Manaus, 22 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Câmara Federal avalia proposta que prevê acompanhamento da saúde mental de servidores

Por: Da Redação com informações da Assessoria
12 Jun 2018, 17h40

Crédito:Divulgação
​A indicação 5535/2018 que sugere seja incluída no protocolo dos exames periódicos dos servidores públicos a avaliação periódica da saúde mental, de autoria do deputado federal professor Gedeão Amorim (MDB), está em tramitação na Câmara Federal, em Brasília.

O cuidado com a saúde mental consiste em uma das prioridades da atenção à saúde na atualidade. De acordo com o autor da proposta, estudos apontam aumento progressivo no número de diagnósticos de alterações no campo psíquico em todo o mundo, o que vem sendo também noticiado reiteradamente nos meios de comunicação.

Gedeão Amorim, que também levanta a bandeira da educação na Casa, afirma que os professores são exemplos típicos desse fenômeno e, por isso, têm sido estudados com maior aprofundamento.

"Precisamos que o Estado assuma o protagonismo em ações de prevenção, que visem tanto promover ambientes laborais saudáveis quanto a prevenir o surgimento e desenvolvimento de quadros patológicos", aponta o parlamentar.

Sistema

O Governo Federal mantém há anos o Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor - SIASS, iniciativa de extrema relevância no cuidado à saúde do servidor público. Dentre as várias ações previstas, o exame periódico oferecido possibilita acompanhamento individualizado de cada servidor, com grande potencial para o diagnóstico precoce de enfermidades.

Segundo Gedeão, ainda não faz parte dos protocolos à realização dos exames periódicos a avaliação da saúde mental do servidor. O parlamentar entende isso como uma "omissão" que implica na perda de ocasiões para uma abordagem mais direta e particularizada da questão.

"Ter um diagnóstico precoce de tais distúrbios certamente implicarão na melhoria dos serviços prestados pelos servidos, bem como na economia para o sistema total, com redução dos gastos diretos em saúde e daqueles decorrentes de licenças médicas prolongadas", destaca o deputado federal.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário