Gastronomia

COMPARTILHE

Manaus e vinhos combinam, sim

Dúvidas na hora de escolher os vinhos para as festas de fim de ano? Então siga as instruções de dois sommeliers  

Por Evaldo Ferreira @evaldo.am @JCommercio

22 Nov 2019, 20h06

Crédito: Divulgação

As festas de fim de ano já estão às portas, então, é bom ir se preparando para escolher os melhores vinhos para as comemorações. O Jornal do Commercio ouviu dois especialistas no assunto: o sommelier francês Emil Lecamp, gerente da Cantu, que esteve em Manaus, na semana passada, no evento Wine Day, da Adega Top Internacional Moinho; e o sommellier baré Pedro Missioneiro, do Pátio Gourmet.

Para degustação durante o Wine Day, Lecamp trouxe alguns rótulos premiados da Viña Ventisquero.

“A Ventisquero sempre busca produzir vinhos de alto nível em relação ao custo deles. No caso das premiações, muitos decorrem da ousadia da vinícola em criar vinhos fora do comum, como os que estão sendo produzidos no deserto do Atacama. Não por acaso o slogan da Ventisquero é ‘espírito desafiante’. Isso explica muito sobre essa busca de novidades e inovação”, afirmou.      

Em Manaus o sommelier francês apresentou três vinhos da linha Reserva: o rosé, o red blend e o cabernet.

“O cabernet é o nosso best seller. Trata-se de um vinho que realmente possui um nível muito alto de excelência. É uma bebida com características típicas de cabernet, mas ao mesmo tempo tem um lado delicado que muitos cabernet não conseguem ter nessa faixa de preço”, informou.

Lecamp trouxe ainda dois outros vinhos da linha Reserva desenvolvidos especificamente para o mercado brasileiro, com a tendência do rosé estilo Provence e o boom dos red blend mais redondos no Brasil.

“São vinhos da linha Grey, que demonstram para o mundo a qualidade da Ventisquero. É uma linha que já teve muitas vezes mais de 95 pontos e continua se mostrando de alto nível. No caso de Manaus apresentamos o Pinot Noir, que é de clima frio (Leyda), muito redondo e fresco com um corpo interessante; e o Carmenere, que passa 18 meses em madeira. É um clássico da linha”, completou.

“No caso das premiações, muitos decorrem da ousadia da vinícola”, Emil Lecamp - sommellier

Espumantes, muitos espumantes

No final do ano, com chuvas e sol constantes, é quando mais sentimos nosso clima amazônico quente e úmido. E Lecamp indicou o tipo de vinho para esse clima.

“Rosé, sempre rosé, mas como o costume de consumo em Manaus é em casa/restaurantes enfim, durante uma refeição no ar condicionado, então tintos vão bem também. Mas o mais importante é observar com o que se vai harmonizar”, alertou.

Sobre os melhores vinhos do mundo, Lecamp também já os escolheu.

“Minha opinião não é muito justa, porque sou francês onde, com certeza, são fabricados os melhores vinhos do mundo, mas estou sendo surpreendido pelos vinhos americanos e australianos produzidos nos últimos anos”, disse.

Emil Lecamp, gerente da Cantu, esteve em Manaus para o Wine Day

Quanto aos vinhos brasileiros, Lecamp apenas confirmou o que os brasileiros há muito já sabem. Os melhores são os espumantes.

“Espumantes, muitos espumantes. Acredito que o forte do Brasil são os espumantes, apesar de as vinícolas brasileiras continuarem se aperfeiçoando em outros estilos”, revelou.

E para quem está pensando em comprar vinhos caros, porque seriam os melhores, atenção aos conselhos do especialista.  

“Não. O vinho mais caro não é o melhor. Os melhores vinhos são os que você gosta Vinho bom é o que te dá prazer, então, um bom vinho e uma boa companhia são o que há de melhor nas festas de final de ano”, ensinou.

Dicas para presentear

Agora, se você quer presentear alguém, com bons vinhos, siga as dicas de Pedro Missioneiro.

“A primeira dica é o kit ‘Chandon Colors Collection Brut’, que além da bebida inclui duas taças exclusivas. O espumante é elaborado com as uvas Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico e é excelente para acompanhar entradas de qualquer ingrediente, a exemplo de carpaccios, saladas verdes com legumes ou petiscos variados”, listou.

Outra opção é o espumante espanhol ‘Cava’ Freixenet Carta Nevada semi-seco elaborado com as uvas típicas da região de Penedés, da Catalunha, na Espanha, parellada, macabeo e xarello. A bebida é ideal para acompanhar frutos do mar, risotos e carnes brancas.

“Sugiro também o vinho branco chileno ‘Rayun Reserva Chardonnay’. Se o prato escolhido for à base de peixe ou frutos do mar, esse Chardonnay é a escolha certa. A bebida  também é ótima opção para acompanhar queijos de leite de vaca, de búfala e de cabra, desde os macios até os semi-duros”, falou.

Outro vinho chileno que é ótima opção para presentear é o branco ‘Adobe Reserva Sauvignon Blanc’. Vinhos brancos jovens, leves e ácidos como este Sauvignon Blanc são uma excelente pedida para momentos de descontração como um happy hour. “Nozes, frutas secas, presunto de parma e diversos queijos podem acompanhar esse momento informal sobretudo em dias mais quentes como o verão amazônico”, aconselhou Pedro.

Concluindo, Missioneiro sugeriu o vinho tinto argentino ‘Finca Las Moras Reserva Malbec’.

“Um vinho robusto, moderadamente tânico, fresco, amadeirado. Harmoniza bem com picanha e bife chorizo na brasa, guisados de carne de caça tipo javali, ossobuco com risoto de açafrão e queijos duros”.

 

Veja Também