Manaus, 24 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Amazonas continua crescendo até 2060

Por: Antonio Parente - aparente@jcam.com.br
26 Jul 2018, 14h03

Crédito:Reprodução
A projeção populacional do Amazonas é de mais de 5,8 milhões de habitantes até 2060, segundo o resultado do último estudo demográfico realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os estudos mostram, que as mulheres amazonenses que hoje possuem uma das maiores taxas de fecundidade, passarão a ter cada vez menos filhos. Já nos próximos doze anos, as mulheres passarão a ser maioria.

Em 2018, o Amazonas possuía a segunda maior taxa de fecundidade do país -com 2,28 nascimentos para cada mulher em idade reprodutiva -atrás apenas de Roraima que registrou 2,31. Nasceram em todo Estado 82.900 pessoas. O estudos estimam que até 2060, essa fecundidade vai diminuir para 67.046 nascimentos.

Segundo o supervisor de disseminação de informações do IBGE, Adjalma Nogueira Jaques, o novo comportamento feminino na era da modernidade, tem levado as mulheres a optarem por terem menos filhos. Com isso, elas passam a priorizar mais a profissão atuando de forma mais ativa no mercado de trabalho, não se dedicando à vida materna.

"Com o pensamento de terminar primeiramente os estudos, arrumar um bom emprego e casar -que ainda é algo tradicional na sociedade - a mulher passou a ter um comportamento mais ativo. E quando se passa por esses degraus, a maioria já está na casa dos 40 com a possibilidade de ter filhos reduzida. Além de existir, aquelas que podem ter filhos, mas, optam em não ter por questões econômicas. E a tendência é que daqui alguns anos as mulheres com idade férteis tenham poucos filhos", explicou.
Em 2018, a proporção de homens na população amazonenses foi de 50,2%. Em 2030 haverá uma inversão nesse padrão, e as mulheres passarão a ser maioria (50,02%). E a tendência que até 2060, as mulheres seja a proporção maior com 50,65%. Para isso, Adjalma destaca o fato de as mulheres terem um comportamento mais preocupadas com a saúde e qualidade de vida, o que as tornam mais preparadas que os homens no que diz respeito a viver mais.

"A mulher sempre teve um comportamento mais preocupado com a saúde cuidando da sua alimentação e de seu bem-estar do que os homens. Isso é uma atitude que as deixa em vantagem em relação aos homens", disse.

Outro fator destacado pelo supervisor do IBGE, é o fato de o índice de mortes ser muito maior entre os homens do que entre as mulheres.

Segundo ele, 90% das mortes relacionados a causa de violência tem envolvimento masculino, "Se você for verificar, a maiorias das mortes seja por homicídio ou outros fatores são mais entre os homens", disse.

Óbitos

Os dados apontaram, que a medida que os anos avançam a tendência do número de óbitos crescer é alta. Em 2018 morreram no Estado cerca de 21.920 pessoas. Em 2040 esse número vai chegar a 35.750. Para alcançar em 2060 em torno de 56.868 falecimentos por ano.

Amazonas, menos jovens e mais idosos

A Projeção da População, também permite medir o envelhecimento populacional comparando a população com 65 anos ou mais de idade e os menores de 15 anos, através do índice de envelhecimento da população. Para o Amazonas, o índice em 2018 mostra que o Estado tem 16 idosos com 65 anos ou mais para cada 100 crianças de até 14 anos. Em 2040 o número de idosos chegará a 46. E, em 2060 alcançará 97 idosos para cada 100 crianças. "Isso indica que teremos praticamente o mesmo número de pessoas idosas e crianças. Esse comportamento se diferencia entre os Estados, e essa inversão pode ocorrer antes ou depois do comportamento nacional", disse Adjalma.

Mortes aumentarão nos próximos anos

Em sentido contrário, a tendência do número de óbitos é crescer à medida em que os anos avançam. Em 2018 morreram no Estado cerca de 21.920 pessoas. Em 2040 esse número vai chegar a 35.750. Para alcançar em 2060 em torno de 56.868 falecimentos por ano.
"Do outro lado, pessoas vão estar encostando no limite máximo do ser humano e passarão a entrar no processo de mortalidade", explicou.

Por dentro

Devido à redução no número de nascimentos, a idade média do amazonense tende a aumentar nos próximos anos. Em 2018 a idade média da população local era de 25,6 anos. Em 2040 passaremos a ter uma média de idade de 33,56 anos; alcançando em 2060 uma média de 39,63 anos. Enquanto que o brasileiro terá idade média de 45,6 anos e gaúcho terá média de 47,8 anos.

Idade média

Conforme os dados, devido à redução no número de nascimentos, a idade média do amazonense tende a aumentar nos próximos anos. Em 2018 a idade média da população local era de 25,6 anos. Em 2040, esse número será de 33,56 anos, alcançando em 2060 em torno de 39,63 anos. Enquanto que o brasileiro terá idade média de 45,6 anos e gaúcho terá média de 47,8 anos.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário