7 de agosto de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Cartunista, quadrinista e agora escritor

Depois de publicar centenas de charges e cartuns em jornais de Manaus, ilustrar livros e editar HQs, o cartunista e quadrinista Romahs resolveu lançar seu primeiro livro, lógico, ilustrado, o infanto-juvenil ‘Todos os meus gatos de volta’. Romahs é nome de destaque entre os quadrinistas amazonenses porque é o único da Região Norte a ter suas histórias publicadas nos ‘gibis’ de Maurício de Sousa.

“Eu era o único, até 2020, quando minha filha Beatriz Mascarenhas também começou a trabalhar para a Maurício de Sousa Produções. Ela mora em Marselha, na França, onde estuda roteiros, e de lá manda seus trabalhos para a MSP. A Beatriz escreve os roteiros e o Emerson Medina faz os layouts enviados para a MSP. Na primeira leva de trabalhos feitos por ela, uma das histórias foi publicada como história principal”, falou orgulhoso.

Rogério Mascarenhas é mais um parintinense que se destaca pela sua arte. Em 1977, quando a televisão chegou a Parintins, Romahs tinha apenas seis anos e ficava vidrado com os desenhos animados exibidos na TV. Também nesse período chegou a primeira banca de revistas à ilha Tupinambarana e sua mãe comprava gibis para o pequeno.

“Uma funcionária da minha mãe lia as histórias do Homem Aranha para mim. Desde cedo aprendi a desenhar, mas foi na escola do Irmão Miguel, pintando telas e esculturas, que desenvolvi diversas técnicas. Cheguei a desenhar vários santos, em telas, depois pintadas por Irmão Miguel”, recordou.

Com 14 anos, Romahs veio para Manaus, estudar, e com 15 participou de uma exposição no Colégio Benjamin Constant, com desenhos feitos com caneta Bic.

“Eu não sabia nem o que era caneta nanquim naquela época”, disse.

Maurício lagrimou

Em Manaus, o primeiro emprego de Romahs foi no Jornal do Norte, em 1996, então o jornal mais moderno da capital, com equipamentos de ponta. Depois trabalhou nos jornais O Estado do Amazonas, Diário do Amazonas, A Crítica, e até no Jornal do Commercio. Também trabalhou como ilustrador na Universidade Nilton Lins e foi professor de HQs no Cláudio Santoro.

Sua grande chance como quadrinista surgiu, por acaso, em 2011.

“A Editora Valer havia publicado uma grafic novel, com capa dura, um trabalho muito bonito, onde constava um trabalho meu. O pagamento foi uma caixa cheia com aquelas revistas. Resolvi mandá-las para várias editoras de quadrinhos de todo o Brasil e uma delas foi parar nas mãos do Sidney Gusman, editor da MSP e braço direito do Maurício de Sousa”, contou.

“O Sidney ligou para mim e pediu que eu produzisse algo. Eu disse a ele que escreveria a história de como a Mônica ganhou o coelho Sansão. O Sidney depois me disse que o Maurício lagrimou quando leu a história”, completou.

Romahs foi a São Paulo, conheceu os estúdios da MSP e viu que os desenhistas trabalhavam em casa. Sidney lhe falou que a MSP tinha desenhistas em todo o Brasil, menos no Norte. O parintinense fez um teste, foi aprovado e desde então se tornou um quadrinista dos gibis de Maurício de Sousa com histórias publicadas regularmente.

“Desde 2014 estou direto trabalhando com eles, mas em 2020 comecei a publicar minhas próprias HQs, pela Editora Reggo. Já publiquei ‘Mao 39 graus’ e ‘Contos do Mato’, com o estúdio Ilustrada; e vou publicar ‘Mao Pin Guari’, com o estúdio Buriti, de Parintins; e agora o livro ‘Todos os meus gatos de volta’. Até o final do ano sai ‘O menino que morava no poste’, meu segundo livro”, adiantou.

Filho deu a ideia        

A ideia do livro surgiu quando Arthur, filho de Romahs, então com oito anos, entrou na cozinha querendo saber como estavam os filhotes de sua gata que haviam sido doados. “Percebi que tinha ali uma ótima ideia para um roteiro de quadrinhos, um menino numa missão: reaver seus bichanos distantes e saber como estavam passando. Depois pensei melhor: por que não um livro ilustrado?”, indagou.

A história se passa num fim de tarde chuvoso quando o menino Bubba, um garoto simples, acima do peso, com TDAH e ansiedade, ouve miados num beco escuro. É uma gatinha abandonada, ele a adota. Logo a presença dela na sua casa irá jogá-lo vertiginosamente numa aventura muito perigosa, num universo mágico que o menino nunca sonhara adentrar. Ela dá a luz a seis gatinhos mágicos raptados por forças malignas. Em meio a poderosos deuses egípcios, amedrontadores monstros gregos, guerreiros felinos mesoamericanos e seres mitológicos orientais, o garoto precisa resgatar seus gatinhos mágicos antes que o planeta todo pague pelos planos terríveis do vilão, o vingativo deus homem-leão Apedemak.

“Escrever esse primeiro livro foi muito desafiador e ao mesmo tempo empolgante. Valeu a pena mostrar esse meu lado escritor”, finalizou.

O projeto de ‘Todos os meus gatos de volta’ foi contemplado no edital Conexões Culturais, da Manauscult, através da Lei Aldir Blanc.

O livro vai ser lançado no Instagram @romahs_mascarenhas, às 19h do dia 27, quinta feira. Além do site www.umlivro.com.br, estará à venda na Banca do Largo, e na Feira da Eduardo Ribeiro, na barraca Don’t Panic.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email