Manaus, 16 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Centro da Indústria do Estado do Amazonas completa 39 anos

Por: Antonio Parente
08 Ago 2018, 14h13

A batalha pela preservação do modelo ZFM (Zona Franca de Manaus) no âmbito nacional, tem sido um dos princípios fundamentais que têm direcionado as atividades do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), que amanhã, comemora 39 anos de luta pelos interesses de seus associados e do estado do Amazonas.

Criado com o objetivo de representar as indústrias diante dos governos federais, estaduais e municipais, a entidade foi fundada no dia 10 de agosto de 1979, por meio de uma assembléia geral entres empresário do estado, na antiga sede da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), na Avenida Getúlio Vargas, no Centro. Na ocasião, foram votados entre os membros, o estatuto social da entidade, a eleição e posse dos conselhos e os diversos assuntos referentes à sua atuação.
E hoje, é um dos principais defensores do principal sistema econômico do Amazonas.

O presidente fundador da entidade, foi o diretor da Brasil Juta S.A Fiação e Tecelagem de Juta, Mário Expedito Neves Guerreiro, que juntamente com outros associados, deram início às atividades da entidade, visando sempre defender, preservar, desenvolver, fortalecer e consolidar as indústrias em geral e o modelo zona franca no Amazonas.

Atribuições

Além de defender os interesses do principal modelo econômico do estado, o Cieam também tem como uma de suas atribuições, participar de associações e convenções de interesse da indústria, além de organizar e oferecer aos seus associados, serviço de assistência no campo jurídico fiscal, técnico organizacional e recursos humanos. A missão da entidade é levar também, o setor industrial do Amazonas à conquista de posição de destaque nos cenários nacional e internacional. O Cieam orienta também, as empresas que estão em suas atividades iniciais ou que estão em fase de expansão no mercado. Além de promover a gestão de conteúdo, conhecimento e inovação entre as companhias associadas, ajudando a criar parcerias estratégicas com outras entidades.

Desafios atuais

O atual presidente do Cieam, Wilson Périco, falou dos principais desafios da entidade, a qual destacou, os inúmeros ataques às isenções fiscais que têm beneficiado as empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus). E reforçou, que uma das principais deficiência da política econômica do país, é a falta de um programa de desenvolvimento que estimule o potencial de cada estado, criando uma economia sólida que possibilite a geração de emprego e renda entre eles.

"Temos sido constantemente atacados por conta do que chamam de renúncia fiscal. Nosso estado era inteiramente dependente dos recursos da União. Com o advento do modelo ZFM passamos a ser um dos 8 que devolvem à União, arrecadação que superam os repasses compulsório que recebemos. É a chamada renúncia fiscal o problema do País? Ou a falta de um plano desenvolvimentista que enxergue e incentive as potencialidades de cada estado?", disse.

De acordo com Périco, a indústria é responsável por 50% da arrecadação dos principais impostos municipais, como o ISS (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza), Iptu (Imposto Predial e Territorial Urbano) e Alvará de Municipal. E com a finalidade de valorizar os serviços que as indústrias e o modelo econômico oferece para o estado, reforçou, que o Cieam tem lutado junto com outras entidades de classe, como a Fieam, para manter os interesses da zona franca intactos.

"Geramos riqueza para o País, para o estado, para o município. Porém, não vemos contrapartida; as vias do Distrito Industrial estão intrafegáveis. A conservação do Distrito Industrial não existe. Ninguém cuida daquilo que dar sustentação socioeconômica da nossa cidade e do nosso estado. Os maiores problemas ao modelo não estão fora daqui, quem faz mal para nós somos nós mesmos. Essa tem sido nossa luta, sempre pelo direito do modelo no âmbito nacional mas pelo respeito a esse modelo no âmbito doméstico", ressaltou o presidente.

Périco ressaltou, que apesar do modelo zona franca ser importante para o estado, é preciso também, desenvolver atividades econômicas em outros municípios, com o intuito de enxergar potencialidades para desenvolver atividades que gerem riquezas e renda ao povo do interior.

"Somos um estado rico em riquezas naturais que não podem ser exploradas. Ou seja, a preservação deixou de ser um bônus e passou a ser um ônus ao Amazonas; temos potencialidades, minerais, turísticas que precisam ser devidamente exploradas e desenvolvidas, a fruticultura, a piscicultura, a pesca esportiva são algumas dessas potencialidades. Não sobreviveremos mais uma década com a concentração de riquezas na capital. 95% do ICMS do Estado vem da capital. Nós temos outros 61 municípios que têm grandes potencialidades", disse.

Galeria dos presidentes do Cieam

  • 1979 à 1981
  • - Pres. Fundador: Mário Expedito Neves Guerreiro
  • 1981 à 1987
  • - Fernando Franco de Sá Bomfim
  • 1987 à 1989
  • - Daniel Jack Feder Bruno Antonio Caloi
  • 1989 a 1991
  • - Nelson Azevedo Dos Santos Bruno Antonio Caloi
  • 1991 a 1998
  • - Cristóvão Marques Pinto. em 10/05/98 assumiu a SIC e passou a presidência para Maurício Loureiro
  • 20-05-98 a 2011
  • - Maurício Elísio Martins Loureiro
  • 2011 a 2019
  • - Wilson Luiz Buzato Périco

    Sedes do Cieam

  • 1ª Sede
  • : Av. Getúlio Vargas, 1.116 - Centro;
  • 2ª Sede
  • : Leonardo Malcher, 802 - Centro;
  • 3ª Sede
  • : Joaquim Nabuco, 1919 - Centro;
  • 4ª Sede (atual)
  • : Rua Acre, 26, 4º. And. Ed. Manaus First Tower - Vieiralves

    Comentários (0)

    Deixe seu Comentário