Manaus, 16 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

"E não andeis ansiosos por coisa alguma"

Por: Jô Vneturelli
23 Abr 2018, 14h10

Experimentar sentimentos ansiosos de vez em quando não é grande coisa -é até uma parte normal da vida. Mudanças importantes acontecem, como um novo emprego, casar ou separar, mudar de casa, sofrer um acidente, podem gerar resposta de estresse em todas as pessoas.

Além destes eventos da vida, os denominados acontecimentos menores, ou "as pequenas coisas" que podem ser vivenciados em diversas situações cotidianas, como perder coisas, esperar em filas, ouvir o som do despertador ou o barulho provocado por vizinhos, também são provocadores de resposta de estresse. Conforme argumenta a psicóloga Lívia Levinthal, "muitas vezes estes acontecimentos menores, geram respostas estressantes com efeitos psicológicos e biológicos negativos mais importantes do que eventos de vida estressores de maior frequência".

Se a resposta ao estresse gerar ativação fisiológica frequente e duradoura ou intensa, pode precipitar um esgotamento dos recursos do sujeito com o aparecimento de transtornos psico-fisiológicos diversos, podendo predispor ao aparecimento de transtornos de ansiedade entre outros transtornos mentais. (MARGIS, Regina et al. Relação entre estressores, estresse e ansiedade. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, v. 25, n. 1, p. 65-74, 2003).

O dr. Carl Salzman em PowerofPositivity explica que: "A ansiedade é um termo aplicado à ativação da amígdala cerebral, e quaisquer pensamentos ou emoções subsequentes. Um transtorno de ansiedade é uma condição na qual uma pessoa experimenta maneiras de sofrimento. A ansiedade pode ser boa ou ruim, mas o transtorno de ansiedade é sempre ruim".

No tempo que "não temos tempo" a ansiedade pode ser percebida por coceiras à dormência, ruborização à palidez, alergia à dor nas costas, desejos por açúcares e sentimentos de solidão à excesso de energia, entre muitos outros sintomas, onde cada pessoa reage diferente em graus diferentes. Onde precisamos deste tempo, que mal temos, para alcançar objetivos, ultrapassar obstáculos, ver os filhos crescerem e os pais envelhecerem, sepultar nossos mortos e celebrar os vindouros, ser aprovada na seleção e dançar na chuva. Valorize o que você pode fazer, já cantaram "eu não te escuto mais, você não me leva a nada". Vai desperdiçar ou aproveitar o pouco tempo que tem, com o quê?

Comentários (0)

Deixe seu Comentário