Manaus, 19 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

O profissionalismo de modo criativo

Por: Flávio Guimarães
03 Jul 2018, 16h10

Desconfiar, disfarçar, omitir, contratar os piores, faltar com a ética, desonestidade, péssimos serviços aos clientes, falta da pós-venda e até direcionamento equivocado, isto é o que está ocorrendo dentro de muitas das nossas organizações existentes. Precisamos profissionalizar sempre de modo criativo e honesto nossas empresas e isto é urgente. Muito dinheiro se perde por termos pessoas administrando para si e se defendendo no momento que deveria estar criando ou fazendo. Algumas organizações até sonham em estar entre as melhores para se trabalhar, mas, os responsáveis por isso, quase sempre não possuem um planejamento concreto para realizar tal ato e ficam se enganando e enganando os seus subordinados. O momento é preocupante mais tem jeito.

Devemos ter cuidado redobrados em nossa empresa a fim de fazermos dela um lugar de grandes profissionais. Devemos analisar profundamente pessoas que sempre querem agradar e deixam de fazer o que deve ser feito. Precisamos fazer o melhor para nossa empresa e assim fazer a diferença caso contrário seremos apenas mais um no mercado tão competitivo em que vivemos. Os profissionais não preparados disfarçam estar trabalhando através de tarefas menores e a omissão faz parte de seu cotidiano. Quando há necessidade de contratar alguém, este deveria escolher o melhor entre os demais candidatos, todavia, não é isso que ocorre em grande parte das vezes. O pior é quando há uma necessidade de se desligar algumas pessoas subordinadas a ele e normalmente, desliga os que mais contribuem para a organização que são aqueles que dão ideias e participam efetivamente do processo existente. Mas nem tudo está perdido, para resolvermos isto basta pensar, planejar estrategicamente e agir como um profissional ético, de caráter sabendo direcionar os atos buscando crescimento para a empresa e para as pessoas.

Há também uma grande necessidade de os subordinados serem mais estratégicos, pois, se tivermos um chefe que contamina o ambiente com seu comportamento negativo devemos estrategicamente buscar descontaminar o ambiente e se necessário até liderar nosso chefe naquele momento. Sim liderar nosso chefe se necessário e não ir contra ele, porém, a ética e a honestidade deve prevalecer sempre. Todavia, há muito tempo, a ética, a honestidade e a virtude estão sendo tratadas, com certa banalidade e isto leva para uma direção equivocada, pois, eleva a falta da ética e cria a desonestidade em todos os sentidos e não vemos virtude que auxiliam para o progresso da organização e consequentemente o atendimento correto de nossos clientes fica muito a desejar. Assim todos perdem. Há chefes e subordinados que sonegam informações, deixam de fazer o melhor negócio para o cliente ou empregador esquecendo com isso que hoje não podemos mais ser meros vendedores e devemos ser consultores para nossos clientes e evitar competições desnecessárias dentro da organização entre nós mesmos. Esquecem em pleno século XXI que precisamos orientar nossos clientes e colaboradores, pois, eles são nossa razão de viver enquanto empresa. Todavia, isto somente pode ser realizado por profissionais preparados e possuidores de vontade de realização e com espírito empreendedor. Mudar é necessário sempre, porém, a mudança deve ser vantajosa e lucrativa. Precisamos preparar melhores nossos líderes para serem criativos e estratégicos a todo o momento organizacional, inclusive em momentos de crises.

Certamente o processo organizacional precisa ser reavaliado. As prestações dos serviços vêm sendo penalizadas porque os profissionais mal preparados não buscam o que é útil, não identificam as necessidades dos clientes e direcionam forças para aquilo que querem e não para o que é necessário. Para isso se resolver muito devemos fazer e o início é acertar nas contratações de bons profissionais, treiná-los e capacitá-los, pois, o direcionamento e a boa Administração de esforços são fundamentais para podermos alcançar o sucesso. O maior desafio é que para combater maus profissionais precisamos, muitas vezes, tomar medidas radicais e até reiniciar todo um projeto, todavia, sempre haverá tempo e espaço para os melhores profissionais e somente estes fazem e continuarão a fazerem realmente a coisa acontecer rumo ao sucesso. Podemos começar optando por sermos os melhores ou simplesmente continuar a administrar equivocadamente nossos momentos profissionais e pessoas. É simplesmente uma questão de opção, portanto está em nossas mãos.
Vamos refletir sobre isto?

Comentários (0)

Deixe seu Comentário