Manaus, 19 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Uma Taberna no mercadão

Por: Evaldo Ferreira - evaldo.am@hotmail.com
04 Set 2018, 17h02

Agradar ao paladar de turistas que viajam pelo mundo inteiro não é para qualquer chef, mas foi isso que o carioca Cláudio Procópio fez durante dez anos, de 2006 a 2016, preparando o cardápio do navio Iberostar Grand Amazon em seus cruzeiros pelos rios Negro e Solimões.

        Antes, Cláudio já havia trabalhado em restaurantes no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Itaparica, mas foi no Amazonas que ele se apaixonou pela culinária local e aqui resolveu ficar. "Sou amazonense de coração desde que aqui cheguei, em 2006", recordou.

        No ano passado ele ainda trabalhou no restaurante Naia, do hotel Holiday Inn Manaus, até resolver que chegara a hora de montar sua própria casa, inaugurada em junho com o nome de Taberna do Chef Procópio, e num lugar pra lá de sugestivo, um belo espaço nos altos do mercado Adolpho Lisboa, o popular mercadão.

        "O local estava fechado e ocioso, e quando me ofereceram, não pensei duas vezes para montar meu restaurante", contou.

        O cardápio da Taberna do Chef é o básico do básico, mas um básico que agrada à maioria dos paladares. Estrogonofe de carne, bife grelhado, peito de frango grelhado na chapa, sardinhas do rio Negro, jaraqui do chef, caldeirada da Taberna, carne de sol do mercado, camarão de rio e pirarucu defumado, entre os principais.

        "O diferencial dos meus pratos é que a maioria das matérias primas é fresca, comprada aqui em baixo, no mercadão. Só faço descer as escadas e já estou cercado por carnes, frangos, peixes, temperos e molhos do dia", relatou.

        Pirarucu servido dentro do coco verde

        "Procuro dar um diferencial em cada um dos meus pratos como, por exemplo, o camarão de rio. Todo mundo é acostumado a comer o camarão salgado, de mar, mas além deste, sirvo o de rio, aqui dos nossos rios. É servido na chapa super quente, acompanhado de arroz na manteiga de garrafa, vinagrete e farofa", falou.

        "O jaraqui do chef é outro dos pratos que mais sai, principalmente pelo visual que dou ao prato. O peixe é acompanhado de arroz com tucupi e jambu, farofa e vinagrete. Agora o carro-chefe mesmo, talvez pelo diferencial de ser servido dentro de um coco verde, é o pirarucu defumado. O peixe vem acompanhado com banana frita, legumes, leite de coco, arroz na manteiga, coco ralado e farinha do Uarini", explicou. "E tem mais. A defumação do pirarucu é feita por um processo desenvolvido pelo pesquisador Nilson Luiz, do Inpa, diferente da defumação tradicional e saudável", revelou.

        "Sempre quis ter um restaurante onde o cliente pudesse levar para casa aquilo que comeu no local. Comecei com a farinha do Uarini aromatizada, com pimenta, preparada e engarrafada por mim. Também tenho a castanha torrada, cortada em pequenos pedaços, que podem ser consumidos junto com a comida, e ainda disponibilizo a variedade de pimentas, em vidros, da Agronvida Pimentas, preparadas com a mistura de diversos outros sabores", explicou.

"Estou em entendimentos com o pesquisador Nilson Luiz, para começar a comercializar postas de pirarucu defumado de 200 gr. Estamos estudando a melhor forma de embalar o produto para que fique com um belo visual e o cliente possa levá-lo para saborear na tranquilidade de sua casa", adiantou.

Além de chef, escritor

A Taberna do Chef Procópio está localizada na rua dos Barés, 526, centro, altos do mercado Adolpho Lisboa. Funciona de segunda-feira a sábado, das 11h às 15h, e tem capacidade para 30 pessoas sentadas com visual das ruas do entorno do mercadão através dos grandes janelões do prédio centenário. Aos domingos, feriados e à noite, o restaurante é aberto somente para grupos fechados. Informações: 99172-6488.

"Temos um elevador, para duas pessoas, mas só para aquelas com alguma dificuldade em se locomover", alertou.

Cláudio gosta de lembrar que ele tem a participação em dois livros, patrocinados pelo Senac. Um deles é 'A formação da culinária brasileira'; e o outro é 'Culinária amazônica', além de ter ganhado o prêmio Dolmã, em 2015, considerado o laurel máximo da gastronomia brasileira.

Atualmente ele preside a AAGE (Associação Amazonense Gastronomia Empreendedores) que reúne qualquer empreendedor que trabalhe com gastronomia amazônica. "O objetivo da associação, registrada há um ano, é reunir a classe dos empreendedores da área gastronômica, para que todos se conheçam, através de nossas reuniões bimestrais nos estabelecimentos dos associados, e se ajudem mutuamente conhecendo os produtos uns dos outros. No final do mês iremos realizar uma feira onde os associados poderão mostrar seus produtos e serviços para o grande público", adiantou.   
 
***

Comentários (1)

  • Claudia mendonca06/09/2018

    Ele faz toda diferenca...sabe e esta fazendo um trabalho fantastico em um local super especial da nossa Manaus , mercado Adolfo Lisboa

Deixe seu Comentário