Manaus, 19 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Moda e esporte: os novos alvos da Amazon no Brasil

Por: Estadão Conteúdo
22 Ago 2018, 16h44

Crédito:Divulgação/Amazon
Amazon passa a competir em dois relevantes mercados do e-commerce que, juntos, representam 20,4% dos pedidos de compras online


Amazon anunciou hoje (quarta-feira, 22/08) o lançamento das lojas de moda e esporte em sua plataforma de marketplace no Brasil. São centenas de marcas disponíveis na plataforma, como a Havaianas, Jogê, Copodarte, Rosa Chá e Farm. A curadoria de marcas da Amazon conta com o estilista Reinaldo Lourenço e o designer de jóias Jack Vartanian, entre outros. Na categoria de esportes, é possível encontrar produtos de marcas como a Speedo, Mizuno, Caloi, Penalty, Fila e Garmin.

São mais de 300.000 produtos de esportes e moda que podem ser parcelados em até 10 vezes sem juros no cartão.

"Começamos com uma pesquisa sobre o que os clientes brasileiros gostam. Vimos quais eram as marcas mais desejadas aqui no Brasil, tanto internacionais quanto nacionais, como também as marcas de nicho", contou o gerente-geral da Amazon Moda para o Brasil, Otávio Alves. A gigante do comércio está há pouco mais de 5 anos no país. Em abril do ano passado, a empresa começou a vender livros em seu marketplace. Em outubro de 2017, a empresa investiu nos eletrônicos, seguidos de produtos para casa, cozinha e papelaria.

Alves reitera que a percepção do cliente em relação à marca é de fundamental importância. "O foco principal da Amazon é a experiência do cliente. Hoje acreditamos estar prontos para lançar a categoria moda porque temos um catálogo suficiente para atender os nossos consumidores", afirmou. Ainda segundo o gerente-geral da Amazon Moda para o Brasil, mais de 50% das unidades de produtos vendidos globalmente no ano passado foram por meio do marketplace.

Embora as lojas de moda e esporte sejam novidades na Amazon do Brasil, esse modelo de negócio já é bem conhecido mundo afora. Essas duas categorias já existem em países como os Estados Unidos, Japão, Austrália e alguns países da Europa. "A gente trouxe a bagagem e a experiência que a Amazon já tem com todo o e-commerce e o marketplace, mas adicionando um 'tempero brasileiro'", afirmou Alves.

Ainda que a inspiração tenha vindo de fora e que a experiência do usuário na plataforma, segundo a empresa, seja a mesma em qualquer lugar do mundo, as lojas do modelo brasileiro não oferecem exatamente os mesmos serviços que outros países. Nos Estados Unidos, por exemplo, a empresa já dispõe de um serviço chamado Prime Wardrobe, algo como "guarda-roupa Prime". Ele funciona basicamente da seguinte forma: o cliente escolhe três ou mais itens que podem ser roupas, sapatos ou acessórios e tem até sete dias para provar todos os produtos e se decidir com qual ou quais ele gostaria de ficar. Os itens que serão devolvidos devem estar dentro da caixa com a etiqueta. Depois disso é só deixar o pacote na UPS da Amazon e finalizar a compra. Como incentivo, a empresa ainda oferece desconto de 10% para os consumidores que ficarem com dois ou três produtos e para quem resolver ficar com quatro ou todos os itens, o desconto chega a 20%.

De acordo com uma reportagem do Wall Street Journal, a empresa estaria convidando algumas pessoas para irem até seu escritório em Nova York e tirarem as medidas do corpo utilizando um scanner em 3D. A projeção em três dimensões poderia, então, fazer com que os clientes pudessem provar as roupas virtualmente para escolher qual modelo querem levar.

Cerca de 25 marcas vendem somente em suas próprias lojas e na Amazon. "O lado bom do marketplace da Amazon é que você não precisa entrar em cada uma das lojas para comprar um produto. É possível fazer uma única compra e adquirir produtos de diferentes marcas e categorias", diz Alves.

Os itens estão divididos em subcategorias que englobam a alta costura, novos estilistas brasileiros, marcas nacionais e internacionais, puls-size, vegano e/ou sustentável e os produtos artesanais. A vantagem para os vendedores é que uma vez que as marcas entram no marketplace da empresa aqui no Brasil, elas também poderão vender seus produtos no Canadá, Estados Unidos e México.

Em seu marketplace, a Amazon adquire de nenhum produto. O cliente realiza a sua compra diretamente da loja. O custo financeiro do parcelamento em até 10 vezes sem juros, por sua vez, não é cobrado do vendedor. Os clientes podem devolver o produto em até 7 dias e o custo da entrega e devolução fica a cargo do vendedor.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário