Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

O doce sabor da Amazon Doces

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
26 Abr 2018, 19h11

Crédito:Walter Mendes
Microindustrial do Ano. Esse é o título que Jane Barros Ferreira irá receber no próximo dia 17 de maio, em solenidade promovida pela Fieam (Federação das Indústrias do Amazonas) e Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas). Mas a empreendedora, proprietária da Amazon Comércio de Doces Ltda, já pensa em ser muito mais do que uma micro industrial. Residente no Cide (Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial), no Distrito Industrial, há cinco anos, só resta mais um ano para a Amazon Doces permanecer no Centro, quando então precisará sair e deixar o espaço para uma nova empresa. E Jane já tem grandes planos para a sua empresa.

Jane é de Manicoré, e como muitos interioranos, veio para Manaus em busca de melhores dias não encontrados na terra natal.

"Chegamos a Manaus em 1989, eu e minha família, e um dia, em 1996, fomos conhecer as cachoeiras de Presidente Figueiredo, mas acabamos visitando um sítio que estava sendo vendido. Fiquei muito interessada em comprá-lo devido às árvores frutíferas que existiam no local, porém, o dinheiro que tínhamos dava: ou pra comprar o sítio, ou uma casa em Manaus. Compramos o sítio", contou.

Em 1996 a BR-174 ainda estava sendo asfaltada e o trecho entre Manaus e Figueiredo permanecia no barro. "Nem demorou para nos arrependermos de ter comprado o sítio. Figueiredo era isolada em relação a Manaus. O sítio era repleto de cuapuaçuzeiros e maracujázeiros e foi com eles que comecei a fazer os doces, mas onde vendê-los se o único mercado era a distante Manaus?", recordou.

"A prefeitura nos ajudou bastante. Levou profissionais do Sebrae para capacitar as pessoas interessadas em aprender a fazer doces, promoveu cursos, mas quando chegou a hora de todos se unirem numa cooperativa, faltou o espírito de união. Não demorou para eu perceber que deveria seguir sozinha, e assim fiz. Em 2006 eu, meu marido Flávio Augusto Ennes e meus quatro filhos, vendemos o sítio e viemos embora para Manaus. Lá, não tínhamos condições de progredir", lamentou.

Nada de industrializar

Em Manaus, Jane e a família arregaçaram as mangas e continuaram na fabricação de doces. "Toda feira que aparecia e eu podia colocar os meus doces, eu ia, e assim fomos crescendo. Fiquei sabendo do Cide e me inscrevi para ter um espaço aqui, mas foi difícil. Tentei durante seis anos até conseguir e agora já vai completar seis anos que estamos aqui e chegou a hora de darmos o espaço para outro empreendedor", disse.

No Cide, Jane profissionalizou sua empresa. "Padronizamos nossos produtos, criamos embalagens para cada um deles, também criamos a logomarca e os rótulos. Entre biscoitos, balas, bombons e jujubas temos um portifólio com 48 produtos, com a nossa assinatura de doces caseiros amazônicos naturais sem glúten, sem corantes, sem conservantes. Na Amazon Doces procuramos trabalhar o máximo possível com alimentos saudáveis", garantiu.

Entre as frutas utilizadas nas receitas de Jane: cupuaçu, maracujá, açaí, camu-camu, bacuri, buriti, araçá-boi e castanha. Para dar um toque especial, em alguns dos produtos ela acrescenta mangarataia ou pimenta. "Acredito que nossos produtos agradam a todos, pois não conseguimos estocar nada. Tudo o que produzimos, é vendido. Por mês vendemos uma média de mil pacotinhos de biscoitos, mil pacotinhos de jujuba, mil balas, tudo preparado de forma artesanal. Talvez por isso nossos produtos façam tanto sucesso. Pela dedicação e amor com que são preparados. Nada de máquinas. Tudo manual mesmo. Não penso em industrializar minha empresa porque ela perderia o foco que é ser artesanal", garantiu. Um segredo que poucos sabem é que mesmo sendo uma doceira de mão cheia, Jane não gosta e não come doces. "Não gosto nem de provar quando crio alguma coisa. Dou pra molecada lá de perto de casa e pros meus funcionários e eles é que decidem se ficou bom e se podemos lançar para o público", revelou.
Enquanto aguarda receber seu valioso reconhecimento pela Fieam, Jane vai vendendo os seus doces em três quiosques: um no Manauara Shopping e dois no Shopping Sumaúma, além de quatro boxes localizados no Mercado Adolpho Lisboa. Quem quiser entrar em contato com ela para solicitar os produtos da Amazon Doces, pode ligar para: (92) 9 9112-3425.


54 premiações

O reconhecimento Mérito Industrial do Ano foi instituído pela Fieam em 1965 para homenagear empresários que tenham prestado relevantes serviços à causa do desenvolvimento da indústria amazonense. O 'Industrial do Ano', em 2018, será o empresário Cláudio Barrella, diretor da Tutiplast Indústria e Comércio Ltda (que teve matéria recente no Jornal do Commercio), e passará a fazer parte de uma galeria que inclui nomes como Antônio Simões, Isaac Sabbá, Umberto Calderaro Filho e Sócrates Bomfim. A premiação do Micro Industrial do Ano é mais recente.

Comentários (3)

  • Maria01/05/2018

    Doce maravilhoso

  • Ewerton26/04/2018

    Melhor doce de Manaus!

  • Ewerton26/04/2018

    Melhor doce de Manaus!

Deixe seu Comentário