Gastronomia

COMPARTILHE

Investindo com os ricos alimentos amazônicos

Por Evaldo Ferreira

03 Fev 2020, 16h34

Crédito: Divulgação

Da simbiose de um guia turístico com um amante da boa culinária, surgiu o chef Fábio Silva, um paulista que veio para Manaus há 36 anos e aqui ficou. Enquanto o guia mostra e fala para os turistas sobre as belezas naturais da Amazônia, o chef conta histórias sobre a gastronomia cabocla e mais, cria pratos com matéria-prima regional adquiridos, principalmente, junto a comunidades que praticam a economia inclusiva. Para profissionalizar seu trabalho, Fábio e a esposa Sandra Espíndola, criaram a empresa Amigos da Floresta Turismo e Gastronomia.

“Desde quando comecei a trabalhar como guia pelo interior da Amazônia, me identifiquei com a região, admirei as comunidades e me apaixonei pela gastronomia”, contou.

Foi quando ele resolveu contar histórias sobre determinadas comidas e teve a idéia de elaborar receitas com um toque especial de criatividade.

“De uma em uma, atualmente tenho umas 150 receitas criadas por mim como, por exemplo, o ‘beringi frito com salmão de dois’, baseado no ‘jaraqui frito com baião de dois, ou o ‘terrine de pupunha’. Terrine é um tipo de patê francês, assado e fatiado’, disse.

“Tem também o ‘tambaqui a igapó’, o peixe mergulhado no azeite (como se estivesse nas águas mornas de um igapó), em forno médio até cozinhá-lo. Acompanha risoto com pimenta calabresa e queijo coalho esticando, como os galhos de um igapó, mais legumes panc, oriundos de um igapó”, detalhou.

No cardápio exótico de Fábio, ‘filé de jacaré em molho de café, com leite de castanha’ e ‘sanduíche de carne de jacaré acompanhado de jardineira’.

“Todos são assim, pode-se dizer, exóticos, e para quem desejar mais privacidade, preparo almoços e jantares em domicílio. É só solicitar o serviço”, adiantou.

Em abril, Fábio irá receber oito chefs paulistas que descobriram seu trabalho através das redes sociais e agora o querem conhecer, e às suas criações, pessoalmente.

35 produtos, várias famílias

Aproveitando sua habilidade em contrabalançar matérias-primas e criar um novo produto, Fábio e Sandra lançaram uma linha de alimentos artesanais para venda nos eventos dos quais participa e nas feiras de produtos regionais que se espalham por Manaus.

“Até agora já desenvolvemos 35 produtos, divididos em famílias, de alimentos amazônicos artesanais, saudáveis e sustentáveis. Só a família das geléias tem 15 sabores preparadas com as frutas da estação. Elas têm pouco açúcar, zero de corantes e conservantes”, assegurou.

Atualmente as geléias comercializadas pelo casal são de açaí, cupuaçu com mangarataia, pimenta de cheiro, cupuaçu com maracujá e araçá boi. À medida que começa a estação de determinada fruta, logo surge a geléia.

“Na família das pimentas temos o azeite com murupi, a berinjela a Dom Carmelo na Amazônia (que leva azeite de murupi), e a farinha de Uarini com murupi. Os três, para quem gosta de pimenta, são acompanhamentos de qualquer prato”, avisou.

Na família da granola, são quatro os sabores, cada um pensado para um tipo específico de atuação no organismo humano.

“O açaí com tucumã e guaraná é energético; a pupunha com oito tipos de frutas e três tipos de castanhas é rica em fibras e proteínas; a banana com fibra de maracujá reúne quatro tipos de bananas: pacovã, prata, nanica e maçã. É um relaxante muscular; já a mangarataia com fibra de maracujá é termogênica e imunológica”, garantiu.

O catálogo da Amigos da Floresta ainda tem as famílias dos molhos e das conservas.

Aprendendo com a família

“Trabalhamos com uns 40 itens amazônicos como matéria-prima, todos adquiridos junto a produtores familiares locais, principalmente os que atuam em projetos comunitários de economia inclusiva e criativa”, revelou.

Fábio gosta de contar que a paixão pela boa comida vem passando de geração em geração, em sua família, e de cada geração ele cooptou algo específico.

“Minha avó era do interior de Minas. Nunca soube ler nem escrever, mas fazia um monte de comidas como ninguém. Tinha tudo decorado na cabeça, e não ensinava para ninguém. Se quisesse aprender, tinha que ficar do lado dela, observando. Com ela aprendi a dar alma para a alimentação”, lembrou.

“Minha mãe cozinhava para uma família imensa e as refeições saíam todas na hora. Comidas deliciosas, como as da minha avó. Com ela aprendi a praticidade e a rapidez”, recordou.

“Meu irmão mais velho é daqueles que gosta de oferecer uma boa comida para os amigos que o visitam. Com ele aprendi a sofisticação. Então procuro, nas refeições que faço, e mesmo na nossa linha de produtos artesanais, imprimir estas três marcas. Por isso os serviços e produtos da Amigos da Floresta são bem aceitos pelos clientes”, afirmou.

Fábio recompra e recicla as embalagens de seus produtos e os copos que utiliza são compostáveis e biodegradáveis, industrializados a partir do bagaço da cana.

Contatos com Fábio e Sandra podem ser feitos através do: 9 8260-5892.      

Veja Também