Tributos

COMPARTILHE

Banda larga fixa no Brasil tem os impostos mais caros do mundo

Os dados são do relatório de Medição de Desenvolvimento Digital, da União Internacional de Telecomunicação

Por Redação

21 Mai 2020, 15h18

Crédito: Divulgação

Todo mundo já meio que suspeitava disso e, agora, a União Internacional de Telecomunicação (UIT), agência da Organização das Nações Unidas (ONU) especializada em tecnologias de informação e comunicação, confirma: o Brasil tem a maior carga tributária de banda larga fixa do mundo. Os dados foram apresentados nesta terça-feira (19), no relatório de Medição de Desenvolvimento Digital, com a análise dos preços praticados pelo setor de telecomunicações mundo afora em 2019.

O documento mostra que, em média, 40% das contas pagas no ano passado são destinados aos tributos. Em 2018 era ainda mais alto, o equivalente a 40,15%. O Brasil é líder entre os maiores valores cobrados, enquanto a Zâmbia, com 33%, vem na segunda colocação. Grécia e a República Dominicana aparecem na sequência, com 30%, e Croácia, Suécia, Bielorússia e Turquia cobram 25%.

Na banda larga móvel, a situação é semelhante, com tributos de 40% sobre o valor total da conta. Apenas Egito (43%) e Jordânia (46%) exigem mais do que o governo brasileiro. Segundo o relatório da UIT,  nos dez países com planos mais baratos de pacotes premium (voz e dados) o imposto vai de 0% a 25%. E isso acontece também com a banda larga fixa — o que nos faz lamentar ainda mais o quanto pagamos para navegar na web por aqui.

Veja Também