Manaus, 24 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Manaus é 5ª capital em inadimplência

Por: Fred Novaes
10 Set 2018, 19h12

Manaus fechou o ano de 2017 como a quinta capital em inadimplência no Brasil, com 38% das famílias com dívidas em atraso. A cidade ampliou em 1% o total de famílias com dívidas atrasadas, na comparação com o ano anterior que fechou com 37% das famílias com atraso nos pagamentos. Os dados constam da oitava edição da Radiografia do Endividamento das Famílias Brasileiras, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Com abrangência nacional, análise foi feita com base em informações do Banco Central do Brasil, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O estudo avalia os principais aspectos, dimensões e efeitos da política de crédito no Brasil sobre as famílias entre 2015 e 2017, período transitório, com encerramento da crise econômica (2014/2016) e início de um processo de recuperação em meio às incertezas políticas e econômicas.

Apesar do resultado negativo para a inadimplência, o desempenho da capital amazonense já foi melhor do que o nível registrado em 2015 quando 41% das famílias manauaras estavam com dívidas em atraso. "Na Região Norte, os indicadores apontam uma recuperação mais lenta do período recessivo, diferentemente do que acontece principalmente no Sudeste e no Nordeste", explicou a assessora econômica da Fecomércio/SP, Júlia Ximenes. Para a economista, a instabilidade política no país em muito contribui para a demora na recuperação. "Quando as famílias perdem a confiança em razão do alto nível de desemprego o consumo se retrai e a inadimplência cresce", disse.

Outra dado aferido na radiografia da Fecomércio/SP mostra o humor da economia nas capitais. O nível de endividamento revela como as famílias estão confiantes para adquirir bens de maior valor agregado que necessidade de compras a crédito ou financiamento. Nos três último anos esse percentual passou de 86% das famílias com dívidas em 2015, para 67% em 2016 e 62% no ano passado. "Esse momento de crise abalou a confiança dos consumidores que retraíram o uso do crédito e o financiamento", explicou a economista.

O estudo também mostra o nível de comprometimento da renda com as dívidas. Neste aspecto, Manaus aparece bem colocada. Na Região Norte, Belém e Manaus aparecem abaixo do nível nacional, com 13% - a segunda menor taxa do País - e 27%, respectivamente.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário