Manaus, 23 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

O Dia Internacional do Ceviche em Manaus

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
28 Jun 2018, 13h47

Crédito:César Pinheiro
Depois de 36 anos fora de uma Copa do Mundo, o Peru voltou mal e foi desclassificado logo na primeira fase da competição após duas derrotas seguidas na Copa na Rússia, mas mesmo assim, no Miraflores não há tristeza com a comemoração, hoje (28), do Dia Internacional do Ceviche, a comida típica do Peru.
O ceviche foi declarado como Patrimônio Cultural da Nação Peruana pelo Instituto Nacional de Cultura, em 2004. Em 2008, declarou-se que o 28 de junho de cada ano se celebraria no Peru o 'Dia Nacional do Ceviche'. Atualmente, festejado nas principais capitais do mundo, a data tem uma conotação de festa internacional do prato dos irmãos peruanos.

Em Manaus, Robenita Caldas vai preparar oito tipos diferentes de ceviches no seu restaurante Miraflores, o restaurante mais peruano da capital amazonense.

Robenita é amazonense e foi professora de espanhol durante 16 anos, no Rio de Janeiro. De volta a Manaus, há cinco anos, resolveu fazer o mesmo que a mãe e a irmã, proprietárias de restaurantes em Tabatinga, onde serviam comidas típicas tanto da Colômbia quanto do Peru. "Vi que não havia em Manaus nenhum restaurante que servisse comida peruana, cuja gastronomia é uma das mais ricas, saborosas e elogiadas do mundo. Pesou também eu ter um cunhado e um sobrinho peruanos, e amar aquele país de rica cultura", contou.

"Manaus tem muitos peruanos e eles se ressentiam de não ter um local onde pudessem saborear as comidas de seu país, por isso desde que abri o Miraflores, ele faz muito sucesso, e o manauara acabou vindo e gostando da gastronomia, também. Os peruanos ficaram muito tristes com a eliminação da Copa, mas com certeza, vêm aqui para o comemorar o dia de seu prato mais tradicional", falou. "Claro que sirvo o ceviche como ele é preparado originalmente no Peru, com o sabor acentuado do limão e a pimenta, mas na nossa festa do ceviche teremos oito variedades porque regionalizei o prato. Em alguns deles amenizei a acidez do limão, tirei a pimenta, ou acrescentei leite. Teremos ceviches com peixes amazônicos, camarão, salmão, molhos, um coquetel de camarão e o manjar dos deuses ao molho de rocoto", adiantou. Mas o Miraflores não é só ceviche. O restaurante serve vários outros pratos andinos, como o arroz chaufa (arroz, carne bovina e suína, frango, ovos, banana madura e camarões), o chupe de camarão (camarão, macarrão cabelo de anjo, filé de pirarucu, ovo, batata, leite evaporado), a causa rellena (batata amassada, temperos peruanos, molho aji amarilho, cebola, frango desfiado, azeitona preta, salada de alface), a cecina (carne defumada frita, tacacho, banana amassada, bacon, temperos peruanos, salsa criolla, cebola, aji amarilho, cheiro verde) e o anticucho (coração de boi, creme de queijo coalho, patacon, batata e salada).

"E ainda temos as bebidas peruanas, as cervejas Cusqueña e Cristal, de trigo e pilsen, o refrigerante Inca Cola e a chicha morada, um suco de milho preto, bem típico do Peru, preparado aqui mesmo com os milhos que vêm direto do Peru para nós", revelou. O Miraflores funciona de terça-feira a domingo, das 11h às 23h. Tem capacidade para 76 pessoas sentadas e fica localizado numa bela área do Conjunto Beija Flor I, rua 4, número 196, telefones: 9 9428-4999, 9 8142-3838 e 3342-7099, no bairro de Flores.

Falando em Flores, Miraflores é um dos bairros mais bonitos de Lima, distante pouco mais de oito quilômetros do centro da capital peruana, conhecido por seus shoppings, lojas, restaurantes, cassinos, jardins, parques, praias e até mesmo sítios arqueológicos, como as ruínas de Huaca Pucllana, no meio de prédios residenciais.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário