades em 2020.

As revisões dos números mostradas pela Abraciclo projetam uma nova previsão de produção para 2019. A nova estimativa para produção total de 2019 é de 1.105.000 unidades, correspondendo a uma alta de 6,6% na comparação com o volume produzido em 2018 (1.036.788 unidades). A projeção anterior, apresentada em abril, apontava 1.100.000 unidades para o presente ano.

Segundo o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, um dos principais motivos para a retomada do crescimento foi o desempenho do mercado interno, que apresentou uma maior oferta de crédito com taxas de juros atrativas. Além disso, os novos players como os bancos digitais contribuíram para o maior interesse do consumidor.

“Esse quadro também foi estimulado pela apresentação de novos modelos no mercado, mais modernos, com novos recursos tecnológicos e design renovado.  Ainda contribuiu para esta alta a procura pelos consumidores por alternativas para a mobilidade urbana, com preferência por modos de locomoção de maior rapidez nas grandes cidades. A motocicleta traz grandes vantagens neste quesito, além de menores custos com combustível e manutenção”, destacou Marcos Fermanian.

Vendas no atacado

Outros destaque divulgados, foram os volumes de vendas ao atacado e no varejo. No atacado a nova expectativa é de aumento de 11,8%, saltando das 957.764 motocicletas repassadas das fábricas para as concessionárias em 2018 para 1.071.000 unidades até o final deste ano. A estimativa do início do ano era de 1.060.000 motocicletas. No varejo, a nova projeção é 1.070.000 motocicletas emplacadas neste ano, representando um aumento de 13,8% ante as 940.108 unidades licenciadas no ano passado. A estimativa anterior era de 1.020.000 unidades. 

Exportações

Segundo os dados referentes às exportações, o novo levantamento divulgado projeta um embarque de 34.000 motocicletas. Os números mostram um recuo de 40,5% ante as 57.131 unidades registradas em 2018. Em abril a expectativa era de 40.000 unidades.

 

Veja Também