Negócios

COMPARTILHE

Negócios mais diversos avançam sobre rodas em Manaus

Por Andréia Leite

16 Ago 2019, 16h23

Crédito: Andréia Leite

Nichos totalmente distintos e muita criatividade ditaram as regras em tempos de crise para três empreendedores. Como estratégia diferenciada para o negócio render, eles decidiram oferecer seus produtos e serviços sobre rodas e ir aonde o cliente estiver.

Há quatro anos, quem vê o ônibus de Sandra Saldanha, 50, não imagina que o veículo foi fruto de uma rescisão do antigo trabalho que funcionava como consultório odontológico móvel. Como já conhecia o mercado de beleza e era proprietária de um salão, encerrou as atividades no salão fixo e resolveu migrar para o atendimento móvel.  Transformou o ônibus e montou o Universo da Beleza Móvel levando os serviços para várias zonas de Manaus. 

Ela lembra que no início o foco era o atendimento aos funcionários do PIM (Polo Industrial de Manaus), onde os donos das fábricas contratavam os serviços. Mas, devido à crise, passou a levar os serviços para outros locais.  Além do ponto fixo, localizado no Centro da cidade, o Universo da Beleza Móvel, vai até empresas e festas. 

Sandra Saldanha investiu no negócio depois de sair de um emprego

O salão é compostos por cinco profissionais entre manicures e cabeleireiros. Sandra conta que os preços são bem populares. Com a crise ela precisa oferecer muitas promoções. 

“A curiosidade das pessoas em saber como é por dentro atrai os clientes e muitas que pretendem tirar fotos, acabam realizando algum tipo de serviço”, conta.

José Ribamar pensa na comodidade do cliente

Lava Jato Móvel

Levar um lava jato até a residência do cliente, foi a ideia de negócio do microempresário,  José Ribamar Tavares, 39. Ele idealizou a criação de um Lava Jato Móvel. O serviço que é adaptado numa picape strada, funciona há dois anos. “Resolvi comprar os equipamentos aos poucos e começar com o que eu tinha. Um dia coloquei o equipamento em cima e adaptei uma pequena cobertura e fui divulgar em frente ao condomínio próximo ao meu bairro e desde este dia não parei mais”.

Os serviços que tem agradado a clientela vai desde a lavagem simples e geral em todos os tipos de veículos, incluindo caminhões, ônibus, máquinas, tratores, caçamba. 

Os equipamentos: compressor, aspirador, gerador de energia, além de um depósito com mil litros de água, um motor de 56 adaptado com uma bomba de pressão do lava jato e os produtos básicos como limpa aluminio, sabão, desengraxante e shampoo próprio para este fim. 

Ribamar diz que a vantagem do modelo de negócio é que as despesas são bem menores por se tratar de um serviço móvel.  “Além da comodidade e praticidade para o cliente”. 

Salgados veganos fazem sucesso de forma itinerante

Sucesso na kombi

Tipicamente brasileira a coxinha tem seu valor. E quando ela é vegana? Essa é a proposta do microempresário, Douglas Melchior, 33, que inovou, e há 3 anos sobre uma kombi toda reformulada, ele e a esposa, Rebecca Lussnig, 35,  levam os produtos para várias feiras na cidade. 

Todo o preparo é realizado na cozinha industrial do casal e em seguida eles levam para comercialização onde o salgado é frito na hora. Ao chegarem no local, toda a estrutura é montada. “A ideia foi atingir o nosso público alvo levando nossos salgados diretamente até eles. Como a maioria de nossas feiras é semanais ou mensais, a maioria de nossos clientes são fixos. Nós trabalhamos com produtos veganos, no Brasil é um mercado ainda um pouco desconhecido, mas a demanda está aumentando”, frisou Douglas.

Entre a diversidade dos recheios estão tucumã, palmito, tomate seco, azeitona,couve, champignon, quiabo, carne de soja. Além da tradicional coxinha, o casal vende também bolos e sucos, todos veganos.  

Apesar de muitos pedidos, ele conta que o casal ainda não está preparado para abrir uma loja física. Mas o modelo sobre rodas deu tão certo que levar os produtos diretamente aos clientes nas feiras é mais efetivo. 

Opinião

Para alguns empreendedores, este tipo de negócio itinerante é um passo para o mercado. Mas é preciso atentar para alguns desafios para manter o investimento de pé. 

Segundo a consultora empresarial, Michelle Guimarães, para se tornar um negócio próspero, o empreendedor tem que pensar em inovar e criar um produto ou um  serviço que o cliente perceba que existe uma diferenciação do serviço convencional, ou seja, ter algo a mais. 

“Essa inteligência o empreendedor tem que ter e saber aplicar para ganhar fidelidade. Tende a dar muito certo, mas para isso é importante se concentrar nos detalhes que o serviço ou o produto oferece. Tudo tem um custo. Ainda mais se pensarmos em deslocamento”. Mas garante quem souber fazer a coisa certa, pode ter sim, um bom faturamento. 

 

Veja Também