Manaus, 21 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

EuroManaus investe no setor de estofados

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
26 Jun 2018, 19h20

Crédito:César Pinheiro
Uma sala de estar, por mais simples que seja, não será a mesma se não tiver um estofado. Por isso, com a economia do país ainda se 'arrastando', Manaus acabou de ganhar a EuroManaus, uma fábrica e loja de estofados, distribuídos num espaço de 1.200 m2, no Japiim, onde nas décadas de 1970 e 80, funcionou a Sonora, primeira empresa de revelação de fotos a cores na capital amazonense e que fez sucesso com as máquinas Love. Mais uma prova do investimento da empresa no bairro é que o prédio estava fechado há alguns anos, sem nenhum tipo de ocupação.

"Nossa empresa produz especificamente sofás, poltronas, puffs e cabeceiras para espelhos de cama", falou Brayan Gióia, consultor de vendas e marketing da EuroManaus.

"É um segmento que não tem sentido os efeitos da retração da economia, tanto que temos cerca de 50 funcionários diretos", disse.

Os móveis fabricados pela EuroManaus têm praticamente o mesmo formato. Os detalhes é que fazem a diferença de um para outro. "É aí que entra o nosso designer, responsável por dar esses detalhes. Um sofá pode ter dois, três lugares; ocupar o canto da sala; ser transformado numa cama; ter detalhes na costura que o tornam único e mais charmoso. A poltrona, apesar de ser um móvel para uma única pessoa, pode ter os mais infinitos formatos, do mais comum ao mais exótico. Da mesma forma os puffs. Já as cabeceiras têm sempre o mesmo padrão mas, mais uma vez os detalhes, como o capitoné, tornam únicas as peças", ensinou.

Com madeiras certificadas

O material utilizado para forrar os móveis são vários, bem como as cores. "Sued amassado, veludo liso, alimali, linho e courino são os mais comuns e responsáveis por tornar cada peça diferente da outra, tanto na textura quanto nas cores. Pode-se criar infinitamente que, se o designer desejar, jamais uma peça será igual à outra", lembrou.

"Nossos móveis são todos produzidos a partir de madeiras maciças, de reflorestamento. Madeiras certificadas. A espuma tem a densidade D 33, cada assento possui dois pistões de aço e, embaixo da espuma, percintas trançadas dão sustentabilidade ao assento, ou seja, as peças seguem um padrão de qualidade que fazem com que sua durabilidade seja longa. Um sofá, ou uma poltrona, dependendo das condições de uso, podem durar em média dez anos", assegurou.

"Diria que nosso público é das classes A e B, mas os preços das nossas peças são compatíveis com os preços de mercado. Um sofá retrátil e reclinável, por exemplo, pode custar 10 x de R$ 179, e uma poltrona sofisticada, 10 x R$ 39", informou.

"Nossa loja é ampla e possui um grande estacionamento, para atendermos melhor aos nossos clientes, mas se estes quiserem maior comodidade, temos vendedores externos que podem fazer visitas na própria residência do cliente", avisou.

A EuroManaus está localizada na av. Tefé, 2840, Japiim, ao lado do posto Atem. Funciona de segunda a sábado, das 9h às 18h. Informações: 9 9410-2411.


Números do setor moveleiro

Em 2017, no Brasil, o desempenho do setor moveleiro apresentou alta em praticamente todas as áreas -produção e emprego industrial, produtividade, varejo e exportação -no comparativo com 2016. É o que aponta a pesquisa Desempenho do Mercado de Móveis, realizado pelo Iemi (Instituto de Estudos e Marketing Industrial).

No acumulado do ano passado, a produção de móveis avançou 4,6% em volume de itens fabricados e 11,2% em valores comercializados com relação ao ano anterior. A empregabilidade na indústria moveleira também cresceu 2,2% em 2017. A produtividade média do setor evolui 5,7% na base anual.

Apenas o desempenho do setor moveleiro no varejo não acompanhou o ritmo da indústria. As vendas de móveis nas lojas, por volume, recuaram 2,1% no acumulado do ano. No entanto, em valores comercializados, o segmento teve alta de 2,1%.

Embora na base anual o desempenho do setor moveleiro tenha melhorado, o mês de dezembro de 2017 foi de recuo em praticamente todas as áreas. A produção industrial encolheu 13,9% em comparação a novembro, o emprego caiu em 1,4% e a produtividade em 7%. Somente as vendas no varejo, alavancada pela alta do consumo ao término do ano, cresceu 13% em volume e 12,9% em valores.
Em 2017, o Brasil avançou 7,8% nas exportações de móveis em relação ao ano anterior. No acumulado entre janeiro e dezembro foram US$ 650,5 milhões em valores negociados frente a US$ 603,2 milhões de 2016. Já as importações somaram US$ 625,9 milhões no ano de 2017, alta de 5,1% em relação a 2016, quando os valores acumulados foram de U$ 595,4 milhões.

Os Estados Unidos continuam sendo o principal destino das exportações de móveis brasileiros, absorvendo 26,4% dos produtos em 2017, seguidos por Reino Unido (10,75%), Argentina (9,98%), Uruguai (7,17%), Peru (6,30%), Chile (5,34%), Paraguai (5,18%), Bolívia (3,84%), França (2,59%) e México (2,09%).

Comentários (0)

Deixe seu Comentário