Manaus, 16 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Home Office para super pais

Por: Antonio Parente
11 Ago 2018, 14h52

Manter o equilíbrio entre a vida profissional e familiar é um verdadeiro desafio. Em uma sociedade onde tem sido importante priorizar a criação dos filhos, a decisão paterna de deixar de trabalhar fora para exercer sua atividade profissional em casa, no sistema home office, tem sido cada vez mais comum entre os "papais" de plantão.

Sem querer abrir mão do prazer de acompanhar o crescimento de seus pequenos, muitos "guerreiros da paternidade" já embarcaram nessa ousada jornada, e aprendendo uma nova lição a cada dia, contam que tudo na vida tem seu tempo, e cada coisa tem sua ocasião.

Mas, se engana quem pensa que trabalhar em casa foi uma decisão fácil para esses corajosos homens. Para o jornalista Kleiton Renzo de 35 anos, foi uma verdadeira odisséia. Em 2013, por não conseguir conciliar suas atividades de repórter com a criação de seu filho, teve a coragem de pedir demissão do jornal onde trabalhava. Após isso, passou a dar aulas à noite para turmas de jornalismo em uma universidade de Manaus, situação que o possibilitou de ter mais tempo de qualidade com seu filho Ícaro, que na época tinha 8 anos de idade.

"Eu trabalhava numa redação de jornal onde entrava pela manhã e saia a noite. Muitas vezes eu saia de casa com meu filho dormindo e chegava em casa e com ele dormindo. Teve uma hora que eu decidi parar, pedi demissão e fui lecionar à noite em uma universidade. Pela manhã, conseguia acompanhar meu filho antes de ele ir para escola. Pela tarde, eu ainda estava em casa quando ele retornava da escola, e com isso eu conseguia um tempo a mais com ele. Foi nesse momento que comecei a perceber a vantagem de trabalhar em casa", disse.

O estilo do sistema home office na vida de Kleiton, abriu a ele muitas possibilidades de exercer sua atividade profissional, sem deixar de acompanhar o crescimento e desenvolvimento do seu filho. Com o s frequentes atrasos salariais da universidade, o jornalista vislumbrou uma grande oportunidade de ser correspondente do jornal Estado de São Paulo, na capital amazonense. E em 2015, tornou-se assessor de imprensa de um deputado da Assembleia Legislativa do Amazonas, onde ele tinha horário de trabalho flexível e sai a tempo de ficar com seu filho.

"Em 2016 eu pedi demissão. Sempre amadurecendo a ideia de trabalhar de casa com um projeto próprio de comunicação. Nesse ano, em parceria com minha esposa, Andréa Vieira, também jornalista, criamos um site chamado 'Qual a Boa', para ser uma agenda dos eventos de Manaus e também me cadastrei como micro-empreendedor Individual para profissionalizar ainda mais os trabalhos freelance", explicou.

Atualmente, além de se editor do "Qual a Boa", Renzo trabalha no site de notícias Tribuna do Amazonas e atua como assessor de imprensa da Apeam (Associação dos Praças do Estado do Amazonas). E na sua corrida frenética na busca de exercer sua atividade profissional, consegue dar tempo para o seu filho sem abrir mão de fazer o que mais gosta, que é de ser jornalista.

"Hoje tenho a oportunidade de estar em casa e acompanhar meu filho nas mais variadas situações. Se ele precisa de ajuda eu paro tudo e dou atenção a ele. Às 11h eu paro pra fazer o almoço para ele almoçar antes do colegio. Eu sempre tive uma relação muito próxima com ele. Mesmo quando houve a minha separação com a mãe dele, acho que esse tempo que fico em casa ajuda a amenizar um pouco de toda a tensão que foi esse processo", contou.

A decisão de Kleiton em trabalhar no sistema de home office, o possibilitou ensinar e educar seu filho sem deixar de construir sua carreira. E nesse período, ele tem aprendido que trabalhar e ser pai são duas responsabilidades que podem se misturar, desde que sejam feitas com disciplina, e hoje colhe os frutos de sua decisão com uma relação mais próxima com ele.

"Ele me fala das novidades da geração dele, e eu conto das nossas coisas 'velhas' da década de 90. A gente joga vídeo game juntos e eu sempre perco de goleada no Fifa. Puxo a orelha por causa de nota baixa na escola. aquelas coisas de sempre. Eu tive coragem de chutar o pau da barraca e meter a cara, tudo com muita ajuda de todos em casa", ressaltou.

Depoimentos

Apaixonado pelos filhos e dedicado em suas atividades profissionais, o empresário e coach de carreiras Salomão Nunes, sempre procurou conciliar trabalho e tempo de qualidade com a família. "Tenho a minha família, meus filhos com prioridade na minha vida. Meu trabalho, mesmo sendo extremamente prazeroso, considero como um instrumento e ferramenta para ajudar pessoas e proporcionar uma boa qualidade de vida e ser presente na vida dos meus filhos", disse.

Com o objetivo de acompanhar de perto o crescimento e desenvolvimento de seus filhos, Salomão trabalhou de forma criteriosa a transição de sua carreira sem deixar de atuar nas áreas pela qual ele tanto se especializou. A decisão levou o executivo a ter condições de ajudar desde cedo sua esposa, nas atividades diárias.

"Hoje, consigo diariamente deixá-los e buscá-los na escola, acompanhar nos esportes e ballet. Acompanho e ajudo minha esposa nas tarefas e provas dos meninos. Desde que nasceram, procurei ajudar ao máximo minha esposa: dava banho quando bebês, ficava acordado nas madrugadas e não deixava a carga toda para ela. A falta de um pai traz transtornos e traumas, e não quero ter essa culpa. Sou um executivo, mas acima disso, sou um pai presente 100%", disse.

Rodrigo Botelho Auler, é empresário e digital influencer, trabalha há dois anos no sistema de home office, o que o possibilita de aproveitar o tempo com seus 2 filhos.

"Eu gosto muito de estar com a família, então minha decisão foi uma ótima opção para estar mais perto dos filhos e reduzir os custos. Para mim é ótimo e não pretendo mudar a forma de trabalhar tão cedo"

Por dentro

De acordo com uma pesquisa global feita com 1.876 diretores de RH, em 16 países, mostrou um aumento na preferência de profissionais e empresas pelo home office. Para 47% dos executivos brasileiros entrevistados, o trabalho remoto aumentou nos últimos 3 anos, enquanto somente 8% observaram a diminuição dessa tendência e outros 37% perceberam que a concessão do benefício permaneceu igual durante o período de estudo.

O Brasil é o terceiro colocado no ranking de países onde a adoção do home office mais aumentou. Quem lidera a lista é a China com 54% dos entrevistados apontando para o aumento da tendência no país, seguido por Singapura, onde cinco em cada dez entrevistados observaram o aumento do trabalho em casa, nos últimos três anos.

Dicas aos papais - Por Paula Pedrosa

  • 1.
  • Antes de iniciar o trabalho pela manhã, tome banho e troque de roupa para ficar mais relaxado, e não ficar sonolento para o dia de trabalho que está começando.
  • 2.
  • Tenha um cômodo da casa exclusivo para ele, para que as atividades e situações a administrar da casa não tomem conta do seu dia, deixando-o sem tempo para o trabalho.
  • 3.
  • Deixe o cônjuge, filhos e demais pessoas que possam estar na casa, cientes de que você está indo trabalhar, e que só o chamem para algo pessoal se for realmente importante.
  • 4.
  • Quando precisar fazer reuniões, melhor fazer em outro lugar que não seja em casa, para não expor sua família e intimidade. Existem várias salas que podem ser alugadas apenas para reuniões, outras podem ser pagas mensalmente e você utiliza quantas vezes for necessário.
  • 5.
  • Reúna os colegas de trabalho e seus superiores para um almoço, para que não percam o contato pessoal, que é muito importante.
  • 6.
  • Seja disciplinado. Apesar da flexibilidade, horário de trabalho é de trabalho.
  • 7.
  • Seja proativo. Você não terá pessoas para fazerem algumas atividades no seu lugar. É você e você.

    Comentários (0)

    Deixe seu Comentário