Opinião

COMPARTILHE

Nós estamos adoecendo nossas organizações

O momento nas organizações é de instabilidade e preocupação

Por Flávio Guimarães

14 Jan 2020, 11h04

Crédito: Divulgação

O momento nas organizações é de instabilidade e preocupação. A velocidade da informação proveniente da evolução tecnológica tornou-se fato. O dia passou a ter que ser mais planejado, mais organizado, mais controlado, mais dirigido... Enfim, administrar extraordinariamente passa a ser a “bola da vez”. A diferença entre teoria e prática está mais acentuada e necessitando urgente de uma afinidade maior visando concretizar aquilo que foi pensado, planejado e que agora deve ser posto em prática juntamente com os demais processos buscando com isso o equilíbrio do entendimento e da fala, pois agora a necessidade de uma comunicação clara e transparente com todos os funcionários da organização é fator decisivo para o sucesso, lucratividade, faturamento e rentabilidade da organização. Vemos também o grande desafio para os líderes atuais que buscam dentro de todo o contexto negativo existente forças para superar os objetivos, todavia, falamos aqui dos grandes líderes apenas.

Neste novo contexto os funcionários passam a ser chamados de colaboradores na teoria, todavia na prática continuam, na grande maioria das vezes, sendo tratados como mero números, menos até que funcionários. Gestores tolhem a capacidade produtiva e criativa dos subordinados afim de simplesmente “segurar seu emprego” e esquecem que seus superiores hierárquicos conseguem ver está incapacidade. 

A falta de clareza e objetividade na comunicação empresarial organizacional prejudica todo o processo de uma empresa. Milhões de reais são gastos em programas e projetos que devido não possuir a transparência necessária acabam por não dar certo ou pior ainda necessitam de mais verbas que não estavam orçadas para esse fim, e aqui soma a exigência de lucro dos acionistas e o caos está montado e galopando. Há uma necessidade urgente de aperfeiçoarmos toda a comunicação dentro e fora da organização, juntamente com os participantes do processo. Assim, será possível prever as reais necessidades para atingir os objetivos traçados. A estratégia aqui ficará clara para realizar o planejamento tático real e iniciar o planejamento operacional visando transformar a teoria em prática com uma comunicação sem interferências.

Temos problemas organizacionais dos mais diversos possíveis desde a base da estrutura até o topo dela. Devemos nos conscientizar que podemos resolver, todavia devemos colocar um ponto final no processo anterior e iniciar um novo processo extremamente planejado a fim de conseguirmos concretizar um crescimento real. E o processo anterior? Devemos tratá-lo e resolver os desvios de modo desvinculado do novo processo, pois somente assim venceremos os desafios que estamos encontrando em nosso cotidiano. Por tudo isso as organizações buscam gestores lideres. Nunca se comentou tanto sobre as características de um grande líder como nos tempos atuais. A necessidade para fazer o processo funcionar unindo todos em busca de um mesmo objetivo já não é mais suficiente, agora o líder precisa além de fazer acontecer fazer com que os participantes do processo compartilhem os objetivos entre si e a atitude aqui é o diferencial.

Certamente estamos em um novo momento da história e devemos demonstrar nossa capacidade estratégica, administrativa, humana, técnica enfim. Devemos utilizar a teoria para melhorar a aplicação da pratica, pois não podemos mais somente falar e não fazer. A forma como estaremos nos comunicando será o grande diferencial para o sucesso da companhia e se o objetivo for compartilhado entre todos é por que acertamos na escolha do líder. Afinal, se pararmos e pensarmos, verificaremos que o que muda nos tempos atuais não é simplesmente a forma, mas a velocidade de como melhor administrar e o ritmo é que defini o vencedor e o perdedor, e a atitude é o diferencial, portanto, precisamos pensar rápido, planejar rápido, fazer rápido, supervisionar rápido, controlar rápido, porém com qualidade e acerto.

Vamos refletir sobre isto?

*Flávio Guimarães é Mestre em Engenharia de Processos pela UFPA, Diretor da Guimarães Consultoria e Treinamento Empresarial Ltda., Administrador de Empresas, Especialista em Empresas Públicas e Privadas, Pós Graduado em Gestão Estratégica de Negócios, Consultor Empresarial, Pós Graduado MBA Gestão e Docência do Ensino Superior, Professor Universitário (Estácio Amazonas), Consultor do SEBRAE, articulista com o quadro Gestão e Educação no Amazon Sat e Coordenador de MBA Executivo e dos Cursos de Logística, Qualidade e Recursos Humanos e do LPG – Laboratório de Práticas em Gestão da Faculdade Estácio do Amazonas.

Veja Também

Artigo

Jussará Gonçalves Lummertz

14 Jan 2020, 11h36