Manaus, 13 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Transação bancária a um click

Por: Antonio Parente
18 Ago 2018, 15h51

Em uma sociedade onde tempo é dinheiro, ter praticidade e qualidade nas transações bancárias sempre foi o sonho de qualquer consumidor. E o que falar da ausência de encargos como anuidades, taxas de serviços e manutenção da conta e a possibilidade de você acessar sua conta a qualquer hora? É com esse diferencial que os bancos digitais estão cada vez mais presentes no dia a dia dos brasileiros, e conquistam a cada instante sua fatia no mercado com facilidades e menores custos.

Para o economista e especialista na área de investimento, Eduardo Cezar de Carvalho, ter uma conta corrente digital é a solução ideal para quem deseja facilidades e uma relação de serviços mais rápida e eficaz com o seu banco. E principalmente, para quem pretende economizar e cortar gastos desnecessários.

"O sistema dos bancos digitais são uma realidade e estão presentes no mercado. Eles vendem um bom produto, uma boa segurança. Além de serem seguros, eles apresentam algumas vantagens para o consumidor como a facilidade na comunicação com seu banco. Eles oferecem serviços gratuitos por meio de um aplicativo que permite o cliente ter acesso via internet", disse.

Para o consultor financeiro, André Torbey, especialista em coaching, o uso de serviços por meio de aplicativos no smartphone, trouxe bastante facilidades para as movimentações financeiras de sua empresa. "Hoje é muito mais cômodo fazer todas as transações pelo aplicativo do celular ou pelo internet banking. Os bancos digitais prestam um excelente serviço. Ainda mais para quem não tem a necessidade de ir às agências bancárias. Mas é preciso ter cuidado, antes de abrir a conta, pois é importante pesquisar os registros do banco, consultar se existem reclamações e outros pontos de atenção.", disse.

Outro benefício citado pelo economista Eduardo, é a isenção total de tarifas, onde o cliente pode realizar transações ilimitadas seja pelo celular ou tablets sem custos adicionais. Serviços como pagamentos de contas e boletos, consulta de saldo ou extrato e operações financeiras, podem ser feitas pela internet de forma rápida e cômoda sem precisar enfrentar as longas filas dos bancos físicos.

"Para o consumidor, uma das vantagens são as isenções de anuidade e redução de taxas. Geralmente essas taxas são cobradas para remunerar os funcionários dos bancos. E a partir do momento que não existem esses funcionários para prestar tais serviços, não há a necessidade das taxas existirem. Nesse caso, ou elas são extintas ou são reduzidas para o consumidor. Os bancos digitais vendem o conceito de rapidez, facilidade da tecnologia e poucas dores de cabeça em filas", explicou.

Bancos

Eduardo explicou, que para os bancos, o sistema permite que as empresas diminuam mais a folha salarial nas suas receitas e reduzam a quantidade de funcionários na prestação de algumas atividades. Com isso, alguns serviços no mercado dentro do setor deixam de existir, para dar lugar ao novo sistema.

"Com esse sistema digital quem sai perdendo é o trabalhador dos bancos que acabam perdendo essa área de atuação no mercado. As pessoas que fazem atendimentos em caixas ou agências por exemplo, tendem a perder espaço porque tudo será digitalizado. O nível de oferta de emprego neste setor tende a diminuir", explicou.

Segurança

Eduardo alerta, que apesar de todos os benefícios oferecidos pelo banco digital, é necessário o cliente ficar ciente que o sistema é passivo a invasão, assim como qualquer outro serviço utilizado pela internet. Porém ele destacou, que pelo fato do mercado valorizar muito a credibilidade e os serviços, as empresas bancárias investem diariamente para manter o sistema seguro.

"Existem investimentos altíssimos que são determinados antes do período de atuação da empresa. O valor de quanto eles vão investir na tecnologia para prestar o serviço e o valor para manter o sistema seguro. Os bancos são os maiores interessados de manter o sistema seguro. E com certeza eles investem para que tantos os investidores quanto seus clientes, tenham segurança na hora de colocar seu dinheiro no banco", ressaltou

Público

Em relação ao mercado consumidor, Eduardo ressaltou que o público jovem é o que está mais vinculado aos serviços de transações bancárias digitais. E explicou, que isso se deve muito mais a uma questão cultural do que a forma de atuação do sisistema. Para ele,
muitos clientes de idade avançada e com mais recursos de capital, ainda preferem e sentem mais confiança em resolver suas transaçõe financeiras no banco físico.

"O aspecto que mais pesa na decisão dos clientes continuarem nos bancos físicos é a parte cultural. Os bancos mais tradicionais pretendem atingir uma fatia de mercado com pessoas idade mais avançada e maior estabilidade financeira. Os clientes mais conservadores têm uma confiança maior nos bancos físicos, que passam uma credibilidade e segurança a eles. Eles pensam que quando tiverem um problema poderão ir ao banco conversar com o seu gerente ou algum funcionário e sentem confiantes em resolver seus problemas. Diferente do banco digital que eles ainda não têm confiança", disse

Comentários (0)

Deixe seu Comentário