Fundado em 2 de janeiro de 1904
Usuário
Senha
04/02/2016

Vitória Régia faz homenagem à Terra do Nunca e seus personagens

Um desfile para crianças e para adultos que não esquecem nunca o seu lado infantil. Assim deve ser a apresentação do Grêmio Recreativo Escola de Samba Vitória Régia com o enredo "A Terra do Nunca é Verde e Rosa". Falando em Terra do Nunca, falou em Peter Pan, o garoto que não queria se tornar adulto.

"Logo na comissão de frente vamos trazer a família Darling: George e Molly, pais de João, Miguel e Wendy, esta, a paixão de Peter Pan", falou Kaleb Aguiar, carnavalesco da Vitória Régia.

No carro abre alas, a representação da Terra do Nunca e seus personagens. A Terra do Nunca é uma ilha descrita no livro "Peter Pan", do escritor escocês J. M. Barrie, de 1911. "Nesse carro virão Peter Pan, a travessa e irritadiça fada Sininho e os Meninos Perdidos", contou Kaleb, que durante 14 anos foi mestre sala da A Grande Família e há dois é o carnavalesco da verde e rosa da Praça 14. "A viagem à Terra do Nunca já começa no abre alas", completou.

Após o carro abre alas virão as baianas, "vestidas de fadas, como a Sininho", disse. Sininho surgiu pela primeira vez em 1904, na peça "Peter and Wendy", do próprio J. M. Barrie. Tão carismática é a fadinha, fiel companheira de Peter Pan, que se tornou uma figura representativa da The Walt Disney Company, cujo desenho animado de 1935, foi um dos grandes sucessos da empresa.

"As demais alas da escola virão apresentando os vários personagens da história, com destaque para os Meninos Perdidos, os seis amigos de Peter Pan que se apresentam vestidos com roupas de animais selvagens como raposa, urso, gambá, coelho, guaxinim, e esquilo", lembrou.

O mestre e capitão Gancho

Mas, e os piratas? Quem conhece a história de Peter Pan sabe que eles, apesar de quererem fazer mal para o garoto é que dão graça à história, por isso virão com destaque na escola, na bateria. "O mestre de bateria será o Capitão Gancho e os ritmistas os seus piratas", adiantou. Capitão Gancho, ou Capitão Hook, mesmo malvado, é um personagem hilário, sem a mão esquerda, no lugar da qual colocou um gancho. A mão do Capitão foi engolida por um jacaré que o persegue sempre que o vê e chega fazendo o barulho Tic-Tac, de um despertador que está em sua barriga. À frente da bateria virão Marcela Santos e Alayane Nunes, rainha e madrinha da bateria, respectivamente.

Encerrando o desfile da Vitória Régia virá o último carro denominado "Não deixe o samba morrer, nem a criança que está dentro de você". "Nesse carro virão vários personagens de histórias infantis que têm feito a alegria das crianças ao longo de décadas, no mundo todo. E mais uma vez Peter Pan será homenageado com uma alegoria de corpo inteiro, de 30 metros de altura do garoto que não queria ficar adulto", esclareceu.

A Vitória Régia trará como destaque o cerimonialista Lucius Gonçalves, responsável, nos últimos anos, pela organização do concurso de Miss Amazonas. Falando em Miss Amazonas, Karol Toledo, a Miss Amazonas desse ano, e Estefanny Schuk, Miss Brasil América também virão como destaques da escola.

Correndo para finalizar a confecção das últimas fantasias de luxo, Kaleb dá uma atenção especial às fantasias do mestre sala Glleidson Lessa e da porta bandeira Anikie Sena. "E ainda tem o segundo e o terceiro casal. Eles carregam a bandeira da escola, por isso merecem essa atenção", explicou.

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Vitória Régia entra na passarela do samba às 4h, do dia 7 de fevereiro, domingo, levando mais de 3.500 componentes divididos em 25 alas.

Um pouco de história

A Vitória Régia foi fundada em uma segunda-feira, 1º de dezembro de 1975, na casa da Tia Lindoca, na rua Jonathas Pedrosa, Praça 14 de Janeiro, às 17h. Seus principais fundadores foram Zé Ruindade, Fernando, Chiquito, Tia Lourdinha (rainha das baianas) e a própria Tia Lindoca, entre outros, sendo estes, descendentes dos fundadores da tradicional Escola de Samba Mista da Praça 14. Nenhum dos fundadores é vivo nos dias atuais, mas deixaram esse legado para o bairro que hoje tem na escola um dos seus maiores orgulhos.

A Vitória Régia realizava seus ensaios no pátio da casa da Tia Lindoca até 1988, às vezes em ocasiões especiais, na própria praça do bairro. Em 1989 a escola ganhou sua quadra coberta, ao lado da igreja de Nossa Senhora de Fátima, na rua Emílio Moreira. Desde então houve um movimento para o maior profissionalismo da agremiação, que começou cedo a colecionar títulos (o primeiro foi em 1977). De lá até hoje já são 11 títulos e 12 vice campeonatos.

O título mais recente da Vitória Régia é o de 2014 (as notas não foram abertas e, devido à forte chuva que caiu durante parte do desfile, todas as escolas foram consideradas campeãs). Antes disso, houve o de 2010 com o enredo "Cantando o Pensamento na Amazônia, a Verde e Rosa Saúda os Imortais".



Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
Imprimir Enviar por E-mail
Compartilhar: Compartilhe no Facebook Compartilhar no LinkedIn Compartilhe no Twitter
0 Comentários
Nome:
Mensagem:
PUBLICIDADE
Colunistas
© 2018 Todos os direitos reservados a Empresa Jornal do Comércio Ltda. Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.