Manaus, 21 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Brincadeira de crianças, e de adultos

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
19 Jun 2018, 18h54

Crédito:César Pinheiro
Quem, na infância, não brincou com álbum de figurinhas? Pois as Copas do Mundo têm transformado essa atividade tão divertida numa brincadeira também de adultos. A moda começou na Copa passada, no Brasil, e continua com força, agora, mesmo os jogos sendo na distante Rússia. Bem antes do começo da Copa na Rússia, o Amazonas Shopping abriu um espaço exclusivo para os colecionadores. O Manauara, que também tinha um espaço, estreou ontem (19), a Arena Panini e no domingo (24), acontecerá no Palacete Provincial o evento 'Palacete tá na área!' onde os colecionadores de figurinhas terão uma área só para eles.

A técnica em radiologia Andréa Rocha começou a colecionar figurinhas na Copa de 2014 e nesta, aproveitou que o sobrinho André Lucas, de oito anos, resolveu colecionar o álbum da Rússia, e repetiu a brincadeira da Copa anterior. "Ele tem o álbum dele e eu tenho o meu", disse. "Já havia colecionado figurinhas, mas há muito tempo, em 1992, quando o Brasil ganhou sua primeira medalha de ouro na Olimpíada de Barcelona, e lançaram um álbum. Na adolescência, gostava de colecionar papéis de carta, aqueles cor de rosa, todos decorados, mas na Copa passada minha vizinha Irani, que coleciona desde a infância, me fez tomar gosto pela coisa", contou. "Também não tenho muito tempo para me dedicar a esse passatempo, mas como a Irani e nossa amiga Cleide colecionam e me incentivam, aí eu vou. Troco as repetidas com elas, mas estes espaços que os shoppings abriram são excelentes porque você conhece uma gama imensa de pessoas, e acaba se tornando amiga delas, e olha que eu ainda nem fui ao Manauara", relatou. "Estou com um montão de figurinhas repetidas, mas ainda não consegui completar meu álbum. É difícil. Eles (os fabricantes) sempre fazem algumas figurinhas a menos, exatamente pra você não conseguir completar e ficar comprando mais", riu. "Outra coisa que eu acho bacana são as figurinhas. São muito bonitas. A cada Copa eles conseguem fazer elas ficarem melhores", garantiu.
Irani Ribeiro, a vizinha de Andréa, coleciona figurinhas desde a infância. "Lembra daqueles álbuns que davam brindes se você completasse uma quadra? Pois eu sempre conseguia completar e ganhava os brindes", recordou. Numa das mesas do Amazonas Shopping, no espaço reservado para os colecionadores, com a mão cheia de figurinhas, Irani é frequentadora assídua do local. "É um passatempo fantástico e você sente um grande prazer quando consegue uma figurinha que ainda não tem ou consegue completar um álbum", falou.

Onde encontrar amigos

Apostando na afluência dos colecionadores ao local, o Amazonas Shopping inaugurou bem antes do início da Copa um espaço especial para os fãs de futebol trocarem figurinhas do álbum da Copa do Mundo FIFA 2018. O espaço funcionará até o final do campeonato, no dia 15 de julho, de segunda a sábado, de 10h às 22h, e aos domingos, de 14h às 21h, no primeiro piso, próximo à praça de alimentação. No local tem também um painel para troca solidária, em que é possível deixar uma figurinha e pegar outra. No mesmo shopping, a Livraria Leitura reservou uma área para os colecionadores com direito a grupo no WhatsApp (9 8430-9659) e contatos pelo Instagram @leitura.amazonas.

Já o Manauara Shopping, que também possuía um espaço para troca de figurinhas, inaugurou ontem a Arena Panini. A Arena, localizada no Piso Castanheiras, conta com diversas atividades, além da troca de figurinhas, como exposição de álbuns antigos e camisas das seleções, mesa gigante de futebol de botão, jogo da memória e até um turbilhão de figurinhas, em que o colecionador poderá entrar em uma máquina onde acontece um 'temporal' de figurinhas com coleções exclusivas Panini. No dia 23, às 17h é aguardada a presença do jogador Túlio Maravilha, para interagir com os torcedores em uma sessão de autógrafos e selfies.

No domingo (24), é a vez do Palacete Provincial, na praça Heliodoro Balbi (praça da Polícia), lançar o evento 'Palacete tá na área!', que contará com torneios de videogames, futebol com robôs, futebol de botão, jogos em RPG e cartas e troca de figurinhas. Tudo em nome da Copa.

A febre dos álbuns das Copas

O primeiro álbum de figurinhas do Brasil circulou no início do século passado. Era uma publicação da tabacaria Estrela de Nazareth, e cada uma das 60 figurinhas correspondia à bandeira de um país. Mas as figurinhas só foram cair no gosto popular depois do lançamento do álbum de estampas dos sabonetes da então recém-inaugurada Eucalol, em 1925. Quem comprava uma caixa com três sabonetes levava de brinde três figurinhas. Nos anos seguintes, vieram os famosos álbuns de balas (Balas Futebol, Balas Cinédia, Balas Fruna, Balas Ruth), que fizeram sucesso com o público infantil e, a exemplo do que aconteceu com a Eucalol, alavancaram a indústria de doces.

Em 1961, veio a prova da consolidação do nicho das figurinhas no mercado de entretenimento infanto-juvenil: a fundação da italiana Panini. Os irmãos Panini eram, desde 1945, donos de uma banca de jornal em Modena, na Itália. Em 1954, fundaram uma companhia de distribuição de jornais que, mais tarde, daria lugar à fábrica de álbuns de figurinhas. O grupo é, desde então, líder mundial no setor. Com sede italiana e filiais em mais de cem países, a Panini fatura anualmente cerca de 650 milhões de euros (R$ 1,7 bilhão).

Álbuns exclusivos sobre futebol surgiram no Brasil a partir de 1950, quando a Copa do Mundo aconteceu aqui, mas se tornaram uma febre a partir de 1989 após a Editora Abril lançar o álbum oficial do Campeonato Brasileiro daquele ano, que marcou o início da tradição dos álbuns de futebol.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário