Fundado em 2 de janeiro de 1904
Usuário
Senha
23/07/2013

Hissa Abrahão coloca o bloco na rua

Depois de passar os seis primeiros meses da administração sem querer aparecer muito, para não se desgastar com o titular, o vice-prefeito Hissa Abrahão (PPS) recebeu o aval para colocar seu bloco na rua, de olho nas eleições de 2014. Ele esteve ontem na Câmara Municipal de Manaus para fazer um balanço das atividades da Secretaria Municipal de Infraestrutura e revelou o tamanho de seu desafio: o total de ruas que precisam de recapeamento é de 14.800, mas a prefeitura não deve chegar nem à metade disso neste ano, o que já significa um avanço e tanto se acontecer. Até agora o secretário garante que já fez o tapa-buraco em 3.500 mil. Se conseguir se destacar nestes 15 meses de atuação na área, o jovem político poderá se credenciar a disputar o governo do Estado, disputa para a qual já tem o aval do grupo político em que está inserido. “Cerca de 30% dos entrevistados ouvidos em uma pesquisa que recebemos aceitaram muito bem minha candidatura”, disse.



RECUERDOS

Há vinte anos, um outro jovem político exercia os mesmos cargos de Hissa – a vice-prefeitura e a Infraestrutura. Tinha a mesma idade – 33 anos – e a mesma popularidade. Saiu dali para construir uma das mais brilhantes carreiras que o Estado conheceu. Era Eduardo Braga, que despontou para o topo a partir do momento em que foi vice de Amazonino Mendes. Agora os dois poderão se enfrentar numa disputa das mais renhidas.

PESQUISAS

Os institutos Action e Perspectiva estão nas ruas, em busca de dados sobre o comportamento do eleitorado, a um ano do início da campanha eleitoral estadual. Ambos fazem levantamentos completos, não apenas com a população da capital, como vinha acontecendo. A diferença é o contratante. Enquanto um trabalha para o grupo liderado pelo senador Eduardo Braga, o outro atende o governo estadual.

ARQUIVADO

O juiz eleitoral Luís Márcio Nascimento Albuquerque, da 1ª zona eleitoral, decidiu arquivar o processo em que a então candidata Vanessa Grazziotin (PCdoB) acusava seu adversário, o atual prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), por uma suposta agressão em frente à TV Em Tempo, no que ficou conhecido como a “farsa do ovo”. Ela alegava ter sido vítima de injúria real e turbação de propaganda eleitoral lícita, bem como eventual crime de divulgação de fatos inverídicos na propaganda eleitoral.

CORAGEM

Depois de ser desmentido por prefeitos em encontro com o governador Omar Aziz, o secretário de Produção Rural, Eron Bezerra, decidiu autorizar que seus assessores divulgassem novas estatísticas ontem, ao anunciar a promoção de uma demonstração de Manejo e Prática do Tambaqui na fase adulta (despesca), no reservatório de Balbina, maior parque aquícola do Brasil, no Porto Turístico de Mirandinha (Presidente Figueiredo). Resta aguardar as reações.

RISCO

Um princípio de incêndio atingiu na tarde de ontem a Casa do Albergado de Manaus, na avenida Codajás, Cachoeirinha. Felizmente bem perto do quartel general do Corpo de Bombeiros, que chegou ao local em quatro minutos e evitou que as chamas se propagassem para o posto de gasolina localizado bem ao lado. O susto foi grande. Ninguém se feriu. No quarto onde aconteceu o princípio de incêndio foram queimados um beliche, colchões, um ventilador e roupas dos internos.

AGORA SIM

A assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa acertou ontem ao divulgar o trabalho das comissões temáticas. Ao contrário do que aconteceu na semana passada, desta vez os dados foram mais concretos, substituindo as expressões vazias que passavam a impressão de enrolação. A Comissão de Constituição Justiça e Redação Final, por exemplo, apreciou um total de 397 projetos. É a principal da Casa.

OS ELEITOS

O levantamento divulgado ontem mostra quem são os deputados mais “confiáveis” na hora de relatar os projetos. Eles são David Almeida (PSD), presidente da CCJR, que relatou 82 proposições, e Belarmino Lins (PMDB), vice-presidente da Casa, que ficou com 64. O líder do governo, Sinésio Campos (PT), é o terceiro com 59. Os três juntos relataram quase a metade de tudo o que foi votado.

SEM GREVE

Os médicos do Estado param hoje, em protesto contra uma série de situações, entre elas a iniciativa do governo federal de trazer médicos estrangeiros para atuar no país. A Secretaria de Estado da Saúde, entretanto, garantiu que nenhuma unidade da rede estadual de saúde será fechada em decorrência da paralisação. Os gestores e demais servidores das unidades deverão permanecer atendendo, inclusive para informar os usuários, se for necessário, sobre os motivos de eventuais alterações no atendimento médico e orientando sobre a necessidade de remarcação de consultas.



Por Jornal do Commercio AM
Imprimir Enviar por E-mail
Compartilhar: Compartilhe no Facebook Compartilhar no LinkedIn Compartilhe no Twitter
Comentários (1)
Nome:
Mensagem:
n8aXldROP
Foi realmente de muito mau tom ter rebceido um e-mail a felicite1-la pelo trabalho que fez no livro do seu pai e nunca ter rebceido resposta.
PUBLICIDADE
Colunistas
© 2014 Todos os direitos reservados a Empresa Jornal do Comércio Ltda. Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.