Manaus, 22 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Legado empreendedor do "seu Azevedo"

Por: Antonio Parente - aparente@jcam.com.br
26 Jun 2018, 14h04

Crédito:Walter Mendes
"O trabalho dignifica o homem, por isso, ele tem que estar sempre motivado e ocupado fazendo algo para a família e a comunidade". Foi com essa frase que o empresário José dos Santos da Silva Azevedo, fundador do Grupo TV Lar, iniciou a sua grande trajetória de sucesso no mundo do empreendedorismo. E com essas palavras, que ele deixa, aos 84 anos, o seu legado no mundo dos negócios, para entrar na galeria dos grandes empresários que transformaram o comércio amazonense.

Baseado na filosofia de respeito e profissionalismo, seu Azevedo construiu seu patrimônio comercial alicerçado na valorização dos seus colaboradores e no desenvolvimento da cidade. Com 45 lojas espalhadas em toda região do país, nos 54 anos sob sua liderança, o grupo Tv Lar alcançou sucesso no segmento, abrindo oportunidades de emprego para muitos trabalhadores amazonense.

Emoção

Em entrevista ao Jornal do Commercio na comemoração dos seus 80 anos, José Azevedo se emocionou ao lembrar dos fatos marcantes de sua carreira empresarial. E um dos marcos, foi quando ele foi até o Japão trazer a marca Yamaha para atuar na ZFM (Zona Franca de Manaus), onde em 1985, tornou-se um dos sócios.

Para Azevedo investir no Amazonas era a sua forma de contribuir para a economia.
"Fui ao oriente assinar os acordos para trazer a marca para Manaus e vi a bandeira do Brasil ao lado da bandeira japonesa, na sede da Yamaha". Para o empresário, investir no Amazonas foi sua forma de contribuir para a economia do Estado que lhe deu um grande lar e lhe deu oportunidade de alçar voos alto no mundo dos negócios. "Essa é nossa contrapartida para a comunidade que nos aceitou. Investir sempre em nosso Estado. Tudo o que temos está no Amazonas", disse o empresário na época.
Além da criação da TVLar e a sua participação em trazer a empresa japonesa Yamaha para a Zona Franca, outro grande investimento do empresário foi construção do Manaus Plaza Shopping, a menina dos olhos do empreendedor. Hoje o empreendimento conta com mais de 140 opções nos setores de comércio, lazer e serviço, além de um grande centro de convenções com capacidade de receber grandes eventos de até cinquenta e três mil pessoas.

Legado

Para o filho e vice-presidente do Grupo TV Lar, Antonio Maria dos Santos da Silva Azevedo, o legado deixado pelo pai transcende todo o lado material e físico da empresa, porque é um patrimônio de moralidade, trabalho, dedicação e honestidade, de um homem que sempre acreditou no sucesso e desenvolvimento do Amazonas.

"Meu pai foi um um exemplo para as gerações que querem o caminho mais fácil, que querem ser funcionários públicos e não querem empreender.Ele foi um grande empreendedor em todas as áreas, e um idealista porque ele sempre pensou no futuro do nosso Amazonas e de que forma ele pudesse contribuir para o crescimento e desenvolvimento", disse.

Segundo Antonio, a vida do seu pai inspirou e deu orgulho a ele, por poder ter sido um aprendiz de alguém que ele considerou um grande mestre e mentor, principalmente para a família, funcionários e todos aqueles que tiveram oportunidade de conversar com ele. "Nesses dois dias ouvi muitos testemunhos de vida que ele transmitiu para as pessoas e como ele as ajudou aconselhando no trabalho para vencer na vida. Esse foi meu pai no mundo. Um grande exemplo.

Em relação a continuidade e o rumo dos negócios, Antonio sempre esteve nos bastidores auxiliando e estruturando os setores para reforçar o bom desempenho de José Azevedo, e ressaltou que a vitalidade do pai em continuar tocar o negócio foi algo que sempre foi respeitado pela família. E garantiu que apesar da perda institucional que a morte do seu pai representa, a filosofia de trabalho dele, vai continuar com as próximas gerações da família. Não apenas na administração do grupo TV Lar, mas, no Shopping Manaus Plaza, Yamaha Motor da Amazônia onde ele é sócio.

"Estive sempre nos bastidores trabalhando, estruturando a empresa para que ela estivesse preparada para o futuro. A sucessão só não aconteceu porque meu pai sempre se sentiu útil trabalhando mesmo com a idade avançada. Sempre respeitamos sua vontade de continuar trabalhando. Mas, sempre tivemos uma equipe boa. Fizemos toda uma estruturação nesses 54 anos, e a empresa está preparada para mais 50 anos. O grupo vai manter a continuidade, a perda dele é relevante, institucionalmente, mas a imagem dele permeia pela empresa, porque ele mudou os valores que hoje nós cultivamos em todos os nossos relacionamentos com nossos fornecedores e colaboradores. Então hoje a TVLar está motivada para continuar esse legado e levar esse desenvolvimento", frisou.

Depoimentos

Para o vice-presidente da Fecomércio-AM (Federação do Comércio do Amazonas), Aderson Frota, José Azevedo foi uma pessoa iluminada que contribuiu muito ao comércio do Amazonas e para todas as outras categorias e entidades de classe do Amazonas. E reforçou que seu papel foi importante para a geração de empregos de muitas famílias no Estado, com as 45 lojas espalhados por toda região Norte do país.
"Um grande investidor e empresário com grande participação na convivência com a classe trabalhadora do comércio. As entidades de classe só tem a lamentar pela perda inesperada. Pessoa presente em muitos momentos da nossa economia, deixando uma obra e uma grande empresa que emprega quase mil pessoas", disse.

O grupo vai manter a continuidade. A perda dele é relevante, institucionalmente, mas a imagem dele permeia pela empresa, porque ele mudou os valores que cultivamos em nossos relacionamentos com todos", Antonio Maria Azevedo, filho e vice-presidente do Grupo TVLar

Sempre brigou pelo social e ajudar as pessoas. Um mérito e um legado que ele deixa para o comércio e o empresariado do Amazonas. Um homem a quem se inspirar", Frank do Carmo Souza,
presidente do Sinduscon-AM

Pessoa de hábitos simples, caminhava a pé por suas lojas no Centro, sempre, porém, com visão ampla das demandas e soluções para nosso Estado", Wilson Périco, presidente do Cieam

A história de vida e de trabalho de José Azevedo é uma verdadeira lição e referência para todos aqueles que enveredam no empreendedorismo e na liderança classista", Muni Lourenço, presidente da Faea


Lição viva contra desafios e problemas

Segundo o presidente da ACA, Ataliba David Antônio Filho, além de Azevedo ter sido um protagonista no comércio varejista, onde atuava com sucesso em todos os setores da economia com participação ativa nas entidades de classe, ele tinha um grande coração em ajudar as pessoas, principalmente, com inovações que foram importantes para a geração de emprego e renda para centenas de famílias.
"Ele transpôs a barreira de todos os desafios que se propôs a empreender. Foi um exemplo para todas as gerações que pretendem trilhar por esse caminho do empreendedorismo. Quando a Colônia Antonio Aleixo era um bairro que abrigava apenas hansenianos e era praticamente um lugar isolado da sociedade ele foi o primeiro a romper com essa barreira do preconceito contra a doença inaugurando uma loja no local e gerando emprego para os hansenianos, os incluindo socialmente. No alto dos seus 84 anos era sempre participativo nas reuniões sempre com intervenções sábias e deixando lições de vida a todos que partilhavam da sua companhia", lembrou.

O presidente do Cieam, Wilson Périco, relembrou toda a obstinação do empresário em lutar pelos interesses do Amazonas, e sua luta em manter as entidades de classes unidas, para promover a prosperidade do povo. "Estamos todos tristes com a partida de José dos Santos Azevedo, nosso bom companheiro, entretanto, temos, doravante, o compromisso de permanecer unidos como sempre ele recomendou. Perdemos uma presença física, mas temos que manter viva a chama do companheirismo de "seo Azevedo" como todos chamávamos na rotina de luta pelo respeito ao Amazonas, e por essa Amazônia esquecida", disse.

Périco relembra a luta do empresário, que segundo ele, defendia com insistência a interiorização do desenvolvimento, alegando que a Lei permitia usar 20% do território para atender às demandas sociais sem comprometer o grandioso serviço ambiental que o Estado oferece ao Brasil e ao mundo. "Defendia exploração dos minérios, a biodiversidade, com uma biotecnologia robusta, para fortalecer o polo industrial de Manaus. Pregava e realizava suas intuições. Ele nos deixa um patrimônio de entusiasmo e fé na prosperidade geral desta região", reforçou.

Segundo o presidente do Sinduscon, Frank do Carmo Souza, José Azevedo foi um homem de grande inspiração no mundo dos negócios, que com uma vida simples e dedicação construiu seu grande império comercial com as suas lojas em todo Estado.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário