Manaus, 24 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Esporte, cultura e memória

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
18 Jun 2018, 19h27

Crédito:César Pinheiro
Que o futebol no Amazonas nunca se destacou no cenário nacional, isso todo amazonense sabe. Em todas as seleções brasileiras, formadas a partir de 1914, nunca um único amazonense integrou o 'escrete canarinho'. Mas o amazonense, como todo brasileiro que torce pela Seleção Brasileira, não desiste de sempre sonhar com a vitória. O primeiro Campeonato Amazonense de Futebol aconteceu, também, em 1914, e nunca deixou de ser realizado nesse tempo todo, este ano com Manicoré, Fast Clube, Manaus, Nacional, Penarol, Princesa do Solimões, Rio Negro e São Raimundo lutando pelo título de campeão.
Para contar um pouco da história não só do futebol, mas do esporte no Amazonas, o Museu Amazônico, da Ufam, abre na quinta-feira (21), às 19h, a exposição "A cidade e o mundo: esporte, cultura e memória", no qual apresentará peças curiosas e raras sobre as Olimpíadas e, claro, as Copas do Mundo e o futebol local.

"A ideia da exposição surgiu em função do momento, então aproveitamos essa temporada em que todos falam sobre a Copa na Rússia para organizá-la, mas resolvemos mostrar não só o futebol, mas os esportes que o Amazonas pratica, sob um prisma cultural e histórico", falou Dayson Teles, diretor do Museu Amazônico.

O acervo da exposição reúne objetos de coleções particulares como a de Roberto Gesta de Melo, Alfredo Loureiro, e de clubes atuantes como o Atlético Rio Negro Clube, e extintos, como o América Futebol Clube e o Luso Sporting Club.

Museu das Olimpíadas

Roberto Gesta é considerado o maior colecionador de relíquias olímpicas do mundo, só perdendo para o Museu Olímpico do Comitê Internacional.

Está em seu poder a única medalha de ouro cunhada para os jogos olímpicos não realizados devido à eclosão da Primeira Guerra Mundial.

"Na exposição teremos três tochas olímpicas de sua coleção. Gesta possui exemplares das tochas de todas as Olimpíadas, desde a primeira, em 1896. Teremos também uma camiseta do São Paulo e um tênis usados por Adhemar Ferreira da Silva, o primeiro atleta brasileiro bicampeão olímpico, em 1952 e 1956, no salto triplo. Outro objeto cedido por Gesta é uma placa de metal, que estava fixada no estádio Centenário, em Montevidéu, na Copa de 1930, indicando onde ficava a Tribuna da América", explicou Dalyson.

Apesar de a Copa do Mundo de 2014 ter tido quatro jogos realizados em Manaus, na Arena da Amazônia, o estádio continua como um espaço grande demais para o futebol local. Sequer tem um museu do futebol amazonense, rico de belas histórias e grandes craques, conforme conta Carlos Zamith, em seu livro 'Baú Velho', no qual ele lista a biografia de uns 200 craques barés e até registra que a primeira 'bicicleta' teria sido realizada pelo jogador amazonense Marcolino, do Nacional, nos anos de 1920, bem antes de Leônidas da Silva, em 1932, considerado o primeiro jogador a realizar esse tipo de jogada. Um Museu das Olimpíadas na Arena foi idealizado em junho do ano passado, com peças das coleções de Roberto Gesta, mas até agora só existe no projeto. Gesta disse ter 70 mil peças em seu acervo e colocaria quatro mil delas no museu, sendo 2.500 fixas e as demais itinerantes. Mônica Figueiredo, coordenadora da Arena da Amazônia, disse que "o espaço já foi cedido e o projeto do museu está pronto, faltando apenas a liberação das peças por Gesta".

Lembranças de 2014

Peças das coleções do empresário Alfredo Loureiro já foram vistas em exposição, em Manaus, em 2014, durante a Copa. Uma delas, porém, não estará exposta desta vez, talvez a mais rara do futebol amazonense. Trata-se do troféu do primeiro Campeonato Amazonense de Futebol, organizado pela Liga Amazonense de Futebol, em 1914. O troféu, confeccionado em eletro-prata foi ofertado por William Gordon, rico exportador de borracha e de outros produtos extraídos da floresta. Foi entregue ao time campeão, Manáos Athletic Club. Na base do troféu, os nomes de todos os jogadores do time. Agora, Alfredo expõe cartazes que contam um pouco da história do futebol amazonense, e que estiveram expostos na Copa de 2014.

"Vamos expor oito posters de algumas das Olimpíadas, bonecos mascotes dessas Olimpíadas, troféus conquistados pelos times do Rio Negro, América e Luso, e diversas fotos desses times e da Seleção Brasileira, em outras Copas e dessa agora. Como lembrança dos jogos que foram realizados aqui, em 2014, os totens onde as bolas ficaram, junto ao túnel de onde os jogadores saem, e duas bolas utilizadas nos jogos. Essas últimas peças ficam na Arena da Amazônia", disse Saulo Moreno, museólogo do Museu da Amazônia.

"Queremos que os visitantes façam uma viagem no tempo, revivendo os períodos e os lugares onde aconteceram as Olimpíadas e as Copas do Mundo e saibam um pouco mais sobre o futebol local", concluiu Dalyson.


O QUE?
Exposição 'A cidade e o mundo: esporte, cultura e memória'

QUANDO?
De 21 de junho a 27 de julho, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30

ONDE?
Museu Amazônico - Rua Ramos Ferreira, 1036, Centro

INFORMAÇÕES?
3305-1181



Comentários (0)

Deixe seu Comentário