Manaus, 22 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Vendas de motos aceleram em abril

Por: Rianna Carvalho r.loureiro@jcam.com.br
15 Mai 2018, 19h48

Crédito:Walter Mendes
Dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) informam que a frota nacional de motocicletas, supera 26 milhões de unidades. E só no Amazonas, foram emplacadas em abril de 2018, 82.118 unidades, aumento de 26,4% sobre o mesmo mês do ano anterior. Já no comparativo do acumulado de janeiro a abril, a alta foi de 9,2%, sendo 301.422 unidades em 2018 e 275.931 em 2017.
O diretor-executivo da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), José Eduardo Gonçalves, informou que existem razões bem fortes que explicam a atração dos brasileiros pela motocicleta. "Baixo custo de aquisição e manutenção, economia de combustível e transporte rápido para qualquer localidade. Associadas a isso, a possibilidade de usar o veículo para gerar renda e a natural inclusão social que o transporte próprio traz às famílias", afirmou.
Segundo a Abraciclo, quase metade (48%) dos compradores de motocicletas estão nas classes D e E, que correspondem a cerca de 35% da população brasileira. Se for acrescida à classe C, somam 85% dos consumidores do produto.

Entre as categorias mais comercializadas em abril, destaque para Street que aparece no topo do ranking com 48,9% de participação (38.410), seguida da Trail, com 23,2% (18.185) e da Motoneta, 14,1% (11.098). Depois vem o Scooter, com 7,2% (5.685), e a Naked, com 2,4% (1.857).

Vendas em alta

O gerente-geral da Manaus Motocenter, Adair Bayer, informou que os primeiros meses de 2018 registraram crescimento nas vendas da concessionária. "O mercado de duas rodas teve um salto expressivo neste início de ano. Houve um crescimento de 4,5% em comparação ao mesmo período do ano passado", disse.

Bayer disse que a expectativa é que até meados de junho o mercado chegue a aumentar 5%. "Hoje os modelos NXR 160 Bros, CG 150 Titan e CG 150 Fan, são os modelos mais comercializados na capital. No interior a líder de vendas é a Biz". Bayer completou dizendo que os modelos premium também estão tendo saída.

O gerente revelou ainda que a comercialização está tão positiva que a fábrica não está conseguindo atender a demanda das concessionárias. "Nossa venda está sendo tão expressiva que a fábrica não está conseguindo atender a demanda. Para o segundo semestre estamos com projeto de abertura de novos pontos de venda tanto na capital como no interior", relatou. Quando questionado sobre o quantitativo de vendas neste início de ano, Bayer disse não poder revelar os números da empresa, pois a informação é sigilosa.

Exportação

Na análise sobre as motocicletas enviadas para outros países em abril, foi registrada alta de 75,4% sobre o mesmo mês de 2017. A Argentina liderou o ranking com 77,6% de participação, seguida dos Estados Unidos, com 10,9%, Colômbia (4,5%), México (2,1%) e Austrália (2,1%).

O Gerente Executivo do CIN -AM (Centro Internacional de Negócios do Amazonas), Marcelo Lima, destaca que apesar do presente momento de crise na Argentina, esse fator não vai afetar de forma significativa o mercado. "A Argentina está sempre em crise! Esse fator não irá afetar de forma significativa o mercado, pois exportamos para os Estados Unidos, e também outros países do Mercosul", declara.

Dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) revelam que atualmente, a participação da Argentina nas exportações brasileiras é de cerca de 8% e a maior parte é do setor de veículos. A associação informa ainda que não se tem uma previsão de quanto podem cair as exportações com a crise instalada no país.

Produção

Segundo pesquisa da Abraciclo a produção do setor cresceu em abril, 37,3%, com 88.422 unidades. Também houve aumento nos primeiros quatro meses do ano, avanço de 17,6% sobre o mesmo período do ano passado. A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no PIM (Polo Industrial de Manaus), está entre as oito maiores do mundo. Até abril de 2018, foram produzidas 347.959 unidades de motocicletas. Do total, 312.539 foram repassadas às concessionárias, e apenas 29.992 unidades foram destinadas a exportação.

Para Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, este bom resultado mostra que pouco a pouco o setor de duas rodas vem se recuperando da crise econômica que jogou para baixo o volume de produção nos últimos anos. "Quatro meses consecutivos de bons resultados faz com que a indústria caminhe para um crescimento sustentável", diz Fermanian. A projeção da entidade é um crescimento de 5,9% no acumulado do ano.

No que diz respeito às vendas diárias, em abril a média foi de 3.910 unidades com 21 dias úteis, salto de 8,4% sobre o mesmo mês do ano passado (3.609) com 18 dias. Já na comparação com março o avanço foi de 3,5% (3.777).

Moto Honda lidera

A Moto Honda da Amazônia apontou que o último quadrimestre trouxe resultados positivos para a indústria automotiva no geral e no segmento de duas rodas não foi diferente. A empresa disse que é necessário observar o comportamento do mercado nos últimos meses e a tendência futura. E, neste cenário, ela acredita que o mercado está caminhando rumo à retomada.

A empresa registrou 254.345 unidades comercializadas no último quadrimestre, apontando aumento de 10,85%, na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram vendidas 229.459 motos. Já com relação à produção, no período de janeiro a abril de 2018 contabilizou 259.808 motocicletas produzidas, um número 14,42% superior se comparado ao mesmo período de 2017, quando houve a produção de 227.065 mil motos na fábrica da empresa em Manaus

Comentários (0)

Deixe seu Comentário